Combustíveis iniciam setembro com preços em alta

Depois de 11 semanas em queda, valor do etanol apresenta alta; subvenção do diesel acaba e gasolina também fica mais cara

Por Laurie Andrade03/09/18 às 13h18

O preço dos combustíveis apresentou alta na última semana de agosto – e setembro chega sem perspectiva de melhora. Depois de 11 semanas seguidas de queda, o etanol teve alte de 0,2%. A gasolina, por sua vez, está 0,38% mais cara que nos sete dias anteriores. Os dados não consideram, ainda, a notícia de que uma nova greve dos caminhoneiros está por vir. O até então boato foi espalhado como reação a alta de 13% que o diesel sofreu na última sexta-feira (31).

Combustíveis em números

A gasolina terminou a semana custando aproximadamente R$ 4,44 – primeira alta em mais de um mês. No acumulado do ano, o derivado do petróleo subiu 8,5%. O preço do combustível nas refinarias bateu R$ 2,1704 por litro, um novo recorde.

O diesel começa setembro com alta de 0,05%, custando R$ 3,373 por litro, em média. Em 2018, o preço do óleo diesel acumula alta de 1,4%. Vale ressaltar que na semana passada terminou o prazo de congelamento do preço do combustível nas refinarias, realizado pela Petrobras em acordo os caminhoneiros, em maio.

Na sexta-feira, o valor do combustível aumentou 13% e passou para R$ 2,2964 por litro nas refinarias.

Desde a véspera dos protestos, o valor médio do diesel calculado pela Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP) caiu 6%, ou cerca de R$ 0,22. O valor previsto pelo acordo entre o governo e os caminhoneiros para encerrar a paralisação foi de recuo de R$ 0,46.

Pela primeira vez nas últimas semanas, preço dos combustíveis está em alta. Setembro começa com filas nos poços e sem perspectiva de melhora.
Foto Shutterstock | Reprodução

O valor do etanol passou para R$ 2,626, representando uma alta de 0,2% sobre a semana anterior. No ano, o único dos combustíveis que apresentou queda foi o etanol. No acumulado, a diminuição acumulada foi de 9,8%.

Os dados são da ANP e consideram a média dos preços dos combustíveis no Brasil.

A ANP apresentou tabelas com os novos valores de preço de referência (PR) do diesel calculados pela fórmula na Resolução nº 743/2018, bem como os Preços de Comercialização (PC), resultantes da subtração de R$ 0,30/litro, como determinado pelo programa de subvenção de acordo com Medida Provisória Nº 838/2018. Veja.

3 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Wilson Albuquerque 24 de outubro de 2018

    “Em 2018, o preço do óleo diesel acumula alta de 1,4%.” De onde vcs tiraram esses dados ?? Pelas minhas contas o valor do diesel nos postos subiu 52,5 % de julho/2017 até Julho/2018.

  • Marcus 3 de setembro de 2018

    O Brasil deve ser o único país no mundo que uma empresa tem o monopólio do refino de petróleo e ainda tem autonomia para determinar os preços ao mercado.
    E sendo mais de 50% capital estatal.
    Por isso que não veremos tão cedo carros elétricos em nossas ruas e logo estaremos pagando 8,00 no litro da gasolina. A petrobras tem muito corrupto para enriquecer!

    • Rogerio 3 de outubro de 2018

      Espero ver essa empresa quebrada. Pq ela esta nos quebrando!!!!

Deixe um comentário