Novo Sandero é flagrado na Argentina pouco antes do lançamento

Imagens revelam que o hatch compacto da Renault terá traseira com visual exclusivo para os países da América do Sul

Por AutoPapo13/06/19 às 17h40

Falta pouco para o novo Sandero chegar ao mercado: o lançamento está previsto já para julho. Porém, a Renault continua testando a versão atualizada do hatch compacto, como mostra o flagra do Argentina Autoblog. O veículo fotografado, que é da versão aventureira Stepway, confirma que o modelo ganhará lanternas traseiras exclusivas para os países da América do Sul, com um prolongamento na tampa do porta-malas.

Um registro no INPI, revelado no ano passado, já indicava que a traseira do novo Sandero teria visual próprio. Além de comprovar essa hipótese, o flagra mostra que a nova seção das lanternas será funcional. Repare que, apesar da camuflagem, dá para notar que a porção da peça localizada na tampa traseira também acende.

novo sandero flagra lanterna

Na dianteira, o novo Sandero deverá seguir o visual da versão europeia, que foi reestilizada em 2016. Ali, as mudanças serão mais sutis e envolverão apenas os faróis e o para-choque. Vale lembrar que o hatch passará apenas por um face-lift: não se trata de uma nova geração, projetada a partir do zero. A “plástica vai marcar a chegada da linha 2020 do modelo.

As mudanças serão incorporadas também no Logan. Todavia, o sedã da gama não terá traseira exclusiva para o mercado sul-americano: ele será idêntico, de cabo a rabo, ao similar europeu. Desse modo, as lanternas terão novo arranjo interno das luzes, mas manterão o formato atual. O para-choque traseiro também muda, de modo discreto.

novo sandero flagra lateral

No caso do Logan, a maior novidade será a introdução da versão Stepway, até então restrita ao hatch. A novidade terá suspensão elevada e molduras nos para-lamas, bem de acordo com a moda aventureira.

Novo Sandero terá câmbio automático do tipo CVT

Na parte mecânica, a maior novidade do novo Sandero será a adoção de um câmbio automático do tipo CVT. Ele será associado ao motor 1.6 16V da gama atual, que não muda. Atualmente, esse propulsor, que tem origem Nissan, desenvolve 120 cv de potência e 16 kgfm de torque com etanol. Trata-se do mesmíssimo conjunto mecânico que já equipa, na linha Renault, os SUVs Captur e Duster.

Nas versões 1.0, nada muda. Elas seguirão equipadas com o motor de três cilindros de 82 cv e 10,5 kgfm com etanol e com câmbio manual de cinco marchas. O esportivo RS também continuará com a mecânica atual, composta pelo motor 2.0 de até 150 cv e 20,9 kgfm e pela transmissão manual de seis velocidades.

Fotos Argentina Autoblog | Reprodução

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (3 votos, média: 3,33 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Rogério 15 de junho de 2019

    Esse carro é confiável, robusto e de fácil manutenção e espero que a Renault tenha elevado de patamar o seu acabamento interno, pois ele merece pelas qualidades que citei.

  • Avatar
    Erley Rodrigues 14 de junho de 2019

    A parte da lanterna na tampa é somente um plástico sem nenhuma função, apenas estética. Ampliando a foto dá para perceber que não tem lâmpadas. O editor se enganou com a projeção da luz vermelha, que teve a intensidade aumentada no momento da foto pelo fato de o carro estar sendo freado.

Avatar
Deixe um comentário