Seguro DPVAT: monopólio da Líder pode acabar

Reunião do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) pode criar nova estrutura para arrecadação e gerenciamento do seguro obrigatório

Por Boris Feldman10/12/18 às 14h06

O seguro DPVAT foi alvo de muita fraude nos últimos anos. Mas o monopólio da Seguradora Líder, que arrecada e gerencia o seguro obrigatório, pode estar, finalmente, com os dias contados. No próximo dia 12, o Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) irá se reunir e poderá estabelecer uma nova estrutura para a cobrança e gerenciamento do DPVAT.

Veja o meu comentário abaixo sobre esse assunto. Confira!

[TRANSCRIÇÃO]

Luz no fim do túnel, que pode sinalizar o final de uma das maiores maracutaias praticadas no Brasil: o DPVAT, que pagamos anualmente a título de seguro obrigatório para a Seguradora Líder, um consórcio de quase todas as companhias de seguro do país.

O Brasil é o único país do mundo que tem monopólio desse seguro, pois ele é recolhido compulsoriamente para a Líder no início do ano, junto com o IPVA. Isso significa um faturamento que já chegou perto de 10 bilhões de reais por ano, e a facilidade de se desviar parte desses recursos arrecadados anualmente do nosso bolso.

O Ministério Público e a Polícia Federal já investigaram todas essas ilegalidades praticadas por ex-diretores e ex-conselheiros da Seguradora Líder. Todos os relatórios e provas do crime são de conhecimento da Superintendência de Seguros Privados, a Susep, e até do próprio Tribunal de Contas da União, o TCU.

Comprovou-se documentalmente o desvio de bilhões de reais, tanto que, mesmo com a redução do DPVAT de R$ 105 para R$ 42, nos últimos dois anos, ainda sobram hoje cerca de 5 bilhões de reais depositados em bancos, cujas seguradoras operam o DPVAT. Um gigantesco escândalo financeiro que veio a público há quase quatro anos, porém mantido intacto pelo Ministério da Fazenda.

A operação Tempo de Despertar, do Ministério Público e da Polícia Federal, revelou, em 2015, como funcionava o esquema de assalto aos cofres da Líder e relacionou os nomes da máfia da seguradora que o praticou. Todos impunes até hoje!

A imprensa brasileira já divulgou também o inacreditável descaso da Líder ao negar, ou dificultar nos últimos meses o pagamento de indenizações aos acidentados de trânsito.

Monopólio do Seguro DPVAT pode acabar

Está marcada para este 12 de dezembro uma reunião do Conselho Nacional de Seguros Privados, o CNSP, quando se imagina o estabelecimento de uma nova estrutura para o seguro obrigatório de automóveis no Brasil, colocando-se um ponto final neste monopólio ilegal, e que enfiou a mão desavergonhadamente no bolso do brasileiro.

Imagina-se, também, que a exemplo dos resultados da Lava Jato e dos novos ventos que vão soprar no Ministério da Justiça, a partir do próximo mês de janeiro, também os marginais que comandavam a Seguradora Líder, e assaltavam os seus cofres, sejam devidamente punidos. E os bilhões de reais desviados retornem ao bolso do brasileiro.

Seguro DPVAT: monopólio pode estar com os dias contados
Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
13 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    elisangela 29 de janeiro de 2019

    há muito a Líder vem engavetando o dinheiro público, arrecadado com suor do povo brasileiro, já basta de tanta impunidade ,é´chegada a hora de transparência, de dignidade nesses pagamentos, negam o direito de quem tem, e roubam p eles próprios!

  • Avatar
    Fernando 12 de dezembro de 2018

    Vale colocar que o Governo se beneficia do seguro dpvat pois 50% da arrecadacao e direcionado ao Denatran e ao Fundo Nacional de Saude.

    • Avatar
      Jobede Oliveira Silva 17 de dezembro de 2018

      Más este ano o licenciamento i o dpvat não vai ter mais impostos eu queria saber como funciona este negócio

  • Avatar
    Jorge de Valois 12 de dezembro de 2018

    Realmente o empresário+órgãos públicos reguladores do Brasil é um mar de sujeira, combinado com o mídia+ povo então fica uma lama nuclear, que não tem jeito de limpar.

  • Avatar
    Ana lucia molinaro goncalves 12 de dezembro de 2018

    Sofri um acidente em maio me deixou sem os movime tos operei claviculadireita umero esquerdo e a coluna demorei a dar entrada pois estava acamada qd dei ainda faltou documento q o delegado nao poderia me dar acabou dando agora fui sem poder fazer outro exame corpo delito com perito da propria empresa Lider … o delegado ja me disse q eles tem mais e que pagar… aguardando pois tenho gasto muito nao tenho mais coordenacao motora nao consigo segurar nada c a mao esquerda.. eu no acidente u.a mulher bebada veio na contra mao bateu no carro q eu estava o carro rodou capotou 5X eu fui cuspida pelo vidro de tras de uma meriva…. graças a Deus nasci de novo… preciso muito desse dinheiro nao tive ajuda …. remedios….curativos tudo gasta….. eu creio que esse dinheiro vai sair em nome de JESUS

  • Avatar
    José Souza de Arruda 11 de dezembro de 2018

    Parabéns

  • Avatar
    Flávio 11 de dezembro de 2018

    Estou me recuperando de um acidente a um ano e a Lider ta me enrolando com a indenização. Despesa médica nao pagou e sumariamente me disse que uma fratura diafise do femur e no colo do femur são fraturas simples me pagando uma miséria como invalidez. Ainda terei outra cirurgia para implante de protese no quadril e nem pericia a Lider me submeteu para avaliar meu caso. Conheco casos que pagou despesas médicas com mesmos documentos que apresentei e submeteu a pessoa a perícia. Enfim não há padrão para avaliação dos casos. Bando de vigaristas na seguradora.

    • Avatar
      Ana Lúcia Molinaro Gonçalves 12 de dezembro de 2018

      Flavio vc pode acionar a justica pois o delegado me falou se.eles nao pagarem e p procurar um advogado e colocar na justica que e causa ganha… Boa recuperação… tbm to me recuperando…

  • Avatar
    Luiz Carlos de Oliveira Almeida 11 de dezembro de 2018

    também fui lesado sofri um acidente de trânsito de motocicleta um tralmatismo craneocefalico faco uso de medicamentos controlados contra convulsões dei entrada fiz perícia levei todos documentos necessários e me negaran e ainda nao deram baixa no processo no tjrj 20090012632966

  • Avatar
    Elson Matos 11 de dezembro de 2018

    Fui lesado por essa corja de pilantras. Não sei aonde está o ministério público, que ainda não acabou com essa maracutaia. Espero que os atuais, e antigos administradores, vá todos pra jaula. Essa tal de Líder Seguros e uma vergonha nacional.

  • Avatar
    Josias 11 de dezembro de 2018

    Essa líder é uma péssima empresa chegando ao cúmulo do ridículo de exigir que o médico que atende um familiar meu que sofreu um atropelamento e vive até hoje tomando de 8 em 8 horas anticonvulsivos, para que o médico ateste e assine com datas retroativas nos anos 2015, 2016, 2017 e 2018, para depois configurar falsidade ideológica por assim um documento com datas retroativas… Conversei com a médica e ela preencheu o laudo dizendo que o mesmo faz tratamento contínuo com remédios controlados de 2015 até a presente data’2018′ e com agendamento pra 02/2019… Porém eles não aceitam e querem que ala preencha cada ano um laudo e assine como se estivéssemos no ano de 2015, 2016, 2017… É um absurdo!

  • Avatar
    Vinícius 10 de dezembro de 2018

    Teqi acabamesmu

  • Avatar
    Jorge Luiz Moreira Santana Luiz 10 de dezembro de 2018

    EMFIM PODEMOS VER UMA LUZ PARA QUE SEJA DADO FIM A ESTA SEGURADORA LÍDER, QUE VEM PRATICANDO IRREGULARIDADES ABSURDAS NOS PAGAMENTOS DAS INDENIZAÇÕES E SEMPRE JOGANDO A CULPA DE FRAUDE NAS PRÓPRIAS VITIMAS.

Avatar
Deixe um comentário