Saiba quais são as “pi-ca-re-ta-gens” na pintura

Ao se comprar um carro zero km, deve-se prestar muita atenção em sua pintura, para evitar problemas no futuro

Por BORIS FELDMAN16/05/18 às 16h00

Ao se comprar um carro zero km, deve-se prestar muita atenção na pintura, para evitar problemas no futuro. Em primeiro lugar, jamais aceitar qualquer tipo de reparo na concessionária caso o carro tenha vindo com algum arranhão ou amassado, por menor que seja. Simplesmente porque oficina nenhuma de marca nenhuma do mundo é capaz de pintar um automóvel com a mesma qualidade da fábrica na linha de montagem. Pode se aproximar, mas perfeição não existe. Pode não ter problema no futuro, mas sempre existe o risco de passados alguns meses, surgir uma diferença entre a pintura original e o local reparado pela concessionária.

Ao se comprar um carro zero km, deve-se prestar muita atenção na pintura, para evitar problemas no futuro. Alguns serviços ou promessas podem ser picaretagem.

Outra dúvida do dono do carro é aceitar ou não o serviço especial DE “PROTEÇÃO” DA PINTURA oferecido pela maioria das concessionárias, que não perdem a chance de faturar algum…

Este tratamento na pintura se chamava de polimento. Mas atualmente é mais sofisticado e ganhou denominações também mais “chiques” como vitrificação, polimerização, espelhamento e outras. Aliás, a sofisticação já subiu mais um nível recentemente e existe um método ainda mais moderno que faz uso da nanotecnologia, que deixa a pintura repelente à água. O carro não fica molhado quando chove…

Todos estes serviços são importantes e devem ser realizados, mas unicamente depois que o carro já rodou dois ou três anos. Quando a pintura começa a dar sinais de cansaço, de perder o brilho original. Ou em prazos menores quando o carro é submetido com frequência às intempéries climáticas como sol, chuva, etc. Se fica o dia inteiro estacionado ou durante a noite na rua.

O que não se deve autorizar é a execução deste serviço quando o carro está novo, ainda zero km. Simplesmente porque a pintura de fábrica já recebe uma proteção, um verniz superficial exatamente para protegê-la. Ora, a primeira operação destas empresas que oferecem o serviço é lixar a pintura original para aplicar seu produto. Passou a lixa, a proteção da fábrica já era…

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

36 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Luis 27 de agosto de 2018

    os funileiros focam loucos kkkkkkkkkkkk

  • Eder Magno 17 de maio de 2018

    É meu querido, eu até gostava dos seus comentários na TV, mas, depois desta, vou começar avaliar melhor os seus conteúdos! Pisou na bola legal, kkkkkk “sapateiro só pode ir até a sola do sapato”, ou seja:só fale do que conhece! Foi trágico kkkkkkk

  • Penido 77luxurycar 17 de maio de 2018

    Boa tarde a todos, Boris, quanto a pintura feita fora da fabrica realmente nenhum local fora da fabrica tem condições de refazer a pintura original, Quanto a proteção de pintura para carros zero km, é extremamente aconselhável uma vez que, a camada de verniz original e muito macia por motivos económicos e técnicos, facilitando a penetração de ácidos diversos, ocasionando manchas e desgaste prematuro, existe proteção que são 8 vezes mais resistente a esses intempéries e outras ate 5 vezes mais grossa que o verniz original, inclusive regenerando riscos leves ocasionados por lavagens e pequenos danos. a 77luxurycar atua no Brasil e Europa atendendo diretamente Dealers como, Ferrari, Lamborghini, Rolls Royce… para carros zero km e usados.
    Podemos contribuir muito com as matérias de vocês, qualquer duvida entre em contato. Parabéns pelo canal.
    Atenciosamente. Rogerio Penido, Proprietario 77luxurycar.

  • Mauricio Hazor 17 de maio de 2018

    Este senhor ” BORIS FELDMAN” que escreveu esta matéria não sabe absolutamente nada de pintura e verniz automotivo, a única dica correta é para não receber um carro com problemas de arranhões, sugiro ao reporter procurar um bom curso de estética automotiva para poder falar sobre o assunto. Meu conselho para Voce que leu o texto acima e é leigo no assunto desconsidere.

  • Alecio 17 de maio de 2018

    Quanta besteira! Texto escrito por quem não tem conhecimento nenhum em correção e proteção de pintura….tanto que nem sabe a diferença. Se esse senhor está acostumado a este tipo de serviço no início do século passado, resta-se informar melhor. Já peguei vários carros 0km com muitos defeitos (como manchas, riscos e pequenos arranhões), muitas vezes imperceptíveis a um leigo ou ao radiante proprietário de um carro novo. Isso deve ser corrigido para aplicação da proteção de pintura (que não é aplicada sobre o carro lixado….kkkk). Proteger um carro depois que a pintura perdeu o brilho é como contratar um seguro depois que bateu o carro. Espero que este senhor leia todos o comentários e resolva estudar bem um assunto antes de reportagens infelizes como essa.

  • Lincoln Thomaz 17 de maio de 2018

    Peço perdão pelos comentários mais exaltados acima. Educação acima de tudo. Acredito que seu post se deve à falta de conhecimento da área de Estética Automotiva, que evoluiu muito nos últimos anos. Eu comecei em 2009 e vi um mundo que eu simplesmente não conhecia. Mas nada é sem volta. Pesquise, se precisar de ajuda, entre em contato e nós lhe ajudaremos a esclarecer toda e qualquer dúvida sobre o assunto. Forte abraço.

  • Alex 17 de maio de 2018

    É lastimável a pessoa falar as coisas sem pensar ,sem ao menos pesquisar p saber o que é correto ou não ,isso sim é uma picaretagem……..

  • Daniel 17 de maio de 2018

    Tudo picareta mesmo essa turminha do “espelhamento” inventam uma porção de termos chiques para e ganar trouxas, mas tem bobo que paga né então deixa…

  • Fabio 17 de maio de 2018

    Sabe de nada inocente, abriu a boca só saiu asneira, tenhamos a santa esperança que um dia esse ser humano saiba falar sobre o assunto com técnica e experiencia, se vê que é um amador no assunto!

  • Cleiton Reis 17 de maio de 2018

    Como é que o cara diz que o cliente nunca deve aceitar reparo algum da concessionária se o carro tiver algum dano na pintura ou lataria??? Como assim??? O cliente faz o que??? Toca fogo no carro??? Entrega na casa desse cidadão que escreveu essa besteira para ele mesmo reparar???? Pra início de conversa caso esse rapaz não saiba o nome reparação automotiva é justamente porque qualquer reparo que precise ser feito após a montagem ou pintura original do veículo é uma correção a peça original montada na fábrica. Pintura só existe uma, qualquer coisa que vier após essa é REPINTURA ou seja RE de reparação. Quando alguém diz que o carro foi para oficina pintar está erradoooo… o carro foi para a oficina repintar “reparar”. Qualquer serviço dentro de uma concessionária terá sempre mais credibilidade do que em reparadores independentes. A concessionária tem a obrigação de reparar dentro das especificações técnicas exigidas pela montadora, seja serviços ou peças. Se o cidadão aí foi molestado em alguma concessionária ele não pode passar suas descrenças para escrever uma matéria onde muitas pessoas que desconhecem os assuntos podem tomar como decisões baseado em uma bobagem escrita. A AutoPapo deveria ler antes de liberar publicações como está. Tito no pé.

  • Cleiton Reis 16 de maio de 2018

    É dificil ler um monte de bobagem dessas e não comentar, deveria ter uma bancada espealizada em diversos assuntos técnicos para aprovar o que pessoas desse calibre baixo escrevem aos leitores que desconhecem o assunto e acabam sendo influenciadas incorretamente a não buscar serviços e produtos que beneficiem seus automóvel. Ao invés de querer queimar esse tipo de serviço, deveriam era fazer uma análise técnica com custo benefício pra os leitores analisem se é vantajoso ou não, ou que momento é bom fazer tal serviço ou reparo. Resumo da ópera não é queimando o trabalho sério de outras pessoas que conseguimos credibilidade.

  • Fabiano 16 de maio de 2018

    apaga isso, estão passando verginha

  • Adilson Santos 16 de maio de 2018

    Acredito que quem escreveu essa matéria profissional de YouTube ou especialista de teclado apenas para dizer tanta asneira sobre proteção de pintura em carros novos ou zero km! Polimento nada tem a ver com proteção, espelhamento e técnica, nanotecnologia e tecnologia e são coisas bem diferentes, porém, com um intuito de melhorar e garantir uma vida mais longa ao verniz da pintura. Quanto a qualidade da pintura vinda de fábrica, tem umas que dá até dó do novo proprietário!!! Vem com tanta casca de laranja que me sinto numa banca de feira. E com certeza existem profissionais da pintura que fazem tão melhor quanto a fábrica. Mas por favor, refaça seu estudo sobre proteção de pintura com profissionais da área e não pelo YouTube ou conversas de buteco

  • Alexander Lima 16 de maio de 2018

    Olha nunca vi tanta bobagem em uma publicação. Não tem assunto ou desconhece das propriedades técnicas não fala não comente e não publique.
    Comprei um carro zero e o carro tinha tanto micro risco swirls e chuva ácida que não tem como andar com o carro sem antes fazer um espelhamento ou vitrificação. Eu acompanhei o processo é o carro não foi lixado.
    Vai aprender antes de escrever sobre um assunto.

  • Karla 16 de maio de 2018

    Nunca vi tanta besteira escrita em um só lugar.
    Antes de colocar uma reportagem como está é bom pesquisar e saber mais a respeito dos fatos.
    Vitrificar, polimentos, nanotecnologia entre outras coisas são produtos e trabalhos sérios.
    Eu trabalho com isso e não preciso enganar meus clientes. Estude mais antes de colocar um artigo destes.

  • Spiga 16 de maio de 2018

    Ñ sei qual o estudo sobre produtos e tecnologia dos materias que existem hj em dia o digníssimo que escreveu essa matéria tem! Aconselharia pesquisar mais sobre o assunto antes de escrever absurdo!

  • Marcelo 16 de maio de 2018

    Esse cara não sabe de nada… Não deve nem saber usar uma politização…

  • Cristiano Ramires 16 de maio de 2018

    Reportagem não foi feita por técnico diplomado em polimento e detalhamento. Muita coisa a ser esclarecido.Materia sensacionalista sem nenhum fundamento técnico

  • Elder 16 de maio de 2018

    Quem escreveu uma besteira dessas ? Estudem um pouco mais antes de escrever qualquer artigo sobre polimento.

  • Alexandre 16 de maio de 2018

    Se eu fosse você evitava escrever tanta idiotice na internet. Se informe com profissionais de verdade da área e não fique na base do achismo pra não passar vergonha.

  • Daniel 16 de maio de 2018

    Deveriam é ficar atentos a pi-ca-re-ta-gens no mundo dos blogueiros sem conteúdo e sem conhecimento técnico para fazer uma postagem sem nexo como esta! Sugiro que consulte sempre um profissional da área em que deseja criar alguma postagem para pelo menos ter conteúdo e não somente opiniões infundadas, porque quando temos um conhecimento tão raso sobre determinado assunto não devemos nos atrever a escrever sobre o mesmo.

  • Ronaldo 16 de maio de 2018

    Que matéria ruim, escrita por alguém que não entende do assunto. Existem polidores e polidores, e o escritor generalizou. Existe uma preparação para um carro novo, onde um profissional usa métodos muito pouco abrasivos, e depois procede com a proteção da pintura.
    Só concordo com o autor em relação a fazer esse serviço na concessionária.

  • Marcelo 16 de maio de 2018

    Quem escreveu este comentário, não entende nada mesmo sobre pintura e muito menos de proteção da mesma.
    Seu carro novo pode e deve sim ser protegido para que não aconteça como ele mesmo diz, “depois de três anos a pintura começa a perder o brilho”.
    Não precisa esperar algo estragar para aí então reparar, conhece manutenção preventiva ?????

  • Diego Gargagim 16 de maio de 2018

    Ah legal e qual seria a proteção de fábrica?? Explique isso e eu concordo com essa babozeira de texto, primeiro pesquise, saiba quanto as empresas investem em tecnologia antes de escrever asneira…

  • Roger 16 de maio de 2018

    Foi infeliz nessa publicação falta de conhecimento sobre o assunto é quase a mesma coisa que dizer que uma pessoa por ser nova não precisa usar protetor solar!

  • Marcelo Luttembarck 16 de maio de 2018

    Vamos lá, trabalho no segmento de estética automotiva e disso eu entendo um pouco… existem dois tipos de polimento, o comercial que somente renova o brilho do verniz e o técnico ou profissional que nivela o verniz removendo riscos e micro riscos sem deixar marcas de boinas deixando a pintura muitas vezes mais bonita que de um veículo novo. Polomento não quer fizer em nenhum lugar do mundo como proteção de pintura como foi dito nesta matéria ( que por sinal mostra a falta de conhecimento de quem a escreveu… Existem no mercado produtos como Cera de carnaúba e sintética,selantes, selantes com nanotecnologia, proteção cerâmica ou vitrificaçao que sim fazem a devida proteção do verniz… Quanto ao polimento de um veículo novo, que por muitas vezes já chegam à concessionária arranhados devido ao transporte. Quando se contrata um serviço de vitrificação, SIM, é preciso fazer uma correção no verniz, uma vez que o produto evidenciará os riscos que existem… Gentileza se informar mais antes de publicar uma materia sem nenhum conhecimento sobre o assunto, pois gera descrédito ao Auto Papo perante os clientes que conhecem e sabem a diferença entre polimento e proteção de pintura!!! A tecnologia se faz presente quando se trata deste assunto, assim, atualize-se!!!

  • Daniel 16 de maio de 2018

    Quanta besteira em um post só.. Meus parabéns. O conselho agora é: estudem antes de escrever qualquer coisa, por favor. Não conhecia o site, mas pode ter certeza que esse post aqui vai bombar..

  • Guilherme Yamamoto 16 de maio de 2018

    Preciso que pesquise mais antes de falar bobagens para seus leitores !
    Trabalho deste 2009 com polimentos e desde 2011 em parceiria com empresas aqui no Japao onde moro atualmente em que sao aplicados vitrificadores para aplicaçao dos mesmos em carros zero km nao sao usados nenhum tipo de abrasivo como citado lixas e nenhum tipo de composto polidor abrasivo .
    E fazer a vitrificaçao apos 2 a 3 anos de uso ??
    O vitrificador serve como uma proteção ao verniz original exemplo “ começa a usar colete a prova de balas depois que ja levou o tiro ?”
    Depois que a pintura vai se desgastando que se deve usar a proteção ?? Aconselho fazer pesquisas mais detalhadas para não denegrir a imagem dos profissionais da area!
    E para não tornar este site um site que vem com inverdades para com seus leitores colocando tópicos sem ao menos pesquisa-los ou com pesquisas superficiais apenas para criar um conteúdo. Fica a dica !

  • Maycon wychoski 16 de maio de 2018

    E qual essa proteção original de fabrica que vcs estão falando??? Cera?? Selante??

  • Reginaldo Affonso 16 de maio de 2018

    Essa informação que vocês passaram que é preciso lixar o veículo zero KM para vitrificar é totalmente errada sem nexo.
    E que o carro em com proteção na pintura quando sai da fábrica não procede pois o carro quando recebe a pintura ele passa por um sistema de secagem com infra vermelho e depois o polimento e segue para linha de montagem, sem nenhuma proteção.
    A vitrificação de pintura é a melhor forma de dar proteção a pintura dos veículos zero KM pois vai criar uma fina camada sobre o verniz dando proteção contra fezes de pássaro ações do tempo e nevoa de tinta caso caia sobre o carro.
    Sou proprietário de uma estética automotiva e tenho vários treinamentos com os fabricantes sobre como tratar a pintura de um veículo zero KM ou semi novo..
    Procurem uma estética automotiva para adiquirir conhecimento sobre esse assunto e reafassam essa matéria para dar informações coerentes aos seus leitores.
    Obrigado.

  • Fernando 16 de maio de 2018

    Kkkkkkkk vcs não sabem de nada. Como vão fala um negócio desses. Tem carro zero que vem riscado é bem riscado. Cansei de ver isso. Agora vcs vem me falar que é picaretagem. Kkkkk por favor. Vão se informar.

  • Anderson leal 16 de maio de 2018

    Boris

    Tu pode entender muito de mecânica , mas de pintura ti é um zero a esquerda, nunca tinha lido tanta bobagem

  • Jefferson 16 de maio de 2018

    Nunca vi tanta besteira numa matéria só…

  • João Micuci 16 de maio de 2018

    Quanta merda em uma página !
    Não sabe o que fala !
    Pelo menos estude sobre antes de falar asneira … gostaria de saber qual película que sai de fábrica ? Pois caso não saiba, quase todos os carros são polidos antes de sair da concessionária, mesmo 0km, caso o Srs não saibam, eles ficam armazenados em pátios abertos ao tempo, até 5, 6 meses no tempo … não existe lavagem que resolva um carro assim sem o mínimo de tratamento ! Quando a lixa que foi informado, não se faz mais polimentos em carros que possuem repintura com processo de lixa ! Apenas o trabalho de boinas + máquinas + produtos especificos já resolve o problema !
    Se informem antes de postar qualquer coisa e denegrirem a imagem de quem trabalha neste ramo !
    Forte abraco !

  • Jean 16 de maio de 2018

    Quanta besteira. Pelo amor de Deus.
    Pintura não deve ser cansada para depois ser protegida.

    As vezes precisa sim de uma correção (polimento/“espelhamento”) pois danos são causados no vai e vem de transporte e limpeza.

    A proteção de fábrica é o próprio verniz (no caso de tinta poliéster) que tem vida útil longa. E PODE-SE estender com aplicação de proteções profissionais. Além disso, alguns modelos estão saindo com tinta PU (single stage) que protege menos e oxida/queima mais rápido. Ou seja, perde brilho.

    Sugiro uma pesquisa aprofundada sobre o detalhamento automotivo. Ou então que não se fale sobre o que não sabe.

    Qualquer coisa, me pergunte sobre o assunto.

  • Giancarlo Casarin 19 de fevereiro de 2018

    Discordo totalmente, trabalho desde 2010 com vitrificação, nunca usei uma lixa para vitrificar um carro, existem empresas sérias no mercado que usam produtos de qualidade e existem os picaretas, quemsó querem ganhar.
    O ideal é vitrificar dentro da concessionária, esses sinais de cansaço que voce citou não vão aparecer após dois anos, pois o que irá desgastar vai ser o vitrificador, e após dois anos a proteção “de fábrica” vai estar como zero km.
    É claro que isso vai depender do produto e do método utilizado pela empresa, mas não é necessario nenhum polimento agressivo para aplicar o vitrificador, a pintura só vai precisar estar limpa e livre de qualquer defeito que possa ter ocorrido na linha de montagem, transporte, pátio ou show room da concessionaria, como riscos superficiais causados por lavagens.
    Quanto à pintura e reparos eu concordo, nenhum comprador deve aceitar qualquer reparo feito em carro zero, mas infelizmente a maioria não tem olho clínico e só descobre após algum tempo ou ao levar o carro em alguma oficina.

Deixe um comentário