[Impressões] Como é o desempenho do Gol automático?

Automático de verdade, Gol agrada quem procura conforto; motor 1.6 16V dá bom desempenho para o veterano da Volkswagen

Por Sérgio Melo27/07/18 às 12h14
De Taubaté (SP), especial para o AutoPapo

A Volkswagen já havia lançado a linha 2019 do Gol e do Voyage há alguns meses. E, na ocasião, frustrou quem os esperava com câmbio automático. Ambos já foram oferecidos com o automatizado de monoembreagem I-Motion (ou ASG), mas, como é de praxe para esse tipo de transmissão, nunca agradou ao mercado. Agora,a marca lançou o Gol automático (e o Voyage) com a caixa de marcha Tiptronic de seis velocidades.

Gol automático tem motor 1.6
Foto Volkswagen | Divulgação

Automatizado x automático

O automatizado jamais passou de uma transmissão manual com atuadores que acionam a embreagem e passam as marchas para você. O grande problema dele, que gera os famosos solavancos nas mudanças, vem do fato de que, na hora de mudar de marcha, o sistema tem que desacelerar o motor antes de acionara embreagem, para que ele não “dispare” enquanto o processo é concluído, dificultando o engrenamento e causando trancos ainda maiores.

Mesmo no trânsito normal a desaceleração nas mudanças não é agradável. Por isso a vantagem da automática convencional! Como as mudanças não são feitas pela separação e reconexão de engrenagens, mas sim pela frenagem de certos elementos, isso, juntamente com o conversor de torque que faz a transmissão da força do motor de forma suave e escorregadia por meio do fluido contido dentro dessa peça. Assim, as mudanças podem acontecer sem interrupção da transmissão de força e de forma mais rápida do que no sistema automatizado.

Gol automático tem bom desempenho
Foto Volkswagen | Divulgação

E o Gol automático? É bom?

Durante o primeiro contato com o Gol automático, a transmissão Tiptronic, com borboletas no volante para trocas sequenciais e opção modo “sport”, se mostrou bastante ágil e bem escalonada, mas poderia ser mais suave. As mudanças são ligeiramente duras e agressivas.

Merece elogios o sistema que interrompe a transmissão de força às rodas em paradas. Acabou aquela sensação de que o veículo está fazendo força contra o freio, ansioso por voltar a andar, o que também ajuda e reduzir o consumo. É como se a caixa fosse colocada automaticamente em neutro: assim que você solta o pé do freio ele volta a tracionar rapidinho. Mas o gerenciamento poderia ser mais inteligente, com reduções mais espertas ao acionar o freio em descidas, para maior segurança e estabilidade.

Por outro lado, ao pisar fundo no acelerado, o VW Gol automático não se comporta de forma preguiçosa como certos concorrentes. Reduz logo várias marchas colocando o motor em altas rotações.

O Gol automático (assim como o Voyage) é equipado exclusivamente com motor 1.6 16 válvulas de 120 cavalos de potência. Durante o test drive, mostrou ligeira sobra de potência para o uso familiar, mas ele só apresenta maior vigor após as 4.000 rpm; consequentemente, o isolamento acústico não consegue manter o ruído fora do habitáculo.

Fotos Volkswagen | Divulgação

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Paulo Hanauer 29 de julho de 2018

    A redação precisa rever os erros de português antes de publicar a matéria.

Deixe um comentário