Amaciar o motor interfere no consumo?

Por BORIS FELDMAN15/05/18 às 21h30

Amaciar o motor sempre foi um tema cercado por acertos,  lendas e práticas que já não funcionam nos motores novos. E, de tantas recomendações para se reduzir o consumo, será que amaciar o motor é uma eficaz medida para esse fim?

[TRANSCRIÇÃO]

É verdade que quando o automóvel está novo, com poucos quilômetros rodados, o consumo de combustível é um pouco mais elevado e, com o passar do tempo, ele se reduz? Sim, é verdade, isso pode acontecer. Mas, o que não é verdade é que se você está com o carro novo, com poucos quilômetros rodados e, percebe entre um abastecimento e outro,  que o consumo de combustível está muito elevado, você vai na concessionária, reclama, e aí lá na oficina costumam usar desse argumento para ficar livre do freguês. Ou seja, é mentira falar que se o carro está fazendo sete quilômetros por litro, digamos depois de rodar dois mil, três mil km, ele vai passar a fazer nove quilômetros por litro, isso é conversa pra boi dormir!

A diferença existe, mas é quase imperceptível. Vamos dizer que ele passe de 7 para 7,2, 7,3 quilômetros por litro e olhe lá. Mas, por que essa eventual redução de consumo depois que o carro roda durante algum tempo? É porque dentro do motor existem componentes que se atritam uns contra os outros, os pistões, por exemplo, se movimentam dentro de cilindros e à medida que essas peças vão se ajustando o atrito se reduz,diminuindo se portanto o consumo de combustível. Mas não de 20 ou 30% como às vezes insinua algumas concessionárias.

amaciar o motor

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Gabriel 19 de maio de 2018

    Não é bem assim, o amaciamento ainda faz diferença nos motores. Conhecido meu, comprou um Jeep Renegade 1.8 Flex 0km. De cara, o computador de bordo marcava na casa dos 4,5 a 5,5 km/l. Ele ficou espantado, pois seria consumo de V8. Hoje, perto dos 10.000km rodados, o computador de bordo não baixa de 7km/l, sendo conduzido da mesma maneora pelo mesmo motorista. Essa história de que o amaciamento não existe mais está deixando muitos proprietários mal informados, prova disso é que o número de casos de motores dando problemas graves com baixíssimo tempo de uso e km rodada está cada vez maior, sendo que com a maior tecnologia envolvida esse número deveria ser reduzido

Deixe um comentário