Meia-volta: 10 marcas de carros que abandonaram o Brasil

Algumas são tradicionais, como a Alfa Romeo, e outras são mais recentes, entre as quais a Geely; todas, porém, deixaram o país

Por AutoPapo25/08/19 às 11h00

O mercado nacional está longe de ser desprezível para a indústria automobilística. Atualmente, o país é o nono maior consumidor de veículos do planeta; vale lembrar que, oito anos atrás, chegou a ocupar a quarta posição no ranking global. Isso, porém, não parece ser o bastante para algumas marcas de carros, que até chegaram a atuar no Brasil, mas acabaram indo embora e nunca mais voltaram.

E não são poucas as empresas que vieram tentar a sorte no país, mas se deram mal: o AutoPapo listou nada menos que 10 delas! Algumas marcas operaram no Brasil apenas como importadoras, mas outras chegaram ao ponto de fabricar carros por aqui. Confira o listão!

1. Lada

lada niva
Lada Niva (Lada | Divulgação)

A marca soviética Lada foi uma das primeiras estrangeiras a chegarem ao Brasil depois da reabertura do mercado às importações, em 1990. Apareceram por aqui modelos como o sedã Laika, o hatch Samara e o valente jipe 4×4 Niva. Após apenas cinco anos, entretanto, a Lada deixou o país. Uma das razões é que os motores soviéticos não se adaptaram à gasolina brasileira, com muito álcool.

Apenas nos últimos anos, tem-se ouvido rumores de que a marca pode  retornar ao Brasil, trazendo um Niva totalmente atualizado, produzido através da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, que hoje controla a fabricante russa. O jipinho, inclusive, foi sondado para ser fabricado no Paraná.

2. Geely

Geely EC7 marcas de carro que deixaram o brasil
Geely EC7 (Geely | Divulgação)

A chinesa Geely é uma marca controlada pelo todo poderoso Grupo Geely, hoje dono da Volvo, Lotus, e do qual o CEO, Li Shufu, é o maior acionista da Daimler. Apesar disso, a fabricante não teve sorte no Brasil, e suas importações foram interrompidas em março de 2018. A Geely começou a ser importada para o Brasil em 2014 pelo Grupo Gandini, o mesmo que traz a Kia para cá.

Em abril de 2016, entretanto, as operações foram suspensas após apenas 1.282 unidades vendidas, e, por fim, foram finalizadas oficialmente. Segundo a Geely do Brasil, a marca se tornou uma “operação deficitária” devido ao programa Inovar-Auto. Ainda há chances, entretanto, de que a chinesa retorne ao país com vendas diretas.

3. Alfa Romeo

alfa romeo 164 1987 a 1992
Alfa Romeo 164 (Alfa Romeo | Divulgação)

A Alfa Romeo carrega uma história centenária: participou até mesmo do nascimento da Ferrari, na década de 1920. Muito depois disso, a empresa chegou ao Brasil. Tudo começou em 1960, quando a FNM (sigla da extinta estatal Fábrica Nacional de Motores) começou a produzir, sob licença, o sedã JK, que nada mais era senão um Alfa Romeo 2000 Berlina. Em 1974, o modelo foi substituído pelo modelo 2.300, que enfim adotou o símbolo da marca italiana.

Todavia, em 1986, a produção do sedã nacional chegou ao fim. Naquele ano, a empresa deixou o Brasil pela primeira vez, mas não tardou a regressar. Em 1991, durante a abertura das importações, passou a trazer seus produtos da Europa. Compuseram a gama os modelos 164, 145, 147, 155 e 156. Em 2006, entretanto, a Alfa Romeo finalizou novamente suas operações no país e não voltou mais.

4. Mazda

mazda mx-3 1991 a 1998 marcas de carro que deixaram o brasil
Mazda MX-3 (Mazda | Divulgação)

Essa tradicional fabricante japonesa nunca teve sorte no Brasil, onde ficou por 10 anos. A chegada ao país aconteceu em 1990, com a reabertura dos portos. Naquela época, trouxe os modelos MX-3, MX-5 e 626 por meio da Mesbla, gigante do varejo brasileiro que fechou as portas em 1999. Com a falência, foi embora também a marca nipônica, que não voltou mais.

Em 2017, o presidente e CEO da Mazda na América do Norte, Masahiro Moro, garantiu que não tem planos de retornar ao Brasil. “Primeiro, pelos altos impostos cobrados pelo governo brasileiro. Segundo, pelas dificuldades para estabelecermos uma fábrica no país”, detalhou ele em entrevista exclusiva ao AutoPapo.

5. Seat

gemeos seat cordoba
Seat Córdoba (Seat | Divulgação)

Um dos casos mais curiosos entre as marcas de carros que deixaram o Brasil é o da Seat. Assim como várias outras, a marca espanhola chegou ao país após a abertura dos portos, iniciando suas operações em 1995. A diferença é que, em vez de ser trazida por algum importador local, a empresa foi representada pelo próprio Grupo Volkswagen, que a controla mundialmente.

