[Impressões] L200 Triton Sport agrada na terra, mas peca no asfalto

Linha 2019 da picape da Mitsubishi traz novo leque de versões, grade frontal foi redesenhada, mas apenas na configuração top de gama

Por Alexandre Carneiro 26/04/18 às 16h17

O visual da atual geração da L200, que ganhou os sobrenomes Triton Sport, sempre gerou polêmica: há quem associe o aspecto das tomadas de ar frontais e os faróis e lanternas espichados a um estilo indiano. A Mitsubishi nunca comentou esse assunto, mas a linha 2019 da picape já parece trazer uma resposta aos críticos: uma das novidades é a versão HPE-S, que assumiu a posição de top de linha e adotou uma grade exclusiva, mais convencional, com filetes horizontais.

Talvez para testar a receptividade do público, o novo elemento visual, ao menos por enquanto, é restrito à configuração mais cara. O restante da gama segue sem mudanças estéticas. Porém, se no design a linha mudou pouco, mercadologicamente há alterações relevantes. Isso porque a Mitsubishi rearranjou o leque de versões: agora, há uma alternativa exclusiva para frotistas, a básica GL, além de uma nova opção intermediária com câmbio automático, a GLX.

Linha 2019 da Mitsubishi L200 Triton Sport

Ao todo, a linha da picape L200 passa a contar com cinco versões. Todas têm o mesmo motor, tração 4×4 e cabine dupla com caçamba (não há opção de cabine simples ou de chassi-cabine). O câmbio, porém, varia: enquanto as duas primeiras configurações têm transmissão manual de cinco velocidades, as três últimas adotam uma caixa automática, com o mesmo número de velocidades. Confira os preços da gama:

Versão Preço (R$)
L200 Triton Sport GL 120.990
L200 Triton Sport GLS 126.990
L200 Triton Sport GLX 137.990
L200 Tritin Sport HPE 154.990
L200 Triton Sport HPE-S 174.990
Linha 2019 da Mitsubishi L200 Triton Sport

Em relação aos equipamentos, a L200 Triton Sport HPE-S adotou uma central multimídia com mais funções, entre as quais conexão com Android Auto e Apple Car Play, áudio streaming e conexão WiFi para os aplicativos como Waze e Spotify. No mais, o pacote é o mesmo da extinta versão HPE Top, que inclui controles eletrônicos de estabilidade, tração e estabilização de reboque, sete airbags (frontais, laterais, do tipo cortina e para os joelhos do motorista), chave presencial com botão de partida, faróis bixenon com luzes diurnas de LEDs, câmera de ré e bancos em couro, sendo que o do motorista tem regulagens elétricas.

Impressões

O fato de não trazer novidades técnicas não desabilita a Mitsubishi L200. Afinal, a atual geração ainda é relativamente nova: está há apenas dois anos no mercado brasileiro. O motor, adotado em 2016, justamente quando a atual geração foi lançada, é um moderno 2.4 a diesel (na verdade, são 2.442 cm³), com turbocompressor de geometria variável, quatro cilindros e 16 válvulas com comando variável. Tem bloco e cabeçote de alumínio e desenvolve 190 cv de potência e 43,9 kgfm de torque.

Linha 2019 da Mitsubishi L200 Triton Sport

Além disso, honrando a tradição off-road da marca japonesa, a L200 Triton Sport tem um dos sistemas de tração mais completos da categoria. Os recursos para encarar locais de difícil acesso incluem, além de reduzida, bloqueio dos diferenciais central e do eixo traseiro. Não há limite de velocidade para rodar com o 4×4 acionado, de modo que esse recurso pode ser usado também no asfalto.

Porém, nem tudo é perfeito. O câmbio automático de apenas cinco velocidades está datado, uma vez que todas as concorrentes dispõem de pelo menos seis. Mais marchas permitem aproveitar melhor a força do propulsor, fazendo-o trabalhar sempre na faixa de rotação mais adequada. Pelo menos há paddle-shits na coluna de direção para comandar a transmissão de modo sequencial. Já a assistência da direção é hidráulica, e não elétrica, que vem dominando o mercado por não precisar de potência do motor para funcionar.

Fôlego de sobra

A reportagem experimentou a versão top de linha HPE-S em um trajeto de aproximadamente 70 km preparado pela Mitsubishi, dos quais 50 km eram formados por vias rurais, sem pavimentação. Alguns trechos estavam em condições bem precárias, com muitas lombadas, erosões, desníveis e cursos dágua. Esse itinerário permitiu utilizar os quatro modos de tração: 4×2, 4×4, 4×4 com reduzida e 4×4 com bloqueio do diferencial.

Linha 2019 da Mitsubishi L200 Triton Sport

Apesar das más condições, a picape “sobrou” no percurso, transpondo os obstáculos com facilidade. Os méritos vão não apenas para a tração, mas também para a geometria da carroceria: são 22 cm de altura livre do solo, 30° de ângulo de ataque, 22° de ângulo de saída e 26º de ângulo de rampa. A capacidade de imersão é de 60 cm, e a de inclinação, de 45º.

Não é difícil concluir que o modelo poderia ter encarado desafios até maiores, como subidas e descidas mais íngremes ou pisos de menor aderência. O isolamento contra poeira e a solidez do veículo também merecem destaque. Porém, a L200 não se mostrou tão à vontade em outros habitats além do off-road. Em manobras, sua direção hidráulica é um tanto pesada, ao passo que, a 120 km/h, em rodovia pavimentada, o motor já começava a trabalhar em giros muito elevados, aumentando o nível de ruído interno e indicando que a sexta marcha faz falta. Em um trecho onde o asfalto estava mais ondulado, foi possível perceber que a suspensão transmite boa parte das imperfeições do solo para o habitáculo.

Finalizado o breve contato, fica a impressão de a Mitsubishi L200 Triton Sport é um excelente veículo off-road. Porém, um tanto rústica para quem pretende utilizá-la em trajetos mistos de terra e asfalto ou até mesmo em vias sem pavimentação em melhores condições.

Fotos Mitsubishi | Divulgação

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (1 votos, média: 5,00 de 5)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário