Museu da Mercedes: um acervo de 130 anos da história automotiva

O espaço, na Alemanha, conta com 160 veículos que recontam a história do carro desde sua invenção - e ainda tem o maior tornado artificial do mundo

Por Bárbara Angelo13/04/19 às 16h00

O Museu da Mercedes tem o privilégio de ser o único do mundo com um acervo que cobre 130 anos da história do carro em uma linha do tempo contínua. Os exemplares expostos revivem essa memória, desde seus primórdios até os dias de hoje, com 160 veículos em exibição, e outros 200 guardados.

O Museu da Mercedes, na Alemanha, tem 160 veículos que recontam a história do carro desde sua invenção, e ainda tem o maior tornado artificial do mundo.


O espaço se encontra em Stuttgart, no sul da Alemanha, cidade que também abriga a sede global da Mercedes-Benz. São 16.500 metros quadrados divididos entre nove andares de atrações variadas. Além dos carros expostos, o local também conta com lojas, restaurantes, eventos de música e arte, e exposições de troféus e outros objetos memoráveis.

Para ter uma boa noção de como é o lugar, uma construção com 1.800 painéis de vidro dos quais nenhum é idêntico, e corredores e elevadores futuristas no interior, este vídeo pode ajudar:

A marca alemã esteve envolvida com a própria criação do automóvel, em 1886, quando Karl Benz patenteou o triciclo que inventara. Por causa disso, a fabricante se considera a inventora desse meio de transporte. Contudo, a afirmação é considerada polêmica, pois são conhecidas outras invenções anteriores que mereceriam o título de primeiro automóvel do mundo.

O nascimento do automóvel

De qualquer forma, os exemplares da Mercedes-Benz acompanharam esse período de surgimento. Hoje, ela é a fabricante de carros mais antiga ainda em atividade. Assim, um dos destaques do Museu da Mercedes são estes primeiros modelos, que nasceram como carruagens automotores, dispensando os cavalos.

No Museu da Mercedes há uma seção dedicada a estes primeiros modelos, a Pioneers, ou “pioneiros”. São diversos desses automóveis rudimentares expostos, incluindo o primeiro modelo patenteado pela marca, o triciclo Benz Patent Motor Ca, de 1886r. Ele foi usado por Bertha Benz, esposa de Karl, para fazer a primeira viagem de automóvel da história.

Este triciclo foi o primeiro automóvel do que viria a se tornar a Mercedes-Benz, inventado por Karl Benz e patenteado em 1886. Ele está em exibição no Museu.

No espaço, também há um exemplar de 1889, o “Motorkutsche”, ou “carruagem motorizada”. Ele carrega um motor de um cilindro, com 1,1 cavalo de potência. A velocidade máxima do que é um dos primeiros automóveis do mundo é de 17,7 km/h.

No total, o espaço conta com 11 seções em seu acervo fixo, cada uma para uma época histórica diferente. Entre elas, sete são da categoria “Legend”, da qual os modelos pioneiros fazem parte. Depois destes, são exibidos os veículos que representaram o início da produção fabril da Benz & Cie, companhia de Karl Benz: a “Birth of the Brand”, ou “nascimento da marca”.

O Museu da Mercedes, na Alemanha, tem 160 veículos que recontam a história do carro desde sua invenção, e ainda tem o maior tornado artificial do mundo.
O Mercedes-Simplex de 1902 é o veículo de produção fabril da marca mais antigo em existência.

O primeiro modelo da marca “Mercedes-Benz” foi produzido no fim de 1900 e baseado em um carro de corrida. Seu motor tinha 35 cv. O nome “Mercedes” veio da filha de um piloto e representante da Daimler, Emil Jellinek. Ele deu à Daimler a ideia de fazer carros mais potentes para serem usados nas competições.

Contudo, Gottlieb Daimler não gostou da ideia de associar seu nome à morte e violência que marcavam o esporte. Por isso, Emil sugeriu “Mercedes”, o nome de sua filha. Quando esse nome começou a fazer muito sucesso, Gottlieb mudou de ideia e comprou a marca.

Assim, em 1926, quando Daimler e Benz se fundiram em uma empresa só, nasceu a marca “Mercedes-Benz”.

Outras seções do acervo no Museu da Mercedes

O próximo setor da exposição fixa é dedicada a caros a diesel e àqueles equipados com compressor a ar. O recurso foi uma espécie de turbo antes que o turbo fosse inventado, e era utilizado pela alemã na década de 30, começando pelo modelo de corrida SSK.

Mercedes-Benz 500K Special Roadster de 1936.

Dali para frente, o compressor foi parar nos carros esportivos da época, a exemplo dos 500K e 540K, com 5 metros de comprimento e motores de 8 cilindros em linha. O Museu da Mercedes conta, ainda, com exposições dedicadas aos carros do período pós-guerra, com modelos que eram considerados um símbolo de status durante o “Milagre Econômico” alemão.

Foi então que surgiu um dos modelos mais icônicos da Mercedes-Benz, o 300 SL, que ficou conhecido como “Asa de Gaivota”. Um símbolo da Alemanha pós-guerra, ele era um dos carros mais caros do mundo, e também está exposto no Museu da Mercedes.

Depois disso, a exposição se volta para os modelos das décadas de 1960 e 1970, quando a indústria automotiva buscava melhorar a segurança dos carros, assim como torná-los mais benéficos ao meio ambiente. Para a Mercedes, essa foi a época dos airbags, freios ABS, da célula de sobrevivência, e da redução da emissão de poluentes.

O Museu da Mercedes, na Alemanha, tem 160 veículos que recontam a história do carro desde sua invenção, e ainda tem o maior tornado artificial do mundo.

Essa parte da coleção do Museu da Mercedes chega até 2010, quando a marca lançou o Classe B movido a célula de combustível.

Por fim, a exposição conta com um setor dedicado a carros de corrida e recordes conquistados pela divisão esportiva da marca. Os “Silver Arrow”, modelos prateados que identificavam a Mercedes-Benz nas pistas, nasceram em 1934. Depois desapareceram, devido à Segunda Guerra Mundial, e só foram surgir novamente em 1950.

Na seção dos Silver Arrows, carros de corrida da Mercedes-Benz de diferentes épocas se misturam.

A diferença de época torna este setor ainda mais interessante, com veículos de mundos diferentes ocupando a mesma pista.

Também tem a “Collection” do Museu da Mercedes

Além das categorias Legend, o espaço conta com a área “Collection”, ou coleções. Ali, veículos são exibidos sob luz natural e sem o cenário trabalhado das “lendas”. São quatro setores com modelos expostos fora de sua ordem cronológica, mas que têm propostas em comum.

O ônibus Mercedes-Benz LO 1112 é irmão dos caminhões 1111 e 1113, clássicos também no Brasil.
O ônibus Mercedes-Benz LO 1112 é irmão do caminhão 310, antecessor do 1111, um clássico também no Brasil.

A “Gallery of Voyagers” reúne veículos usados para viagens, como os ônibus. Entre os que estão na exibição, o mais antigo é de 1904. Ele tem dois andares, produção conjunta com a Milnes e fazia rotas em Londres.

A galeria também exibe uma versão ônibus do famigerado caminhão 310, o LO 1112, fabricado a partir de 1966. Ao lado dele, vê-se uma motor home baseada em uma van, a Viano Marco Polo, de 2003.

O Museu da Mercedes, na Alemanha, tem 160 veículos que recontam a história do carro desde sua invenção, e ainda tem o maior tornado artificial do mundo.

Da mesma forma, a seção de coleções do Museu da Mercedes também tem uma parte dedicada aos veículos comerciais, a Carriers. Ali estão caminhões de transporte de combustível, cegonhas, e outros. Outra coleção é dedicada a utilitários especializados, como caminhões de colheita, viaturas de polícia, ambulâncias e guinchos.

O Museu da Mercedes, na Alemanha, tem 160 veículos que recontam a história do carro desde sua invenção, e ainda tem o maior tornado artificial do mundo.
João Paulo II durante visita papal em um Mercedes-Benz 230 G.

Por fim, o Museu da Mercedes separou uma ala para carros de celebridades – e carros que são celebridades. Por ali, está o Classe M de 1997 usado em Lost World, de Steven Spielberg. Ao seu lado, encontra-se um 190 E 2.3 que pertenceu ao ator Nicolas Cage.

Outra presença ilustre é a limusine 600 Pullman, modelo preferido de padres e presidentes, assim como o 230 G, feito especialmente para o Papa João Paulo II em 1980.

Museu da Mercedes tem mais que carros

Assim como todo museu, este espaço é inseparável da história e, para compreender a importância de muitos dos automóveis expostos ali, é preciso compreender o contexto em que eles foram desenvolvidos.

Outra forma pela qual o local honra essa história é nos materiais escolhidos para a arquitetura. A depender do setor e a qual época ele é dedicado, os revestimentos do chão e paredes também serão típicos daquele momento histórico.

Além de abrigar essa incrível coleção da história automotiva, o espaço também conta com atrações de outros tipos. Um dos destaques é o maior tornado artificial do mundo, reconhecido pelo Livro dos Recordes Guinness em 2007. Com 34 metros de altura, ele se encontra em um átrio rodeado de corredores.

A Mercedes permite, inclusive, que aventureiros façam skydiving no tornado. Com 144 jatos de ar, ele pode levantar pessoas de até 120 quilos. A atração também tem uma função um pouco mais prática: em caso de incêndio, pode “sugar” fumaça de todo o museu e levá-la para fora.

Um show com o rapper MC Bruddaal ocorreu no Museu da Mercedes em 2018.

Além disso, o Museu da Mercedes também permite a realização de eventos variados em seu espaço. Segundo a organização, ocorrem cerca de 125 atrações independentes no local, anualmente.

O próprio museu também realiza cerca de 50 eventos por ano. Um calendário no site oficial disponibiliza as datas e horários.

Como visitar o Museu da Mercedes

Confira todos os detalhes para sua visita abaixo.

Endereço:

Mercedsstrasse 100, 70372 Stuttgart, estado de Baden-Wrttemberg, Alemanha

Horário de funcionamento:

O Museu da Mercedes funciona de terça-feira a domingo, das 9 da manhã às 6 da tarde. As bilheterias são fechadas às 5 da tarde. O horário pode ser diferente durante os feriados.

Ingressos:

O ingresso diurna regular custa 10 Euros. Entradas do período noturno são 5 Euros. A meia-entrada é de 50% do valor regular. Crianças e adolescentes até 14 anos têm entrada gratuita.

Os ingressos podem ser adquiridos on-line, no site oficial.

Facilidades:

O Museu da Mercedes oferece estacionamento no local. O valor é de 1 Euro por hora, e 2 Euros por hora a partir da quarta hora. A utilização das lojas e restaurantes do local garantem desconto de 1 hora gratuita no estacionamento.

Há vagas dedicadas para pessoas com deficiência. O local também oferece vagas especiais para os visitantes que chegarem com carros antigos: eles podem estacioná-los sobre o monte à frente da entrada principal.

Além disso, é possível chegar ao espaço usando os trens e ônibus da cidade de Stuttgart.

Guias de áudio gratuitos:

Uma boa pedida seria a de fazer os guias de áudio gratuitos oferecidos para a exposição. Infelizmente, eles não existem em português, mas apenas em alemão, inglês, francês, espanhol, italiano, russo, chinês e japonês.

Veja, no mapa abaixo, a localização do Museu da Mercedes:

Reprodução do Google Maps

Para quem não pode ir…

Para os que ainda não tiveram a oportunidade de conhecer o Museu da Mercedes, o espaço disponibiliza um tour virtual. Infelizmente, as informações só podem ser acessadas em inglês ou alemão.

Confira, também, nossa galeria de imagens:

Imagens, a não ser quando indicado: Daimler | Divulgação

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Jorge Pais da Silva. 13 de abril de 2019

    É MUITO BOM POR EXISTIR ESSE MUSEU,
    DOU MEUS PARABÉNS E MUITAS FELICIDADE E MUITA SAÚDE PARA TODOS OS DIRIGENTE, EU SOU O UNICO MUSEU KE INFELISMENTE LUTO A 10 ANOS PARA MONTAR O (1º MUSEU FERROVIÁRIO COM ÁREA DE LAZER E VISTA PARA O CRISTO REDENTOR) SEM APOIO DA PREFEITURA LOCAL KE NÃO TEM INTERESSE, COM ESSA CRISE KE O BRAZIL VEM PASSANDO IRIA SER MUITO BOM PARA TER IMPREGOS PARA MUITAS PESSOAS NA ÁREA DO TURISMO LOCAL, É UMA PENA POR KE TODO MUNDO TEM DATA DE VALIDADE… DESCULPE POR EU FAZER ESSE TIPO DE COMENTÁRIO, OUTRAS PESSOAS NÃO TEM NADA KE ACONTESE AQUI EM XERÉM DUQUE DE CAXIAS RJ…..UM GRANDE ABRAÇO A TODOS E KE DEUS NÓS ABENÇÇOE….FUIII…

Avatar
Deixe um comentário