O primeiro carro da Seat a desembarcar no Brasil foi o sedã Córdoba. Depois, vieram o hatch Ibiza e até o furgão Inca e a perua Córdoba Vario. Mas nem mesmo o know-how da Volkswagen no mercado brasileiro foi capaz de garantir o sucesso desses veículos. Em 2002, após sucessivos revezes, a marca espanhola fez as malas e partiu.

6. Aston Martin

aston martin db9 marcas de carros no brasil
Aston Martin DB9 (Aston Martin | Divulgação)

Nem mesmo a icônica Aston Martin ficou de fora. Ou melhor, ficou dentro Brasil, pois está entre as marcas de carros que encerraram suas operações locais. Desde 2017, o fabricante não tem representação no país. Naquele ano, o grupo SHC, do empresário Sergio Habib, fechou a única concessionária dos superesportivos ingleses em solo nacional e parou de importá-los oficialmente.

Àquela altura, o grupo SHC representava a Aston Martin havia quase sete anos. Desde então, a marca segue sem operar no Brasil: não há nem mesmo um site oficial hospedado no país. Desse modo, atualmente, quem quer um modelo da marca deve recorrer à importação independente.

7. Changan

chana changan star marcas de carro que deixaram o brasil
Changan Star (Changan | Divulgação)

A Changan foi a primeira marca chinesa a vir para o Brasil, em 2006, quando ainda se chamava Chana. Sobre a chegada ao país, o presidente da importadora Districar, Abdual Ibraimo, acreditava no sucesso no país. “Ao contrário dos comentários iniciais sobre o nome, à época de sua apresentação no Salão do Automóvel de 2006, entendemos que o consumidor brasileiro aceitou muito bem os veículos do Chana”, disse ele à revista AutoEsporte, em 2011, quando mudou de nome.

A sorte, entretanto, durou pouco. Ao contrário de outras marcas chinesas de carros, que conseguiram se manter no mercado, a Changan não está mais presente no Brasil.

8. Daihatsu

daihatsu cuore marcas de carro que deixaram o brasil
Daihatsu Cuore (Daihatsu | Divulgação)

A japonesa Daihatsu foi outra que chegou com a reabertura das importações, trazendo Cuore, Applause e Terios em 1994. Mas as operações duraram pouco: uma alta do dólar, em 1999, fez com que ela se tornasse mais uma das marcas de carros que deixaram o Brasil.

Vale destacar que, enquanto por aqui a história da Daihatsu foi encerrada. na Ásia ela segue firme. A fabricante é especialista em carros compactos e subcompactos. Atualmente, a empresa é controlada pela Toyota, que detém 51% de suas ações.

9. Mahindra

mahindra scorpio mov 2008 marcas de carro que deixaram o brasil
Mahindra Scorpio virou o M.O.V. (Mahindra | Divulgação)

A Mahindra é a maior fabricante de automóveis da Índia. No Brasil, ela chegou pelas mãos da importadora Bramont em 2007 e chegou até mesmo a ter seus carros produzidos em Manaus. Entre eles, estava a Pik-Up e o M.O.V. (que antes se chamava Scorpio), mas o volume de vendas foi muito baixo e a indiana decidiu voltar para casa em 2015.

Curiosamente, no exterior, a Mahindra parece estar com boa saúde. Tanto que, também em 2015, a empresa indiana adquiriu o famoso estúdio italiano de design Pininfarina, por US$ 28 milhões.

10. MG

mg 6 saloon marcas de carros brasil
MG 6 (MG | Divulgação)

Eis outro fabricante com muita tradição. De origem inglesa, a MG (sigla para Morris Garage) foi comprada pelo grupo chinês Saic Motors em 2005. Pouco depois, em 2011, a importadora Forest Trade trouxe a marca ao Brasil. Todavia, a empreitada fracassou: com poucos pontos de vendas espalhados pelo país e poucas ações publicitárias, muita gente sequer soube das operações da empresa no país.

Após vender pouquíssimos veículos, a MG deixou o mercado nacional já em 2013. Na Ásia e em alguns países europeus, a empresa ainda sobrevive. Porém, no Brasil, está entre as marcas de carros que debandaram após enfrentarem dificuldades.

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
3 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Daniel Dos Reis Neto 16 de abril de 2018

    Os Carros Até Que Eram Bons. Mas Alfa Romeo E Mazda Deixam Saudades.

  • Avatar
    Thiago Boldrini 9 de abril de 2018

    Só duas eu gostaria que voltassem. Alfa Romeo e Mazda.

  • Avatar
    Jânio 7 de abril de 2018

    Nos livramos de um monte de fábricas de lixo.

Avatar
Deixe um comentário