Onix no Latin NCAP: nota zero para o líder

Por Daniel Camargos17/05/17 às 16h43

O hatch da Chevrolet, o Onix, é responsável por uma mudança no mercado de automóveis do Brasil. Levou a fabricante à liderança de vendas e estabeleceu outro padrão para os modelos de entrada influenciando a concorrência e mostrando que os consumidores querem veículos mais recheados e equipados. Porém, na semana passada, o teste de impacto realizado em uma unidade do Onix no Latin NCAP abalou a hegemonia do hatch e colocou a reputação do até então inabalável líder em xeque.

O modelo fracassou no teste de impacto lateral e, com isso, recebeu zero em cinco estrelas possíveis para a proteção de adultos. “No impacto lateral, as leituras do dummy (boneco) mostraram proteção adequada para a cabeça e a pélvis, proteção marginal para o abdômen e pobre para o peito, explicando o resultado de zero estrela”, informa o relatório do Latin NCAP, entidade que testa a segurança de modelos comercializados na América Latina.

A simulação foi feita com três dummies (bonecos), que reproduziam um passageiro adulto e dois infantis. O Onix não tem dispositivos de absorção de energia em sua estrutura para impacto lateral, apenas barras nas portas.

De acordo com o relatório, houve um grande deslocamento dentro do compartimento do passageiro e considerando o resultado, não atenderia aos critérios básicos de segurança para impacto lateral previsto pelas Nações Unidas, que são mais rigorosas que a legislação brasileira.

O Latin NCAP, sediado no Uruguai, recomenda que os consumidores exijam que os fabricantes adotem ou que lhes sejam impostas as recomendações das Nações Unidas em relação aos padrões de colisão.

Em 2014, já havia sido feito o teste do Onix no Latin NCAP, porém, naquele ano, não se realizava o impacto lateral, apenas o dianteiro. À época, o Onix recebeu três estrelas para a proteção dos ocupantes adultos e duas para as crianças.

Agora, com os critérios mais rígidos, a nota para os adultos foi zero. Entre o teste de impacto de 2014 e o atual o Onix passou por uma modificação, em julho do ano passado, com mudanças visuais, diminuição do peso e recalibração do motor, além de novos equipamentos.

É importante destacar que o Onix não é um modelo marginal, que poderia ser escanteado ou substituído por outro na gama da Chevrolet. No ano passado foi líder emplacando 153.371 unidades. Nos quatro primeiros meses deste ano foram 53.313 emplacamentos, bem mais que o segundo colocado, o Hyundai HB20, com 32.454.

foto do chevrolet onix durante simulação de impacto lateral onix no latin ncap nota zero

O resultado alcançado pelo Onix no Latin NCAP alarmou especialistas e a associação de consumidores PROTESTE anunciou que vai tentar, com um requerimento ao Ministério Público Federal (MPF), suspender as vendas do veículo. A iniciativa tende a ser inócua, pois, apesar da nota baixa, o Onix atende às leis brasileiras.

“Entendemos que o Onix cumpre a legislação, mas os resultados foram alarmantes”, afirmou ao AutoPapo o gerente do Centro de Competência de Produtos e Serviços da PROTESTE, Sergio Mardirossian.

Além de tentar suspender as vendas, a intenção do PROTESTE é usar o Onix como uma espécie de “boi de piranha”. Mardirossian explica que os resultados dos testes de impacto realizados pelo Latin NCAP vinham numa linha ascendente, com os modelos apresentando melhorias nos dois últimos anos em relação à segurança. Entretanto, o Onix foi um ponto fora da curva.

“Como o modelo foi campeão de venda nos dois últimos anos o impacto no mercado é muito grande. A segurança frágil pode vitimar muitas pessoas”, entende Mardirossian, que reconhece ser difícil conseguir a suspensão das vendas. Porém, ele destaca que a campanha da associação objetiva aperfeiçoar a legislação brasileira.

Além de acionar o MPF, a PROTESTE vai fazer um abaixo-assinado e encaminhar ao Denatran e aos órgãos associados à entidade, na tentativa de melhorar a segurança dos automóveis.

Em nota, a Chevrolet afirmou que cumpre os requisitos locais de segurança dos mercados onde o Onix é vendido na América do Sul. Afirma ainda que o modelo tem airbags duplos e freios ABS com distribuição de força na frenagem. “Acreditamos que o Onix é um dos veículos mais seguros em seu segmento, que é apenas uma das razões de ser o veículo mais vendido na América do Sul”, avalia a montadora.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário