Conheça o significado das siglas do seu carro

ABS, ACC, ESC, ASR: Montamos um glossário para ajudá-lo a desvendar a sopa de letrinhas por trás das tecnologias do seu carango

Por Bárbara Angelo09/08/17 às 13h54

No mundo de hoje, conhecer nossos carros está se tornando cada vez mais complicado. Enquanto a tecnologia avança, oferecendo bem-vindos recursos de segurança e assistência, o manual do proprietário fica cada vez mais grosso. Para cada nova função, surge uma nova sigla e o motorista é deixado para desmistificar seu significado, tanto na hora de operar seu carro quanto na hora de escolher um. Por isso, apuramos as siglas mais utilizadas para que você não perca tempo quando precisar entender o que elas fazem.

Esta lista não pretende entrar em meandros técnicos, mas apenas oferecer uma explicação superficial da função de cada uma delas. Alguns destes recursos podem se apresentar um pouco diferentes de acordo com a montadora, o modelo ou o ano do veículo, embora o objetivo final a que eles se prestam seja o mesmo.

Para fazer uma busca por uma sigla específico, utilize o atalho Ctrl+F do seu navegador.

significado siglas do carro

01. ABS: Anti-lock Braking System – Sistema de Freio Antitravamento. Impede que as rodas travem e derrapem durante a frenagem de emergência, reduzindo a distância até parar o carro. E permite que o sistema de direção obedeça aos comandos do motorista no volante. Leia mais

02. ACC: Adaptative Cruise Control – Controle de Velocidade Adaptativo. Identifica a distância e a velocidade do automóvel à frente, sendo capaz de acompanhá-lo, freando e acelerando automaticamente. Também pode ser chamado de: Active Cruise Control, Autonomous Cruise Control, ICC (Intelligent Cruise Control), Radar Cruise Control, DRCC (Dynamic Radar Cruise Control).

03. AHA: Agile Handling Assist – Controle de Torque em Curvas. Monitora eletronicamente a velocidade das rodas dianteiras, e quando uma curva é feita, freia a roda de dentro para que ambas as rodas virem na mesma medida. Também pode ser chamado de: TVC (Torque Vectoring Control).

04. A-LKA: Active Lane Keeping Assist – Sistema ativo de permanência em faixa. Câmeras identificam a sinalização horizontal da pista e o veículo a acompanha. Emite alerta em caso de desvio de trajetória interferindo na direção do veículo por meio do volante e freios.

05. ASG: Automated Shift Gearbox – Transmissão automatizada. Faz as trocas de marcha automaticamente para o condutor, mas não tem o conversor de torque, como o automático convencional. É idêntica – mecanicamente – ao câmbio manual, mas com um sistema computadorizado que executa elétrica ou hidraulicamente as mudanças, eliminando o pedal de embreagem e a alavanca de mudanças. No Brasil, é conhecido como Dualogic, I-Motion, Easytronic, etc.

06. ASR: Anti Slip Regulation – Controle deTração. Serve para impedir que as rodas derrapem na arrancada, curvas ou em terrenos escorregadios. Monitora a rotação das rodas constantemente. Quando detecta que alguma delas está girando em velocidade incompatível com a do veículo, interfere para regularizar e recuperar a tração. A interferência pode ser por meio da frenagem da roda ou do controle da potência do motor. Também pode ser chamado de: TCS (Traction Control System), MSR (Motor Slip Regulation), TRC, 4-ETS, DTC (Dynamic Traction Control).

significado siglas do carro

07. Auto-Hold: Controla automaticamente os freios ABS para manter o veículo parado numa subida mesmo que o motorista tire o pé do pedal. É desativado quando o acelerador ou a embreagem são acionados.

08. BAS: Brake Assist System – Assistente de Frenagem de Emergência. É ativado em situações de frenagem de emergência, aplicando automaticamente maior pressão no circuito hidráulico do freio quando detecta uma pisada repentina no pedal. Reforça o esforço do motorista que não aplica a pressão máxima no pedal. Pode também ser chamado de EBA (Emergency Brake Assist), BA (Brake Assist) ou AFU (em francês: Assistance au Frenage d’Urgence).

09. BLIS: Blind Spot Monitoring System – Sistema de monitoramento de ponto cego. O ponto cego é uma região que está fora do alcance da visão do motorista e dos retrovisores. O BLIS detecta veículos nessa área emitindo sinal luminoso nos retrovisores externos.

10. CBC: Cornering Brake Control – Controle de frenagem em curva. É uma evolução do ABS, projetado para distribuir a pressão dos freios quando são acionados durante uma curva. Também pode ser chamado de: Dynamic Cornering Assist, Curve Dynamic Assist.

11. CDC: Continous Damping Control – Controle Contínuo de Amortecimento. Regula eletronicamente a pressão do ar na suspensão para se adaptar ao terreno, mantendo a altura livre do solo. Apenas para suspensão pneumática. Também pode ser chamado de: Dynamic Damper Control, Dynamic Damping Control.

significado siglas do carro

12. Cruise Control: Definido erroneamente como “piloto automático”, o Cruise Control mantém a aceleração do veículo constante. O motorista aciona seu comando e a velocidade desejada é mantida automaticamente.

13. CVT: Continously Variable Transmission – Transmissão Continuamente Variável. É um tipo de caixa automática constituída por um sistema de polias, ao invés das engrenagens de uma caixa comum. As polias eliminam os desníveis entre as marchas, por isso muitos a chamam de “infinita”. Ao invés de opções limitadas de velocidades, como cinco, seis ou nove marchas, a CVT tem uma variação infinita entre a menor e a maior relação de velocidade.

14. DCC: Dynamic Chassis Control – Controle Dinâmico de Chassi. Oferece modos de condução diferentes (Sport, Normal, Eco etc.). Regula diversos recursos do veículo de acordo com o modo escolhido, emulando um determinado comportamento e resposta à direção. A ideia é que o automóvel se adapte a vários tipos de terreno, com atenção especial para a resposta dos amortecedores. Também pode ser chamado de: VDIM (Vehicle Dynamics Integrated Management).

15. Driver Alert: o comportamento do motorista é monitorado constantemente. Caso sinais de fadiga sejam detectados, um sinal luminoso se acende no painel (pode até ser uma xícara de café…) indicando que pode ser uma boa hora para uma parada de descanso.

16. DSG: Direkt-Schalt-Getriebe no alemão, ou Direct-Shift-Gear no inglês. É um sistema de transmissão automatizada de dupla embreagem, como se fossem duas caixas de marchas manuais acopladas, uma com as marchas pares, outra com as ímpares. Permite que a marcha seguinte já esteja engatada, trocando apenas de embreagem para cambiar. Pode ser chamada PDK (Porsche), Powershift (Ford), DSG (VW).

17. DSR: Dynamic Steering Response – Regulagem dinâmica de direção. Corrige o ângulo de giro aplicado ao volante para otimizar a manobrabilidade. Pode oferecer opções de modo de direção com respostas variadas.

significado siglas do carro

18. EBD: Electronic Brakeforce Distribution – Distribuição Eletrônica de Frenagem. É um recurso extra para o ABS, capaz de controlar a distribuição da força de frenagem para cada roda, individualmente. Assim, uma roda pode receber maior frenagem que as outras de forma a manter a estabilidade do veículo em situações diversas.

19. EDL: Electronic Differencial Lock – Bloqueio Eletrônico de Diferencial. Atua sobre a distribuição da força do motor para as rodas, regulando a tração que cada roda recebe de acordo com o atrito com o solo do qual ela dispõe. Também pode ser chamado de: XDS.

20. EPS: Electronic Power Steering – Direção com assistência elétrica. É o mesmo que: Electrically-assisted Power Steering, EPAS (Electric Power Assisted Steering).

21. ESC: Eletronic Stability Control – Controle Eletrônico de Estabilidade. Monitora constantemente a trajetória do veículo para garantir que está sob controle. Se um deslizamento lateral é detectado, ativa automaticamente o freio de determinada roda para recuperar o atrito. Também pode ser chamado de: ESP, DSC (Controle Dinâmico de Estabilidade), VSA (Assistência à Estabilidade do Veículo), VSC (Controle de Estabilidade do Veículo).

22. ESS: Emergency Signal System – Alerta de frenagem de emergência. Ativa o pisca-alerta automaticamente quando detecta frenagem repentina. Também pode ser chamado de: SISV, EBL (Emergency Brake Light).

23. ETS: Enhanced Transitional Stability – Sistema de Estabilidade Preventivo. Quando presente, é parte do ESC. O sistema monitora a velocidade do veículo e o manuseio do volante feito pelo motorista. Assim, pode prever uma perda de atrito antes que ela aconteça. Caso haja a detecção, o sistema envia um sinal para ativar o ESC, que entra em ação para manter o atrito.

24. FCW: Forward Collision Warning – Alerta de colisão frontal. Detecta objetos estáticos ou em velocidades baixas à frente do veículo, emitindo um alerta para chamar a atenção do motorista. O FCW não freia o veículo.

25. FWD: Four-Wheel Drive – Tração Integral. Indica que o veículo possui tração nas quatro rodas. Também pode ser chamado de: AWD (All-wheel Drive), 4WD (4-wheel Drive).

significado siglas do carro

26. HDA: Hill Descent Assist – Assistente de Descida. Auxilia em declives acentuados, controlando automaticamente a velocidade do motor e aplicando os freios ABS, se necessário. Também pode ser chamado de: DAC (Downhill Assist Control), HDC (Hill Descent Control), DSR (Downhill Speed Regulation).

27. HSA: Hill-start Assist – Assistente de Partida em Rampa. Serve para facilitar arrancadas na subida. Mantém o veículo parado por alguns segundos depois que o freio é liberado pelo motorista, evitando que o automóvel recue de o acelerador ser acionado. Também pode ser chamado de: HHC (Hill Hold Control), HAC (Hill-start Assist Control), HLA (Hill Launch Assist).

28. Isofix: É um sistema de padronização de produtos. Quando usado em relação a automóveis é referência a um sistema de fixação de cadeirinhas infantis. As cadeirinhas com o mesmo padrão encaixam diretamente em um suporte que parte do chassis do veículo, oferecendo maior segurança.

29. KERS: Kinetic Energy Recovery System – Sistema de Recuperação de Energia. Coleta e armazena a energia cinética liberada durante a frenagem e a reutiliza durante a aceleração.

30. Keyless: Compõe uma variedade de recursos para que o uso de chaves seja dispensado. O motorista carrega, em vez de uma chave, um transdutor que é detectado pelo veículo quando está a certa distância. A partir daí, o sistema pode destravar as portas, permitir a ignição do automóvel a partir de um botão no painel, ou ainda algumas outras funções especiais. Também pode ser chamado de: smart key, hands-free, RKE (Remote Keyless Entry System), RKI (Remote Keyless Ignition System).

31. LAC: Load Adaptive Control – Controle Adaptativo de Carga. Detecta se o veículo está carregado, fazendo um ajuste dos sensores do ESC para otimizar a estabilidade.

32. LKS: Lane Keeping System – Sistema de permanência em faixa. Câmeras identificam a forma da estrada e conseguem acompanhar as linhas de divisão de faixas e mãos, emitindo um alerta para o motorista quando este se desviar de uma delas. Também pode ser chamado de: LKA (Lane Keep Assist).

33. Park Assist: Faz a maior parte do trabalho na hora de estacionar o veículo, utilizando radares de distância e controlando automaticamente a direção. Posiciona o automóvel dentro de uma vaga, que pode ser perpendicular, paralela ou em ângulo. Também pode ser chamado de: APA (Active Park Assist).

significado siglas do carro

34. PCS: Pre-crash Safety System – Sistema anticolisão. Monitora a área à frente do veículo e detecta colisões iminentes. Caso haja o risco, alguns sistemas emitem um sinal sonoro, enquanto outros freiam o veículo ou o desviam automaticamente. A detecção pode ser feita por laser, câmera ou radar, este último sendo capaz de funcionar em qualquer condição climática. Também pode ser chamado de: Pre-Collision System, Precrash System, Forward Collision Warning System, Collision Mitigating System, Automatic Emergency Braking System.

35. ROM: Roll-over Mitigation – Controle de estabilidade anti-capotamento. Diminui as chances de capotamento. Além dos sensores do ESC, este sistema também pode contar com sensores que identificam a inclinação do eixo horizontal do veículo. Caso detecte que o eixo está se desestabilizando devido a um impacto, ele ativa os sistemas do ESC, fazendo com que o veículo permaneça na trajetória. Também pode ser chamado de: RSC (Roll Stability Control), PRA (Proactive Roll Avoidance).

36. RSA: Road Sign Assist – Assistente para sinais de trânsito. Reconhece placas de trânsito e exibe um sumário de fácil compreensão no painel do veículo. Alguns veículos regulam a velocidade automaticamente de acordo com a velocidade máxima sinalizada. Também pode ser chamado de: TSA (Traffic Sign Assist).

37. SIPS: Side Impact Protection System – Sistema de proteção contra impactos laterais. É um sistema de segurança passiva desenvolvido para proteger os ocupantes em caso de colisão. Ele faz a utilização de materiais especiais nas portas, além de novos coeficientes de deformação nos metais de sua estrutura. A ideia é que as portas ajudem a coluna B (central) absorver impactos e proteger os ocupantes em caso de impacto lateral.

38. TPM: Tyre Pressure Monitoring System – Sistema de Monitoramento da Pressão dos Pneus. A pressão dos pneus é constantemente avaliada e um alerta luminoso acende no painel quando alguma irregularidade é detectada. Pode funcionar por meio de sensores próprios ou dos sensores de rotação do ABS. Também pode ser chamado de: TPMS (Tyre Pressure Monitoring System), DDS (Deflation Detection System). Leia mais

39. TVC: Torque Vectoring Control – Controle de Torque em Curvas. Monitora eletronicamente a velocidade das rodas dianteiras, e quando uma curva é feita, freia a roda de dentro para que ambas as rodas virem na mesma medida. Também pode ser chamado de: AHA (Agile Handling Assist).

40. VCDS: VAG-COM Diagnostic System – Sistema VAG-COM de Diagnóstico. Também conhecido por VAG-COM, é um software baseado em plataforma Windows usado para fazer diagnósticos computadorizados.

41. WHIPS: Whiplash Protection System – Sistema de proteção da coluna cervical. É um sistema de segurança passiva desenvolvido para proteger a coluna vertebral em caso de colisão. Ele fica dentro dos encostos dos bancos da frente e muda a inclinação deles, em caso de colisão, para evitar que o impacto seja transferido para a coluna e cause lesões graves ou fatais.

significado siglas do carro
Veja mais sobre:


0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário