Não consegue pagar o financiamento do carro? Saiba o que fazer

Para não perder o bem, que pode ser apreendido pela instituição financeira, o consumidor pode renegociar a dívida, transferi-la ou vender o veículo

Por AutoPapo 24/01/20 às 12h33

Ter um veículo é o sonho de muitos brasileiros. A afirmação é confirmada pela Federação Brasileira de Bancos, que registrou índice crescente de transações financeiras envolvendo a compra de automóveis em 2019. Acontece que manter e quitar as parcelas do bem pode ser difícil. Listamos algumas opções de solução para ajudar os condutores que, por razões distintas, não conseguem pagar o financiamento do carro.

Se o motorista não consegue pagar o financiamento do carro, pode:

Vender o veículo para abater na dívida

Luca Cafici, CEO da InstaCarro, plataforma de compra e venda de veículos, afirma que apesar de parecer paradoxal, vender o veículo financiado pode ser a resolução para quem se enrolou em dívidas.

“Com o dinheiro da transação, é possível pagar o valor restante ao banco (evitando juros maiores), colocar o orçamento em dia e, a partir daí, planejar melhor a compra de um carro”, explica o especialista.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) acrescenta ainda que é possível revender o carro para a própria concessionária onde o veículo foi comprado ou para outra loja. Contudo, dificilmente o consumidor obterá todo o dinheiro que deve, já que o financiamento envolve juros.

Mas, esclarece o órgão, com a venda, o consumidor poderá liquidar parte da dívida e renegociar o saldo restante. Nesse caso, é preciso ficar atento, pois deve sempre haver desconto proporcional de juros pelo pagamento antecipado.

Outra hipótese é a venda do carro em leilão feito pela própria financeira ou banco, para abater parte da dívida.

Trocar o carro por um veículo mais barato

Se o consumidor precisa do carro para trabalhar, ou não consegue utilizar um meio de transporte alternativo, é possível trocar o veículo por um mais barato e econômico.

“Com o ‘lucro’ obtido na troca, a pessoa pode pagar a dívida e reorganizar sua vida financeiramente sem prejudicar seus afazeres com a ausência de um carro”, acrescenta Cafici.

O Idec ressalta, no entanto, que uma parte do valor do carro provavelmente será perdido. Isso porque dificilmente o consumidor conseguirá reaver o preço exato que pagou (a desvalorização começa a valer assim que o veículo sai da concessionária).

Renegociar o financiamento do carro com a instituição financeira

Uma dica importante tanto para quem pretende negociar o carro quanto para quem pretende mantê-lo é tentar renegociar a dívida com a instituição financeira. É possível conseguir juros mais em conta nos meses ou condições de pagamento mais vantajosos.

Mas, lembre-se, a dívida jamais vai diminuir! O que a entidade costuma fazer é alongá-la para que a pessoa tenha um alívio na parcela.

Explicamos as soluções possíveis para quem não consegue pagar o financiamento do carro. Renegociar a dívida ou trocá-lo são opções.

Fazer a portabilidade de crédito

Também é possível, de acordo com Luca Cafici, renegociar o financiamento do carro com outro banco por meio do conceito de portabilidade de crédito. Nele, o usuário pode pesquisar se alguma instituição oferece condições favoráveis, como juros menores, e solicitar essa migração sem qualquer custo adicional.

Pode ser uma boa alternativa para quem tem conta em diferentes bancos. Importante reforçar que não se trata de diminuir o financiamento, apenas de encontrar situações melhores para o seu pagamento.

Transferir o financiamento para outra pessoa

Muitos não sabem, mas é possível transferir o financiamento a outra pessoa. Isso desde que não haja nenhuma parcela em atraso – a solução é ideal, portanto, para quem já sabe de antemão que terá dificuldades para honrar o pagamento.

Basta ir à instituição financeira para que ela avalie o perfil do novo comprador. A transferência também deve ser registrada na documentação do veículo, junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Segundo o Idec, o procedimento envolve algumas taxas, tanto no banco ou financeira quanto no órgão de trânsito.

Banco pode resgatar o bem de quem não consegue pagar o financiamento

De acordo com o Idec, desde o final de 2014, a Lei 13.043/14 facilita os procedimentos para busca e apreensão.

Quando o próprio veículo é dado como garantia no financiamento (o chamado leasing), com apenas um dia de atraso no pagamento o banco ou financeira já pode retomar o bem.

Para isso, a instituição deve entrar com uma ação de busca e apreensão e enviar uma carta registrada ao devedor, com aviso de recebimento, para notificá-lo do procedimento.

Foto Shutterstock | Divulgação

0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário