Rally de regularidade coloca carros antigos na estrada em MG

Evento de antigomobilismo testou a resistência de dezenas de veículos históricos, que percorreram trajeto de cerca de 170 km

Por Alexandre Carneiro 11/10/19 às 17h43

É comum ouvir por aí que automóvel é feito para andar, e não para ficar parado. Para alguns, isso vale não apenas para os modelos novos, mas também para os carros históricos, fabricados décadas atrás. Fiéis a tal filosofia, 33 antigomobilistas se inscreveram no Rally Confraria CVA, realizado pelo Clube de Veículos Antigos de Minas Gerais no último sábado (5).

Rally Confraria CVA 2019 - fotos CVA-MG | Aircooled Outlaws | Divulgação
Alfa Romeo GTV 2000 1974, além de vencer a prova, foi premiado com o troféu Best of Show

As preciosidades participantes, fabricadas desde os anos 60 até os 90, percorreram aproximadamente 170 km. O trajeto foi composto por estradas montanhosas no entorno da capital mineira, entre os municípios de Nova Lima, Brumadinho e Moeda.

Entre os participantes, o predomínio, por pequena margem, foi de carros antigos nacionais. Modelos com histórias memoráveis no mercado brasileiro, como Volkswagen Gol e Fusca, Ford Escort, Galaxie e Corcel, Chevrolet Opala e Monza, Fiat Uno e Dodge Charger chamaram a atenção. Mas os importados também marcaram presença, com direito a raros exemplares de Alfa Romeo e Mercedes-Benz.

Rally Confraria CVA 2019 - fotos CVA-MG | Aircooled Outlaws | Divulgação
Puma GTE 1970 foi eleito o melhor carro nacional do evento

O maior destaque, agraciado pelo CVA-MG com o troféu Best of Show, foi um Alfa Romeo GTV 2000, ano 1974, que nunca passou por restauração. Já o troféu de melhor nacional ficou com um Puma GTE 1970. A organização premiou ainda o carro brasileiro mais antigo a participar do evento: um Willys Gordini 1968.

Rally de regularidade é pura curtição

O Rally Confraria CVA é o nono evento desse gênero organizado pelo clube. O diretor técnico da entidade, Luis Augusto Malta, destaca que, desde 2016, vêm sendo realizados dois ralis de regularidade por ano. No primeiro semestre, ocorre o Raid Estrada Real, sempre em Tiradentes (MG). Na segunda metade do ano, é realizada outra prova, cujo nome varia a cada edição, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Para Malta, o público dos eventos organizados pelo CVA está consolidado. Ele salienta tanto o nível técnico das duplas participantes, que está se elevando à medida que mais provas vão sendo realizadas, quanto a qualidade dos carros antigos inscritos. “Chama atenção o fato de nenhum veículo ter dado defeito no trajeto do rally. Isso mostra que eles estão prontos para vencer percursos difíceis como foi esse, com topografia acidentada e curvas fechadas, que exigiu muito do motor, dos freios e do sistema de refrigeração de todos”, avalia.

Rally Confraria CVA 2019 - fotos CVA-MG | Aircooled Outlaws | Divulgação
Antiguidade rendeu prêmio ao Gordini 1968

Em um rally de regularidade, o vencedor não é aquele que cruza a linha de chegada primeiro. O objetivo é concluir o percurso com a menor margem de erro em relação ao tempo estipulado pela organização. Feita em dupla, a prova conta, além do piloto, com um navegador: cabe a ele seguir uma planilha, distribuída pouco antes da largada. Nela, constam o roteiro, as velocidades médias, as distâncias e os tempos com os quais cada trecho deve ser percorrido.

No caso das provas organizadas pelo CVA-MG, as velocidades médias sempre respeitam os limites das vias. Por sua vez, o percurso é composto somente por estradas pavimentadas: a ideia é preservar os carros antigos de eventuais danos.

Resultados

O vencedor do Rally Confraria CVA foi o mesmo Alfa Romeo GTV 2000 1974 que faturou o troféu Best of Show, da dupla Rodrigo Giordano e Marcel Fernandes. O segundo lugar ficou com o BMW 318iM Compact Kou Regino 1994 de Mário Lott e Bosco Tomich. O Chevrolet Impala Coupé 327 1961 de Gustavo Lapertosa e Mariana Detoni faturou a terceira colocação.

Rally Confraria CVA 2019 - fotos CVA-MG | Aircooled Outlaws | Divulgação
Chevrolet Impala 1961 ficou no primeiro lugar da categoria Old School e na terceira posição geral

O Dodge Charger R/T 1979 de Guilherme Machado e Matheus Machado assegurou a quarta posição. No último degrau do pódio ficou o Chevrolet Monza GLS 1993/1994 conduzido pelo jornalista que vos escreve e pela navegadora Luciana Mara Souza. Gustavo Lapertosa e Mariana Detoni, além do terceiro lugar geral, levaram o troféu Old School, concedido à dupla que obtém melhor desempenho sem recorrer a aplicativos de navegação.

Já Mariella Moia levantou o Troféu Batom, oferecido a uma mulher que se destaca nas competições de antigomobilismo do CVA-MG. Ela disputou a prova com Gustavo Brasil em um Volkswagen Gol Star 1.8 1989. Há ainda o troféu Espírito Esportivo, que ficou com Juan Mastromarino e Luana Bettarello: namorados, os dois se desentenderam bastante ao longo da prova por causa de erros no trajeto, mas já estavam de mãos dadas ao fim do rally.

Confira a galeria de fotos do Rally Confraria CVA 2019!

Fotos: CVA-MG | Aircooled Outlaws | Divulgação

Avalie o conteúdo:
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário