Você limpa o seu capacete? Aprenda como fazer

Não fazer a higienização do equipamento pode provocar doenças como micose e diarreia; não usá-lo aumenta o risco de morte no trânsito em 60 vezes

Por AutoPapo 29/06/18 às 13h15

Pilotar ou transportar passageiros sem capacete pode levar o condutor a perder a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A punição, no entanto, não é tão grave quanto os riscos de andar sem o dispositivo de segurança. De acordo com dados da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), a chance de um indivíduo morrer em um acidente de moto é 20 vezes maior do que a de quem está dentro de um carro. Sem o capacete, o número passa para 60 vezes. Além de utilizar o componente, para se manter saudáveis, os pilotos devem ainda fazer a higienização do capacete pelo menos uma vez por semana.

A razão para isso é que, não bastasse as estatísticas alarmantes, muitos motociclistas ignoram as recomendações de manutenção do capacete. O médico e diretor de comunicação da Abramet, Dirceu Alves, chama a atenção para a validade do componente. “O tempo de vida útil de um capacete é de aproximadamente três anos. O condutor pode conferir, dentro do dispositivo, o prazo máximo de validade. Passada a data, o capacete tem obrigatoriamente que ser trocado“.

Se o componente sofrer uma queda, da moto ou até mesmo da mão do condutor, também deve ser substituído. O médico ressalta: “qualquer trauma é capaz de fragilizar o capacete. Mesmo que não haja lesão aparente, como rachaduras, o dispositivo pode não distribuir a energia como esperado e aumentar o impacto direto, diminuindo a proteção contra um traumas cranianos”. Colocar fitas adesivas para segurar as trincas é impensável.

Os capacetes estão expostos a várias condições que podem fazer mal a saúde. Oleosidade, poluição, suor, poeira e microrganismos podem provocar doenças na pele, nos olhos e até mesmo distúrbios respiratórios. Segundo Alves, a higienização deve ser feita toda semana, independente da estação do ano. Isso porque independentemente de suar, a pele produz oleosidade. O ambiente úmido e abafado do capacete é favorável para a proliferação de micoses, mofo e bactérias.

Como limpar o capacete

O ideal é utilizar um pano úmido com sabão neutro em toda a parte de tecido do dispositivo de segurança. Nos modelos em que o forro é removível, fica ainda mais fácil. Basta lavar o tecido na máquina ou à mão. A secagem deve ser feita na sombra em um lugar ventilado. A viseira deve ser higienizada com a mesma frequência.

O CTB prevê a utilização de capacete para motociclistas e passageiros. Para proteger a saúde, condutores devem também fazer a manutenção do componente.
Foto Shutterstock | Reprodução

O protetor é de uso individual e não é recomendável emprestá-lo. O dono do capacete está adaptado aos microrganismos presentes no seu dispositivo. Outra pessoa pode não ter imunidade para os microrganismos presente nele. É possível desenvolver até mesmo doenças como diarreia ao compartilhar um capacete.

Embora seja mais fácil fazer a manutenção de capacetes sem a proteção de mandíbula ou viseira, a Abramet indica o uso do capacete integral. Os óculos de proteção combinados com esse tipo de dispositivo de segurança são permitidos pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), mas não são capazes de proteger o rosto do motociclista, que pode sofrer graves contusões em acidentes ou com a projeção de pequenas pedras.

Confira, abaixo, as especificações do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) acerca do dispositivo de segurança:

Art. 244. Conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor:

I – sem usar capacete de segurança com viseira ou óculos de proteção e vestuário de acordo com as normas e especificações aprovadas pelo CONTRAN;

II – transportando passageiro sem o capacete de segurança, na forma estabelecida no inciso anterior, ou fora do assento suplementar colocado atrás do condutor ou em carro lateral;

É Infração – gravíssima, com penalidade de multa e suspensão do direito de dirigir. Cabe ainda medida administrativa: recolhimento do documento de habilitação.

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
10 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Vitor 2 de março de 2019

    Bom dia a todos!
    Eu tenho dois capacetes mais antigos e na verdade parecem bons já troquei viseira coloquei novas porque estavam ruins pareceu ficar bom!
    Até que comprei um novo !
    Um impulse X11 e vi que capacete muito velho é mesmo perigoso!
    Posso os dois antigos que tenho já estão relaxados com muita folga na cabeça e olha quando comprei eram justos agora estão parecendo pinico qualquer vento forte entortam na cabeça o vento vai no ouvido se estiver frio é resfriado na certa!
    Tá certo que nos dias quentes o novo faz agente suar mais e o velho é mais fresco mais não tem a mesma segurança!
    Por isso já me decidi o próximo capacete vai ser um helt articulado tipo Robocop !
    E também vou comprar dois mais simples mas que tenha qualidade para rodar dentro da cidade em baixa velocidade e deixar os novos para viagens!
    Eu acho que a validade de 3 anos é exagero ou mesmo e qualquer tombô descartar o capacete também porque se se fosse tão fracos assim !
    Nem adianta usar!
    Tem que ter bom senso se já estiver um pinico na cabeça rodando ou bem ruim o certo e trocar !
    Segurança em primeiro lugar!
    Mas capacete antigo ruins ou péssimos igual eu vejo por aí é arriscado !
    E olha que os meus estão bonitos !
    Mas vou aposenta-los !
    Mais tem que ter juízo e cuidado encima de uma motocicleta o capacete só protege a cabeça independente se é novo ou antigo!

  • Avatar
    Felipe 1 de julho de 2018

    Essa controvérsia é terrível. Já fui realizar a vistoria anual de minha moto e diante dela ter passado em todos os quesitos que o agente do Detran cobrou e não ter nenhum problema ele disse que o capacete estava vencido com base na etiqueta de fabricação. Ele alegou que o impresso era a validade e não a fabricação. Pedi a legislação impressa e… não tinha! No fim das contas ele ofereceu a “validade” mas não aceitei pois sou professor e não tenho plantação de dinheiro em casa. No fim, ficou a exigência e voltei no mesmo dia a tarde, com o mesmo capacete e adivinha? Outro agente não viu problema nenhum com o mesmo capacete.

  • Avatar
    Ricardo Abreu 30 de junho de 2018

    Resolução 203 do Contran. Dê um.google e a conheça.
    Ela regulamenta q o capacete tem q ter viseira e se for a noite é obrigatório q seja cristal.
    Capacete tem q ter cinta jugular e estar funcionando bem o engate. Ela pode ser do tipo duplo D..
    Capacete tem q ter selo do Inmetro. Na ausencia deste , serve a etiqueta interna do inmetro.
    Capacete estando dentro destes quesitos , pode ter 20 anos e ser utilizado normal.
    NÃO TEM VALIDADE. NA VERDADE NUNCA TEVE.
    O q tem é realmente uma SUGESTÃO DOS FABRICANTES de ser trocado a cada 3 anos pois baseia-se na possibilidade de acidentes ou quedas q possam diminuir sua capacidade de absorção de impactos. Outra coisa : capacete q tenha estes quesitos acima , mesmo do tipo OF (OPEN FACE) ABERTO , pode ser usado em qualquer rodovia municipal , estadual ou federal.
    Nenhum PRF pode RETER , REMOVER OU MULTAR UM MOTOCICLISTA POR ESTAR COM CAPACETE ABERTO. ELE É LEGAL desde q tenha selo inmetro , viseira e cinta jufgular. Mesmo q tenha 20 anos.

  • Avatar
    Rodolfo 30 de junho de 2018

    Reportagem FAKE a validade de capacetes já não existe no Brasil, basta olhar q os capacetes tem data de fabricaçao e não mais de validade como tinham no passado.
    Quem fez essa reportagem não sabe do q fala

  • Avatar
    Aderman Bordott 30 de junho de 2018

    Depois de três anos vence e tem que trocar.
    Se deixar cair no chão comprometeu a segurança e tem que trocar… Crianças brincam e derrubam o capacete e até a gente.
    Isso é um meio que o governo tem, através dessas instituições governamentais como Imetro e outras, para movimentar o comércio e vender mais, gerando mais impostos aos cofres públicos.

  • Avatar
    Marcelo 30 de junho de 2018

    Meu capacete é importado e comprei no início de 2017. Sua data de fabricação é 2015.
    Nunca usei ainda.
    Pelo Contran, tenho que jogá-lo no lixo e comprar um Balde Nacional para por na cabeça.

    • Avatar
      Márcio vasquez 30 de junho de 2018

      Vende ele pra mim,compro vencido, segue número 11 974521827

  • Avatar
    Carlos 30 de junho de 2018

    O capacete e meu e eu troco quando eu quiser.chega dessas pseudo autoridades se meterem na vida do cidadão.

  • Avatar
    Matheus 30 de junho de 2018

    Um absurdo. Ainda tem gente que acredita no mito da validade do capacete.

  • Avatar
    44 29 de junho de 2018

    top

Avatar
Deixe um comentário