Fading: efeito perigoso é evitado com o uso do freio motor

Até mesmo veículos novos ou com a manutenção rigorosamente em dia estão sujeitos a esse fenômeno, caso o condutor não adote boas práticas de direção

Por Alexandre Carneiro 23/06/19 às 15h00

Um efeito indesejado e perigoso que pode acontecer com o sistema de freios do carro é chamado de fading. Há quem prefira usar um termo em português e classificá-lo como fadiga. As duas palavras designam o mesmo fenômeno, que é bastante perigoso.

Daniel Lovizaro, gerente de Assistência, Serviços e Treinamento Técnico Automotivo da Bosch, explica como a fadiga dos freios acontece. “O fading ocorre quando a temperatura da pastilha e do disco supera a temperatura de trabalho máxima que eles suportam. Aí, o coeficiente de atrito diminui, e o sistema não consegue gerar força de frenagem”, declara.

Boris explica sobre o fading do freio de carro: assista ao vídeo!

A fadiga pode acontecer se o motorista acionar o pedal de freio ininterruptamente por longos períodos. Ao trabalhar seguidamente, sem intervalos para que haja refrigeração, o sistema superaquece. Até mesmo veículos novos ou com a manutenção do freio rigorosamente em dia estão sujeitos a esse efeito.

O fading tem maior propensão a ocorrer em longas descidas de serra, com o veículo carregado. Os efeitos são logo percebidos a bordo: “Os freios não surtem efeito. O motorista não sente qualquer alteração no pedal, que estanca normalmente, mas o veículo não perde velocidade”, explana o especialista.

Falta de manutenção adequada no sistema de freios também torna o sistema mais sensível ao fading. O fluido de freio precisa ser trocado periodicamente, pois é higroscópico, ou seja absorve água. A umidade abaixa o ponto de ebulição desse componente, o que o faz entrar em ebulição  rapidamente, provocando o fadiga.

Dicas para evitar o fading nos freios

A boa notícia é que a fadiga é facilmente evitável: isso depende somente de boas práticas de direção. “Não se pode colocar o carro em ponto morto (no caso de modelos com câmbio manual) ou neutro (no caso dos automáticos) nessas situações. O motorista deve usar o efeito dinâmico do freio motor”, indica Lovirazo.

Outra das dicas do gerente da Bosch é engatar, em declives, a mesma marcha que seria utilizada em aclives de igual inclinação. Outrossim, cabe destacar que, em veículos automáticos, o condutor também pode reduzir ou fazer a transmissão utilizar as marchas mais fortes. Vale lembrar ainda que ultrapassar a capacidade de carga do veículo também pode causar o fading nos freios.

Pisar no pedal de freio por longos períodos pode causar fading

Após sofrer os efeitos da fadiga, o freio de carro volta a funcionar corretamente ao atingir as temperaturas ideais de trabalho. Em outras palavras, o sistema volta à performance normal depois de ser refrigerado, sem quaisquer consequências. “Se forem utilizados componentes de baixa qualidade, o fading pode ocasionar a vitrificação dos discos. Mas, usando materiais de primeira linha, não há problemas decorrentes”, conclui Lovirazo.

Foto Shutterstock | Reprodução

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (11 votos, média: 4,64 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Daniel Souza 23 de junho de 2019

    Faltou falar do Fading de fluido, que pode ser evitado com a troca do mesmo, muitas vezes esquecida ou feita de forma inadequada.

    • Alexandre Carneiro
      Alexandre Carneiro 24 de junho de 2019

      Olá, Daniel!
      Caro, citamos rapidamente a questão da necessidade de troca do fluido porque já temos uma matéria completa sobre a manutenção do sistema de freios. Nela, constam explicações mais detalhadas sobre esse assunto. O link para essa matéria foi disponibilizado ao longo do texto.
      Abraço e obrigado por comentar!

Avatar
Deixe um comentário