C4 Lounge 2019 custa a partir de R$ 93.920

Sedã médio da Citroën passou por reestilização, ganhou novos equipamentos e teve o número de versões reduzidas; top de linha está tabelada em R$ 102.790 e PcD em R$ 69.990

Por Alexandre Carneiro14/03/18 às 15h26

A Citroën lançou nesta quarta-feira (14) o C4 Lounge 2019. Não espere, porém, por uma nova geração. O sedã passou apenas por uma reestilização que alterou, principalmente, a dianteira, com faróis, grade e para-choque redesenhados. No mais, há apenas novas rodas e lanternas traseiras com leiaute interno refeito e luzes de LEDs.

citroen c4 lounge 2019

O fabricante afirma que a reestilização foi feita em conjunto pelos departamentos de estilo da França, do Brasil e da China. Pode até ser, mas o fato é que o país asiático foi o primeiro a receber o C4 Lounge com novo visual, há cerca de um ano. Talvez seja só uma impressão inicial, mas as novas linhas da dianteira aparentam ser um tanto carregadas e ornadas com cromados demais.


A Citroën informa ainda que o novo para-choque deu ao veículo um ângulo de ataque maior. Isso, em tese, é útil ma hora de transpor valetas, quebra-molas ou entradas de garagens, pois reduz a incidência de raspões contra o solo. Porém, a marca francesa não afirma exatamente o quanto esse ângulo foi modificado.

Por dentro, também ha poucas mudanças. O C4 Lounge 2019 ganhou uma nova central multimídia com tela touch de 7 polegadas, que incorpora os comandos do ar-condicionado. Compatível com as tecnologias Apple CarPlay e Android Auto, o equipamento permite espelhar celulares. Já o quadro de instrumentos passou a ser digital, mas traz uma tela simples, sem tecnologia TFT ou opções de personalização.

Além dessas alterações, a Citroën aproveitou para enxugar a gama. Agora, são apenas duas versões voltadas para o público geral. A primeira é a Feel, que vem equipada com quatro airbags (frontais e laterais), controles eletrônicos de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, interior revestido em couro, ar-condicionado com duas zonas de temperatura e rodas de liga leve de 17 polegadas, pelo preço de R$ 93.920.

A top de linha é a Shine, que, segundo o fabricante, deverá ser a mais vendida. Ela acrescenta airbags do tipo cortina (totalizando seis bolsas), teto solar, chave presencial com botão de partida e rodas com acabamento diamantado, além de faróis full-LED, novidade da linha 2019. O preço é de R$ 102.790.

Público PcD

Há ainda uma versão exclusiva para vendas com isenção fiscal ao público PcD. Batizada de Live, ela é menos equipada: os bancos são revestidos em tecido e as rodas de liga leve de liga leve têm 16 polegadas. A central multimídia também é um pouco mais simples, sem câmera de ré e navegador GPS, mas as demais funções foram mantidas. O preço é significativamente mais baixo, tabelado em R$ 69.990.

Pós-vendas

Aproveitando o lançamento da linha 2019 do C4 Lounge, a Citroën anunciou um programa de fidelização de consumidores, batizado de “Novo de Novo”. A empresa oferece ainda serviço de assistência com reboque gratuito durante oito anos e revisões com preços fixos. A ideia é melhorar a imagem no pós-vendas, atual fantasma das marcas do grupo PSA.

Como o C4 Lounge 2019 anda

Na parte mecânica, absolutamente nada mudou no C4 Lounge 2019. Suspensão, direção, câmbio e motor não passaram sequer por uma recalibragem. Por isso, o comportamento dinâmico é o mesmo de sempre. Isso não chega a ser exatamente o defeito, pois o sedã já era agradável de dirigir.

O maior destaque ainda é o motor 1.6 THP, sigla para Turbo High Pressure, devido ao emprego de injeção direta e turbocompressor. Capaz de desenvolver 173 cv de potência com etanol e 166 cv com gasolina, além de 24,5 kgfm de torque com ambos os combustíveis, esse propulsor sobra para o veículo, principalmente nas planíssimas autoestradas argentinas, onde ocorreu o test-drive.

O bom desempenho do C4 Lounge, porém, não faz dele um esportivo. A suspensão é um tanto macia, ao passo que o câmbio troca as seis marchas de modo suave: o motorista pode comandá-lo sequencialmente, mas apenas dando toques na alavanca, pois não há paddle-shifts. É um carro rápido, mas não empolgante, o que não deixa de ser coerente diante de sua proposta familiar.

Frente aos concorrentes mais atuais, o interior do sedã da Citroën não impressiona. Todavia, tampouco faz feio: correto, o acabamento inclui emborrachamento no painel e arremates caprichados. O espaço é amplo inclusive no banco traseiro, onde há dois difusores de ar-condicionado.

Entre as novidades, a central multimídia foi aprovada. Completa e de uso intuitivo, ela alinha o carro com os concorrentes. Já o quadro de instrumentos digital constitui uma mudança, mas não uma evolução. Sua tela é simplória para a categoria e ainda dificultou a leitura do conta-giros, formado agora por barrinhas horizontais que vão se acendendo ou se apagando a cada 500 rpm.

Fotos Citroën | Divulgação

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário