Entenda: pino nenhum bate na “batida de pino”

Por BORIS FELDMAN13/03/18 às 10h58

Você acelera o carro, e ouve nitidamente um barulhinho metálico vindo do motor, um “toc- toc-toc”. Tira o pé do acelerador, ele desaparece. Pisa, lá está ele de novo! Este barulhinho é popularmente chamado de “batida de pino”, detonação, ou “grilo do motor”.

A batida de pino é perigosa, pode danificar o motor, e deve ser evitado, pois, se permanecer muito tempo, pode derreter ou furar as cabeças dos pistões. E, nesse caso, só uma retífica para reparar o motor. Com elevados custos batendo direto no bolso do dono.

Curiosamente, este barulhinho metálico não é de pino nenhum batendo em lugar nenhum. Trata-se, na verdade, de uma combustão anormal da gasolina ou do etanol, e chamada tecnicamente de pré-ignição. Mas, o que provoca o “toc-toc-toc”?

É provocado por um choque de ondas dentro da câmara de combustão. A mistura ar/combustível começa a se queimar antes da faísca na vela, gerando uma onda magnética. A faísca gera uma segunda onda. O choque entre as duas resulta no barulho metálico.

A pré-ignição (ou auto-ignição) pode ser provocada por vários motivos. Um deles pode ser por depósito carbonífero na cabeça do pistão que, com a temperatura, se torna incandescente, exatamente como um pedacinho de carvão. E provoca a explosão antes do momento correto. Ou um excesso de aquecimento do motor. Ou um combustível de baixa octanagem que não resiste à elevada taxa de compressão.

Se o carro é flex, vale também a pena verificar a sonda lambda, um sensor no escapamento que “diz” para a central eletrônica do motor qual combustível está vindo do tanque (gasolina ou etanol ). Com essa informação, a central ajusta o motor para o combustível. A octanagem do etanol é muito maior que a da gasolina e, por isso, o ponto de ignição (faísca na vela) é diferente para os dois combustíveis. Se tiver gasolina no tanque, mas a sonda lambda informar à central que tem etanol, a regulagem da ignição estará fora do ponto. A faísca pode demorar muito e permitir a combustão espontânea da mistura. E tome o “toc-toc-toc”…

A batida de pino ocorre quando a combustão começa fora de hora

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário