Nível do óleo: picaretagem pode custar caro!

Uma das maracutaias em alguns postos é na hora de conferir o nível do óleo. Nesses, o frentista tem um método para passar você para trás

Por Boris Feldman 26/02/20 às 17h00

Por sorte, os frentistas dos postos, a maioria deles é honesta e serve a gente com eficiência e com presteza. Mas, também, quando você encontra um mau-caráter pela frente ele pode perturbar sua vida e, principalmente, o seu bolso.

Uma das maracutaias que eles aprontam é com o nível do óleo. É tão simples, né? Todo mundo sabe que para verificar o nível do óleo basta puxar a vareta, verificar se o nível está entre o tracinho de baixo e o de cima, mínimo e máximo, porque se estiver entre os dois tá tudo legal, se estiver lá embaixo, bem mais embaixo, tem que completar.

O que que faz o frentista: na hora que ele vai colocar a vareta, ele põe o dedo e não deixa a vareta entrar completamente. O que que vai acontecer? O nível vai ficar mais baixo na vareta, mas o nível estava correto.

Aí você vai pagar por um litro de óleo. Esse litro de óleo provavelmente vem acima do máximo. Mas têm muita gente que até diz: “Tanto faz, o que não pode ter é pouco óleo, ter mais do que o previsto não tem nenhum problema.”

Tem sim, porque o nível do óleo fica muito próximo de onde gira o virabrequim. Se você sobe muito, o virabrequim passa a bater no nível do óleo excedente.

Bom, então,  primeiro: o óleo está até prejudicando o movimento do motor, do virabrequim. Segundo: quando o virabrequim bate no óleo ele cria espuma, ela pode chegar lá onde deveria estar chegando o óleo para lubrificar as partes.

E espuma por acaso lubrifica alguma coisa? Olha aí o prejuízo para o seu bolso!

nivel oleo motor conferir trocar shutterstock
Foto Shutterstock
SOBRE
3 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Rafael Novaes D'Amico 27 de fevereiro de 2020

    Aprendi há 50 anos no quartel que o motorista é o único responsável pelo veículo que ele dirige. ( hoje seja próprio ou nao) PORTANTO : quando paro para abastecer e ou trocar óleo acompanho par e passo a operação. Só eu abro o cofre de meu veículo. Abraços ao querido Dr. BORIS .

  • Avatar
    MARDEN GUIMARAES DINIZ 27 de fevereiro de 2020

    Além disso, o nível do óleo com o motor quente, recém desligado na hora de abastecer, estará sempre mais baixo, não?

    • Avatar
      Zé de Mundinha 4 de março de 2020

      Faz sentido. O óleo estaria espalhado pelas cavidades do motor. O interessante seria dar um tempo para “baixar”, talvez, 3 min. A temperatura mais alta permite o óleo fluir mais facilmente, em princípio porque reduz levemente a viscosidade. Assim, esperar um tempo é interessante.

Avatar
Deixe um comentário