Luzes do carro: onde estão e para que servem os faróis e lanternas

Além de iluminar as vias, os faróis servem para melhorar a visibilidade, aumentar a segurança e contribuir para o design dos automóveis

Por Laurie Andrade03/12/18 às 17h07

Os automóveis apresentam inúmeras luzes. As lâmpadas, além de serem responsáveis pela iluminação e segurança, agora também fazem parte do design dos carros. Explicamos o que são e para que servem as principais luzes do carro: faróis e lanternas.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) descreve, no Anexo I, o que são as luzes obrigatórias dos carros:

  • Luz alta: facho de luz do veículo destinado a iluminar a via até uma grande distância do veículo.
  • Luz baixa: facho de luz do veículo destinada a iluminar a via diante do veículo, sem ocasionar ofuscamento ou incômodo injustificáveis aos condutores e outros usuários da via que venham em sentido contrário.
  • Luz de freio: luz do veículo destinada a indicar aos demais usuários da via, que se encontram atrás do veículo, que o condutor está aplicando o freio de serviço.
  • Luz indicadora de direção (seta): luz do veículo destinada a indicar aos demais usuários da via que o condutor tem o propósito de mudar de direção para a direita ou para a esquerda.
  • Luz de marcha à ré: luz do veículo destinada a iluminar atrás do veículo e advertir aos demais usuários da via que o veículo está efetuando ou a ponto de efetuar uma manobra de marcha à ré.
  • Luz de neblina: luz do veículo destinada a aumentar a iluminação da via em caso de neblina, chuva forte ou nuvens de pó.
  • Luz de posição (lanterna): luz do veículo destinada a indicar a presença e a largura do veículo.

O AutoPapo complementa:

Farol baixo

A mais utilizada entre as luzes do carro é o farol baixo, que serve para iluminar as vias à frente. Ao contrário do farol alto, essa luz não ocasiona ofuscamento e é obrigatória durante à noite, em túneis e nas rodovias. A luz baixa também pode ser utilizada para facilitar a visibilidade de outros motoristas e pedestres.

Farol alto

Tem o facho mais potente e mais alto que o farol baixo. Ilumina um trecho maior à frente do veículo e tem utilização restrita: o motorista deve desativá-lo ao cruzar com outros automóveis ou quando estiver atrás de outro carro. É que o farol alto é capaz de ofuscar a visão de outros motoristas.

Apesar de essenciais, as luzes dos carros são uma icógnita para muitos motoristas. Explicamos onde estão e para que servem os faróis e lanternas.

Luzes do carro: DRL

Os DRLs (daytime running ligths ou faróis de rodagem diurna) são dispositivos de iluminação instalados aos pares e ligados automaticamente com o acionamento do veículo. São as mais recentes das luzes do carro e auxiliam a segurança, já que aumentam a visibilidade durante o dia.

Os DRLs podem ser considerados como farol baixo nas estradas brasileiras.

Faróis de neblina

Os faróis de neblina são posicionados na parte mais baixa do para-choques. Eles possuem facho largo e têm como objetivo iluminar a via quando há neblina, facilitando a visualização das marcações. Seu uso não substitui o farol baixo.

O conjunto dos faróis de neblina também conta com a luz traseira adicional, que auxilia a alertar os motoristas que estão atrás do veículo.

Apesar de essenciais, as luzes dos carros são uma icógnita para muitos motoristas. Explicamos onde estão e para que servem os faróis e lanternas.

Farol de milha

Apesar de não aparecerem nas definições do CTB, os faróis de milha ainda estão presentes em alguns automóveis brasileiros, como a linha Adventure da Fiat. O facho estreito e potente ilumina uma distância ainda maior que a do farol alto. Assim como as luzes altas, só podem ser usados em estradas sem iluminação.

Luz de posição (lanterna)

Conhecidas como farolete, as luzes de posição são obrigatórias para embarque e desembarque, carga e descarga, e devem ser utilizadas quando o veículo estiver parado na via.

De acordo com dados apresentados pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), de janeiro a agosto de 2018, 2.295 multas foram aplicadas no Brasil por transitar com o farol desregulado ou com o facho de luz alta de forma a perturbar a visão de outro condutor. O número é maior que todas as autuações emitidas em 2017 pela mesma razão (2.121). Entenda por que a regulagem de farol é imprescindível.

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Rodrigo 10 de dezembro de 2018

    A matéria poderia (na minha opinião, DEVERIA) ser mais abrangente,,, Sequer cita os faróis/veículos que possuem assinatura luminosa em led que, quando mais fracas que as Drl’s não podem ser utilizadas nas estradas como substitutas dos faróis (C4 lounge, Ônix, Prisma, Ecosport “antiga”, etc…). Isso sim, causa muita confusão em motoristas menos informados.

Deixe um comentário