NHTSA nega pedido da Ford para “atrasar” recall de airbags

Empresa queria realização de mais testes antes de prosseguir com a convocação de quase 3 milhões de veículos equipados com componente defeituoso que pode matar

Por AutoPapo20/11/17 às 10h38

O NHTSA, responsável pela segurança viária dos Estados Unidos, rejeitou pedido da Ford de postergar o recall de aproximadamente 3 milhões de veículos. Os modelos estão equipados com os airbags explosivos da Takata.

A Ford queria que mais testes fossem realizados antes da convocação. No entanto, a NHTSA indeferiu o pedido, informa a agência de notícias Reuters. A Mazda também fez a mesma solicitação, também rejeitada. 6 mil veículos da fabricante japonesa estavam envolvidos.

De acordo com porta-voz da Ford, a empresa “irá, como sempre, cooperar com a agência (NHTSA)”. As unidades envolvidas abrangem Ranger com produção de 2007 a 2011, Fusion, entre 2006 e 2012, Lincoln MKZ (2006 a 2012), Mercury Milan (2006 a 2011), Edge (2007 a 2010) e Lincoln MKX (2007 a 2010).

NHTSA
Stephanie Erdman durante depoimento na Comissão de Transportes, no Senado dos Estados Unidos, no ano passado. A moradora da Florida, nos Estados Unidos, se machucou gravemente com a explosão do airbag quando dirigia um Honda Civic.

O recall de airbags da Takata é o maior da história da indústria automobilística. Os números são estarrecedores: até 2019, os japoneses acreditam que pelo menos 125 milhões de veículos terão de ser convocados. O componente já causou 19 mortes e deixou quase 200 feridos. 13 montadoras sediadas no Brasil já convocaram os proprietários para substituírem a peça problemática.

O defeito nos airbags está em um componente chamado deflagrador. A peça é um recipiente de metal que contém um químico gerador de gás. O deflagrador é responsável pela expansão imediata da bolsa de ar que amortece o impacto contra passageiros.

A falha ocorre apenas em caso de colisão, quando o airbag é ativado. Então, o deflagrador defeituoso explode, rompendo a bolsa e lançando os estilhaços de metal do recipiente na direção dos ocupantes.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário