Mais potente, o AMG da Brabus

Por Roberto Nasser06/04/18 às 19h03

AMG, sabem os interessados em automóveis, é cinquentenária empresa alemã especializada em melhorar rendimento dos Mercedes-Benz. Comprada pela fabricante, hoje é marca independente. Brabus é desenvolvedora independente, também alemã, e resolveu melhorar o E63 4Matic criado pela AMG. A partir de seus  571 cv de potência, torque máximo de 750 Nm (76,5 kgfm), e aceleração de 0 a 100 km/h em 3,2 segundos, apresentou seu modelo E63 Brabus 800.

Reformulou-o, trocou os dois turbos e conseguiu midiáticos 1.000 Nm (102 kgfm) de torque, e potência de 800 cv. Acelera de 0 a 100 km/h em 3,0 segundos – ganho de 0,2 s -, e a velocidade final é cortada aos 300 km/h. Tal cavalaria e disposição exigiram reacertar refrigeração do motor, suspensão e freios, mudança nas relações do câmbio, e limitação de torque nas três primeiras marchas para evitar patinar em falso nas quatro rodas.

Para reduzir a resistência aerodinâmica aplicou spoiler frontal com adicionais tomadas de ar, difusor na traseira, e rodas de 20 ou 21”. Garantia de dois anos ou 100.000 km. Afim? Ligue para a representante Strasser (011. 2592-3009) para compra da solitária unidade destinada ao mercado nacional, entregue a partir de julho.

Preço? R$ 1.625.800. Isto, R$ 1.625.800.

Singularidades e dúvidas: 0,2 segundos a menos num 0 a 100 km/h é uma piscada de olhos. R$ 880 mil pedidos pelo trabalho feito sobre o automóvel de R$ 736 mil para economizar o tempo de uma piscada? Dono do poderoso cheque terá dotes para conduzir bicho de reações tão rápidas? Está em moda dizer desaforo a dinheiro?

Brabus 800: um Mercedes muito bruto
Foto Brabus | Divulgação

VW lançará T-Cross em um ano

Utilitário esportivo sobre a base de Polo/Virtus, o T-Cross foi confirmado por Pablo Di Si, o presidente da Volkswagen, em evento para anúncio de investimentos de R$ 2 bilhões no ajuste da fábrica de São José dos Pinhais, PR, e desenvolvimento do produto. Tal processo tomará 12 meses. A grosso modo o T-Cross é irmão menor do Tiguan.

Maneira industrial de fazê-lo inclui adequar a fábrica ao novo ciclo, o Indústria 4.0, onde máquinas se comunicam com máquinas e autopartes, agilizando a montagem e implementando a qualidade, com ganhos gerais em todas as etapas do processo industrial.

Automóvel será desenvolvido sobre a plataforma MQB – matriz modular transversal -, estrutura permitindo alteração de medidas para fazer veículos com tamanhos variados, padronizando as fábricas VW em todo o mundo. É a base do Golf, Polo e Virtus – e será do novo Gol.

Fazer um utilitário esportivo inclui-se na arrancada da Volkswagen visando retomar liderança de vendas, perdida por fatores vários, incluindo não dispor de SAV ou SUV para participar do segmento de maior crescimento no mercado.

Após 54 anos, Ford traz o Mustang

Sucesso e referência icônica desde seu lançamento ao meio do distante ano de 1964, o Ford Mustang lançou mundialmente seu criador Lee Iacocca, fez história própria, foi personagem de filmes exibindo sua disposição, como Bullit, com o ator Steve McQueen em 1968. Mas nunca foi importado pela Ford ao Brasil. Unidades aqui aportadas o foram por importadores, revendedores, particulares.

Agora, a companhia quer mudar a escrita, pois a nova geração foi criada sob o rótulo de Glocal, síntese de pretensão global sem perder a peculiaridade local. Esta se funda nas linhas inspiradas no ícone de 1967, o carro de Bullit; na evolução da mecânica, sem perder o brutalismo da engenharia estadunidense, mas evoluindo aos apelos mundiais – motor V8 com bloco em alumínio, camisas esculpidas e tratadas para endurecimento; 32 válvulas, epicurismo mecânico a arrancar 466 cv de potência em 5,0 litros de cilindrada. Transmissão automática de 10 marchas, eixo traseiro multi link, freios de grife, italianos Brembo. Muita conectividade.

Novos cavalos tem estamina: 0 a 100 km/h em parcos 4 segundos; velocidade final cortada a 250 km/h. Pacote muito superior ao concorrente Chevrolet Camaro, motor maior, menos potência e maior preço. O Mustang custa R$ 300 mil, e num trabalho para demonstrar cuidados, tem pacote de revisões sem sobressaltos, contratados à média unitária de R$ 1.000.

Virá, por enquanto, apenas a versão GT Premium. Primeiro lote já se foi, em processo de revisão para entrega. Pretendentes devem ir a um distribuidor Ford, encomendar, aguardar para receber, contar aos amigos.

Sem lançamentos, sem renovar o Focus feito na Argentina, ou o Fusion então mexicano, importar o Mustang é oferecer atração extra aos salões dos revendedores da marca, assustados com os sinais de hesitação da companhia no momento.

Roda-a-Roda

Picape – Informações periféricas à JAC dizem, enfim empresa importará sempre anunciados picapes da marca. Configuração típica do mercado nacional: cabine dupla, tração nas 4 rodas, motor diesel. Linhas de geração anterior, potência menor, porém preço atrativo, uns R$ 99.999.

Foto Jac | Divulgação

SAV – JAC mais vendido é o utilitário esportivo T40, e versão CVT, de transmissão automática a ser lançada em maio, projeta dobrar vendas.

Láurea – Novo Polo eleito Carro Urbano no World Car of the Year. Júri com 80 jornalistas representando 24 países. É o sexto prêmio da empresa neste colegiado. No Brasil foi o mais premiado em 2017.

Líder – Sedã médio mais vendido do Brasil chega como linha 2019 em versões GLi 1,8 litro, acabamento em couro e transmissão Multi-Drive; XEi; XRS e Altis no topo, todas 2,0 litros. Novidades maiores, conteúdo e redução de preços, iniciando em R$ 89.990, para acirrar a competição no segmento.

Quanto – GLi Couro 89.990; XEi 105.690; XRS 111.270; Altis 118.800. Mudança indica Toyota correr nos preparativos para acertar produção do substituto do Corolla, baseado em plataforma de múltipla feição, ao Salão do Automóvel, outubro/novembro.

 – Honda mudou ponto de vista em alguns dias. Aos 20 de março, em jantar com meia dúzia de jornalistas, declarou manter fechada a fábrica nunca operada em Itirapina, SP. Nesta semana informou, vai faze-la funcionar, dividindo com Sumaré, SP, produção de Fit e variações City, HR-V e WR-V.

Crochê – Adquirindo a Neobus, Marcopolo, multinacional brasileira de ônibus, inicia produzir micro Volare nas instalações da associada, em Ana Rech, RS. Operação por novas ferramentas operacionais, sistemas Kaisen e Just in Time.

Novidade – Ford trouxe ao Brasil o FordPass. Gracioso, baixado na App Store ou Google Play, para proprietário – ou não da marca. Permite comparar preços de combustíveis, estacionamentos, restaurantes, lazer, saúde, agendar serviços nos distribuidores Ford. Tem mais de 3 milhões de acessos.

Futuro – Artigo da agência econômica Bloomberg projeta, em 2025 carros elétricos custarão menos relativamente aos grandes SUVs. Razões, queda de 50% nos preços das baterias e, por menor peso, redução de uso de aços, substituídos por plástico.

Aqui – Solução para elétricos no Brasil será geração, pelos consumidores, de sua energia a partir da solar. Ninguém espere haver orçamento público para tal produção, ou para a estrutura necessária a fazer funcionar carros autônomos.

Idade – Relatório do Sindipeças – união dos auto partistas -, indica aumento na idade média da frota veicular circulante, agora nove anos e sete meses, 11% mais velha ante 2013.

Solução – Meio para melhorar seria projeto de Renovação de Frota, para evitar outro sempre lembrado por argentários burocratas – aumentar o IPVA ou criar taxa de circulação com valor crescente relativamente ao ano do veículo.

Lei – Findo o vigor do programa Inovar-Auto, e seu adicional de 30 pontos percentuais sobre o IPI, importadores insuflaram encomendas. Vendas da JAC, relativamente ao primeiro trimestre de 2017, cresceram 48,8%. Está entre as cinco de maior crescimento.

Cautela – Latam é, para mim, a falta de opção, após a queda na qualidade dos serviços com a proibida aquisição de empresa aérea nacional, a TAM, pela chilena LAN; a gestão do programa de milhagem variando com a vontade da empresa, sempre em prejuízo do consumidor; o reduzido espaço entre bancos para forçar pagar diferença por área antes normal.

Lacre – Certeza da decisão, senti último final de semana: precisava de lacre para a bagagem, mas a companhia não fornece. Cautela para comprovar eventual desaparecimento no conteúdo é declaração de valor ou conteúdo, mas isto, informaram incomodados atendentes, é apenas no sítio da empresa – possível apenas ao final da viagem. Na prática suprime a possibilidade de prova. Não respeitam o consumidor, e o espantam. Quem não gostar reclame na empresa – no Chile.

Contração – Ao contrário da expansão prevista pela liberação de voos entre Brasil e EUA, American Airlines (controlada pela United Airlines), anunciou acabar com os voos partindo e chegando de Belo Horizonte. Supressão aumentará consumo de combustível e emissão de poluentes.

Antigos – Evento mais movimentado do país, com excepcional feira de peças e vendas de veículos, o Encontro Brasileiro de Autos Antigos terá 5ª edição entre 28 de abril e 1 de maio. Organizadores Mingo e Junior Abonante acreditam expor 800 veículos. Mais? www.encontroaguasdelindoia.com.br

SOBRE

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário