Os 10 carros clássicos mais caros de 2017

Leilões de carros clássicos movimentam verdadeiras fortunas ao redor do mundo: fizemos um listão dos 10 mais caros de 2017

Por AutoPapo06/01/18 às 08h31

TREZENTOS E SESSENTA MILHÕES DE REAIS! Esse foi o total arrecadado nos leilões dos 10 carros clássicos mais caros de 2017. Há modelos para todos os gostos, mas ninguém supera a Ferrari nesse ranking: três veículos da mítica marca italiana marcaram presença no ranking. A Inglaterra é o país com mais representantes: cinco, no total.

Segundo o site Classic Driver, que fez o levantamento, apesar da cifra elevada, esse mercado está decadência há três anos. No ano passado, o total arrecadado em leilões de automóveis foi de 1,08 bilhão de dólares (R$ 3,5 bi em conversão direta).

Confira os 10 carros clássicos mais caros de 2017 vendidos em leilões:

10º – Aston Martin DB4 GT 1959

Carros clássicos mais caros de 2017: Aston Martin DB4 ficou em 10°

Os 6,76 milhões de dólares (R$ 21,83 milhões) pagos pelo DB4 GT 1959 o colocam em 10º no ranking dos carros clássicos mais caros de 2017. Ele foi o único produzido com essa especificação e foi completamente restaurado. Entre os seus donos anteriores está o ator Rowan Atkinson, o Mr. Bean, um entusiasta dos automóveis.

9º – Jaguar E-type 3.8 Lightweight 1963

Carros clássicos mais caros de 2017: Jaguar em nono lugar

O que se destaca neste modelo é a pouca quilometragem acumulada nos 55 anos desde que foi produzido: 6.400 km rodados.  Leiloado por 7,37 milhões de dólares (R$ 23,87 milhões), teve apenas 12 unidades produzidas, o que o torna mais raro que as Ferrari 250 GTO contra as quais competiu (tendo sucesso com alguma frequência).

8º – Bugatti Type 57S Cabriolet 1937

Carros clássicos mais caros de 2017: Bugatti Type 57 conversível

A exclusividade é uma das marcas deste Bugatti Type 57S: o modelo foi apenas um dos quatro feitos com carroceria conversível pelo encarroçador Vanvooren. Outra característica marcante é o fato de não ter passado por nenhuma restauração em todos estes anos, com chassi, motor e caixa de marchas originais. Talvez isso justifique o valor de 7,7 milhões de dólares (R$ 24,94 milhões), o que o coloca em oitavo no ranking dos clássicos mais caros de 2017.

7º – Jaguar E-type 3.8 Lightweight 1963

Carros clássicos mais caros de 2017: Jaguar E-Type completou poucas voltas em Le Mans

Sim. Outro Jaguar. No leilão deste, o vendedor perdeu cerca de 1 milhão de dólares. Isto aconteceu, pois, em um primeiro leilão, o valor atingido foi recusado. Depois, o Jag acabou sendo arrematado por 8 milhões de dólares (R$ 25,92 milhões). Nas 24 Horas de Le Mans de 1963, conseguiu completar apenas oito voltas. Mais tarde foi utilizado em competições nos EUA, sem resultados expressivos.

6º – Ferrari 250 GT Berlinetta Lusso 1961

Carros clássicos mais caros de 2017: Ferrari 250 GT obteve alto valor

Extremamente qualificada, detentora do certificado Ferrari Classiche e Cavallino Classic 2016, a 250 GT Berlinetta Lusso 1961 leiloada por 8,30 milhões de dólares (R$ 26,89 milhões) foi a 110ª de 165 unidades produzidas do modelo e uma das 90 com a especificação Lusso. Mesmo figurando entre os carros clássicos mais caros de 2017, ela foi uma das mais baratas do mesmo tipo já vendidas.

5º – Porsche 917K 1970

Carros clássicos mais caros de 2017: 917K foi o Porsche mais caro de todos os tempos

O valor de 14,08 milhões de dólares (R$ 45,61 milhões) pagos pelo 917K 1970 se tornou o recorde de um veículo da Porsche em leilões. O modelo foi utilizado pela marca alemã no desenvolvimento da linha 917. Apesar de ter feito a melhor volta em Le Mans no ano nunca competiu. O valor elevado se deu pelo fato de ter sido usado na produção de Le Mans, filme de 1971, com o eterno Steve McQueen.

4º – Ferrari 275 GTB Competizione 1966

Carros clássicos mais caros de 2017: Ferrari está entre as mais caras

Esta Ferrari vendida por 14,52 milhões de dólares (R$ 47,04 milhões) foi uma das 12 unidades da 275 GTB produzidas para competir. Completamente restaurada, ela ostenta seu motor original, chassi e fina carroceria, ambos produzidos em alumínio. Seu estado é tão impressionante, que no Pebble Beach Concours d’Elegance de 2007, última vez em que foi exposta, obteve 99 pontos.

3º –  McLaren F1 1995

Carros clássicos mais caros de 2017: McLaren F1 é um clássico de menos de 30 anos

Apesar de ter sido fabricado há pouco mais de 20 anos, o McLaren F1 se tornou quase instantaneamente um mito. A unidade leiloada, que fez o modelo figurar no ranking dos carros clássicos mais caros de 2017, foi arrematada por 15,62 milhões de dólares (R$ 50,6 milhões). Este F1 é o primeiro de apenas sete “tropicalizados” para rodar nos Estados Unidos e o 44º das 64 unidades produzidas do modelo. Foi vendido pelo seu primeiro dono e nunca passou por nenhum tipo de upgrade (como se precisasse).

2º – Ferrari 250 GT LWB California Spider Competizione 1959

Carros clássicos mais caros de 2017: esta unidade de Ferrari custou quase US$ 18 milhões

Nós falamos deste leilão no AutoPapo. O chassi 1451 GT do modelo foi o segundo de apenas oito unidades produzidas com carroceria de alumínio e especificação de corrida. Negociada por 17,99 milhões de dólares (R$ 58,28 milhões), essa Ferrari ficou em quarto lugar na classificação geral nas 24 Horas de  Le Mans em 1959.

1º – Aston Martin DBR1 1956

Carros clássicos mais caros de 2017: Aston Martin DBR1 foi o carro mais caro de 2017

Vendido por 22,55 milhões de dólares (R$ 73,06 milhões), o DBR1 se tornou o carro britânico mais caro vendido em um leilão – o sétimo no ranking de carros clássicos mais caros de todos os tempos. A unidade negociada era o chassi número 1 do modelo e foi pilotado por lendas como Carroll Shelby, Jack Brabham, Roy Salvadori e Sir Stirling Moss. Foi a primeira vez que um DBR1 foi a leilão. Uau.

Fotos: Divulgação

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Franco Vieira 8 de janeiro de 2018

    Todos muito especiais, mas um Bugatti com mais de 80 anos, e câmbio/ motor originais, NUNCA RESTAURADO, é de babar!!!! Imaginem, esse carro testemunhou a Segunda Guerra, e tá aí firme e esbelto, quanta coisa já se passou com esse carro, mesmo que ficasse guardado. São muitos anos de cuidado e dedicação….. A gente pra cuidar dos nossos carrinhos de 5/10/15/20 anos sofre, com as intempéries do tempo, as pessoas que não dão o mesmo valor, vandalismo….etc.
    É digno de muita admiração esse Bugatti!

Deixe um comentário