Museu Harley-Davidson: centenária com memória

Com 115 anos de estrada, a Harley-Davidson tem um museu que conta sua história, que começou em um barracão em Milwaukee, nos Estados Unidos

Por Teo Mascarenhas05/12/18 às 08h29

A primeira motocicleta da Harley-Davidson começou a nascer quando William Harley e o colega de escola, Arthur Davidson, começaram a testar motores na cidade de Milwaukee, estado de Wisconsin, norte dos Estados Unidos.

Das experiências, dentro de simplório barraco de madeira, acabou surgindo um monocilíndrico de 400 cm³ que foi acoplado a um quadro de bicicleta, que ficou pronto em 1903. Logo depois, para ganhar mais potência, o motor passou para 475 cm³ e, em 1904, a Harley-Davidson Motor Company inicia a produção do modelo Silent Gray Fellow (Silenciosa), com ajuda de mais dois irmãos da família Davidson. William e Walter.

Daí para frente, a marca rompeu fronteiras, ganhando fiéis admiradores por todo o mundo, incluindo o Brasil, onde atualmente produz uma extensa linha em Manaus (AM).

A Harley-Davidson também participou dos esforços de guerra, equipou policias e exércitos de todas as partes do mundo e entrou em competições, inclusive de fora de estrada. No cinema, protagonizou memoráveis cenas “holywoodianas” e, igualmente, passou por severas crises.

Entretanto, a paixão pela marca, ao redor do planeta, inclusive no Brasil se transformou em uma espécie de fervoroso culto, que passa por toda sorte de equipamentos: vestuário, acessórios, objetos de decoração, utilidades domesticas e toda espécie de quinquilharias imaginárias.

Para contar esta história e a mística das estradeiras, a marca inaugurou o Museu Harley-Davidson em 2008, na mesma cidade de Milwaukee, onde é possível reviver a sua trajetória e mergulhar na história.

A moto pioneira, chassis 00001

O museu Harley-Davidson fica em um complexo de cerca de 81 mil m², ao lado do rio Menomonee, que inclui espaços para shows e apresentações, réplica do barraco de madeira pioneiro, “muro” da fama (onde é possível fixa plaquinha com seu próprio nome), estátua em homenagem ao piloto de subida de montanha (hillclimber), exposição de modelos e a inevitável superloja de produtos e lembranças, além de um amplo restaurante com o sugestivo nome de “Motor”.

A estrela do verdadeiro “campus”, o museu, fica em um prédio especialmente projetado, em estrutura metálica, com cerca de 12 mil metros quadrados, divididos em alas temáticas. Dirigido por Bill Davidson, descendente dos fundadores, também reúne arquivos, oficina de restauração e mostras e exposições temporárias.

Confira a galeria de fotos com algumas das preciosidades expostas no museu Harley-Davidson:

Fotos Téo Mascarenhas | AutoPapo

Teo Mascarenhas

Especialista na cobertura do mercado de motocicletas e competições com mais de 30 anos de experiência.

Teo Mascarenhas

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário