Volkswagen regula Virtus para o mercado

Por Roberto Nasser26/01/18 às 19h41
Roberto Nasser VOlkswagen Virtus

O Volkswagen Virtus  é um automóvel invulgarmente bem acertado: espaçoso internamente, desenho muito feliz, sugerindo atualidade e dinamismo, pioneiro no uso de inteligência artificial – tira do motorista qualquer dúvida sobre o manual do proprietário. Motor pequeno, 1.0, turbo, 128 cv e 20,4 kgfm de torque, transmissão automática, ou 1.6 aspirado, 117 cv, caixa mecânica de cinco velocidades. O Volkswagen Virtus tem dimensões assemelhadas ao Jetta, agora descontinuado. Anda rápido e, no caso do motor 1.0, gasta pouco. Incomum reunião.

Projeto bem desenvolvido, com a marca dos irmãos Pavone, gêmeos designers em franca ascensão: um toca área internacional a partir da Alemanha, outro é responsável pelos produtos para a América Latina, como Virtus e Polo. Como explicação empregam plataforma modular MQB, uma espécie de grande Lego, permitindo aduzir e retirar partes de modo a conformar base de diferentes dimensões, como, por exemplo, aumentar a distância entre eixos ou o balanço traseiro para fazer o sedã Virtus ou reduzi-la para o Polo, aplicar soluções de informática, agregar sistemas de segurança. Por projetar, admite dois desdobramentos em desenvolvimento final: um SUV e uma picape.

Bem situado com a concorrência, além do estilo atual, flexibilizando conceitos estéticos alemães, o Virtus oferece-se como maior ante concorrentes GM Prisma e Hyundai HB20S. Como noção, tem, sem aparentar, as dimensões do VW Jetta, agora descontinuado. Porta as condições para ser o queridinho do mercado.

Na área do charme, tentando seguir o programa interativo da GM, adotou a inteligência artificial para dar mais facilidades aos usuários. Tem porte e segurança de veículos de classes superiores, graças ao emprego de aços de grande resistência, e itens de segurança como quatro bolsas de ar, frenagem pós-colisão, detector de fadiga do motorista e controle de estabilidade.

Roberto Nasser Volkswagen Virtus
Volkswagen Virtus: bem formulado

Focado no desejo do consumidor, mecânica exibe a conformação prática e de menor preço com o motor 1.6 aspirado, ou o caminho do futuro: aplicando 1.0 três cilindros. Suspensão para deseducadas ruas e estradas sul-americanas. Rodas em três medidas: aro 15”, de ferro na versão de entrada; 16” como equipamento básico e 17” opcional para as de topo.

Parte de infotenimento conta com o atrativo sistema de interação das respostas ao manual e tela de 20 cm. Para segurança a mais recente geração do ESP, o programa de estabilidade.

Argumentos de venda, menor custo no pacote de peças para consertos, seguros, revisões, com atrativo aos compradores da primeira leva da versão Highline, sem custos para as três iniciais.

Roda-a-Roda

“Emodinâmico” – Combinação alfanumérica SQ5 3.0, TFSI. Parece endereço em Brasília, mas descreve o novo Audi: SUV, tração nas quatro rodas pelo sistema Quattro, motor V6, 3.0 litros de capacidade. 354 cv em potência, e 500 Nm de torque.

Dinâmico – Complementando a feição emocional, dinamicamente se impõe: de 0 a 100 km/h em 5,4 segundos. Velocidade final cortada a 250 km/h. Epicurismo mecânico, para melhorar a combustão, substituiu o compressor mecânico da geração anterior por dois turbos; e os coletores de escape das duas bancadas estão ligados diretamente à carcaça do turbo. Surpresa, preço: R$ 397.990; opcionais – pintura metálica/perolizada: R$ 2.000; sistema Side-assist e câmera 360 graus a R$ 12.000.

Velocidade – Na Argentina, consequência do ritmo imposto ao país por um presidente empresário, norma legal determina que licenças e homologações obrigatórias para novos veículos deverão demorar no máximo 50 dias. No Brasil tempo médio é de 180. Lá, homologação de testes e emissões correm junto. Aqui, separadas.

 Tentativa – Indústrias automobilísticas do Mercosul tentam fazer que a homologação de um associado valha para os outros. Órgãos nacionais não aderiram.

Lotus – Legendária marca inglesa, agora com controlador malaio, volta à Argentina inaugurando loja. Não será na cidade autônoma de Buenos Aires, mas em Martinez, San Isidro, beiradas da capital. Representante é Daniel Buteller, conhecido no Brasil: foi da GM; diretor da Mercedes e também presidente da Audi.

Mais – Produtos e preços em grande arco: Elise Sport, 136 cv, e Evora Sport, 410 cv, de US$ 90 mil a 240 mil. No Brasil, graças ao programa Inovar-Auto e à visão torta de tratar importados como inimigos, não há mais representante.

Surpresa – Sempre cercada de versões sobre sua inviabilidade, absorção ou fracionamento para venda, a FCA, englobando Fiat e Chrysler, apresentou balanço positivo.

O quê? – Reduziu à metade a dívida industrial, agora em 2,4 bi euros; cresceu em 6,4% a margem de lucro; lucro líquido de 3,8 bi euros, 16% antes do EBIT, o resultado pré-impostos. Nos Estados Unidos, lucro de 7,9%. América Latina também ajudou solidamente. Em marcas, Maserati cresceu 65%, cumprindo o Plano quinquenal, agora em seu último ano de cumprimento.

Ocasião – Toyota fez encontro restrito para comemorar seus 60 anos de Brasil. Falou de bons resultados em vendas e participação; deu oportunidade ao ministro Marcos Jorge de Lima, da Indústria, Comércio Exterior e Serviços contar à imprensa sobre o projeto Rota 2030 e a decisão de reduzir os impostos sobre híbridos e elétricos 7% – como os 1.0.

Antecipação – Medida estava prevista no texto propositivo do Rota 2030, programa balizador para a indústria automobilística nos próximos 12 anos, e foi institucionalizada. Híbrido elétrico mais vendido no país é o Toyota Prius.

ROberto Nasser Volkswagen Virtus Yaris
Toyota Yaris começará a ser produzido em junho

Yaris – De passagem, Toyota anunciou que iniciará produção do Yaris em junho, vendendo-o em agosto. Hatch e sedã, concorrentes de Hondas Fit e City. mMotorização assemelhada: 1.5 litro, situado mercadologicamente entre o Etios e o Corolla.

Storm – Ford apresentará no início de fevereiro nova versão do EcoSport. Será chamada de Storm, buscando sugerir habilidades para enfrentar situações difíceis. Será feita sobre a plataforma para tração 4×4, mas nada tem de especial, exceto decoração, faixas e, moda atual, detalhes em preto.

Segurança – Latin NCAP, órgão dedicado a avaliar segurança dos carros vendidos na América Latina, em sua mais recente rodada de testes, conferiu cinco estrelas a ocupantes adultos e infantis ao VW Virtus. Chevrolet Onix, então reprovado, aplicou reforços estruturais e, requerendo submissão a novos testes, ascendeu a três estrelas nos testes de impacto para adultos e crianças.

Melhor? – Estudo conduzido pela Ford Europa concluiu, com base e aferição científicas, que dirigir um carro esportivo diariamente para, por exemplo, ir ao trabalho, oferece mais emoções que torcer pelo time de futebol; ver um episódio do Game of Thrones; beijar a pessoa amada. Explica alguns mal educados ricos.

Na veia – No mercado automobilístico atual, marca fora dos Estados Unidos ou da China estará com futuro comprometido. PSA – Peugeot, Citroën, DS, Opel, Vauxhall – tem negócios industriais na China e plano de, em 10 anos, estar no mercado norte-americano. Instalou-se em Atlanta.

Jogo duro – Para transitar com crianças em transporte escolar, em estradas de difícil trânsito, Marcopolo desenvolveu o miniônibus Volare V8L 4×4: tração 4×2, 4×4 com reduzida; maior altura do solo; proteção ao cárter do motor e tanque de diesel. Motor Cummins 3.8 Euto V, 152 cv. Leva 31 estudantes.

Festa – Comemorando o 20 de janeiro, Dia Nacional do Fusca, mais de 1.000 colecionadores da marca reuniram-se no São Bernardo Plaza Shopping, na cidade onde foi montada a maioria dos fuscas no Brasil.

Roberto Nasser VOlkswagen Virtus Fusca
Horácio, o Fusca verde Hippie, 1974, do colecionador Ervin Moretti, é o Fusca mais conhecido no meio

Gente – Mudanças na PSA Brasil. OOOO Carlos Gomes, português responsável pela volta aos lucros, transferido. OOOO Promoção: número 1 na China, maior mercado mundial. OOOO Patrice Lucas, francês, o substituirá. OOOO Nas marcas Peugeot, Citroën e DS, quando operacional, contração. OOOO Paulo Solti, ex-Citroën e quase DS será planejador de produto para a América Latina. OOOO Ana Theresa Borsari, então diretora geral da Peugeot assumirá as três marcas. OOOO Revendedores preocupados. OOOO Atribuem a Ana Theresa a criação do Peugeot 207 Mercosul, início da queda de vendas da marca, e pela participação na Stock Car, com publicidade enganosa atribuindo vitória de motor Chevrolet como se fosse Peugeot. OOOO Sir Stirling Moss, piloto inglês, 88. OOOO Larga folha de vitórias em muitas categorias, incluindo Mille Miglia 1955 com Mercedes SLR. OOOO Sempre ativo em eventos de automóveis antigos, em férias em Singapura contraiu infecção toráxica e se recupera lentamente. OOOO

Veja mais sobre:


0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário