Comprou um carro usado? Então, confira alguns itens básicos

Além dos trâmites legais, conferir alguns itens básicos no automóvel usado pode evitar uma tremenda dor de cabeça para o novo proprietário

Por Boris Feldman28/08/18 às 21h00

Se você comprou um carro usado, veja alguns itens básicos de manutenção que devem ser conferidos. Esse hábito evita que você tenha algumas surpresas desagradáveis, além  de um prejuízo para o seu bolso.

[TRANSCRIÇÃO]

Quando se compra um automóvel usado, deve -se verificar vários itens. Mas, os mais importantes são aqueles que o dono anterior pode ter relaxado na manutenção, justamente porque ia vender o carro. E os mais importantes são aqueles que vencem como tempo, com a quilometragem.

A começar do óleo do motor e dos quatro filtros: de combustível, do próprio óleo, de ar e da cabine ou do ar-condicionado. Em seguida, o fluido do freio e o líquido de refrigeração; verificar se já não inspirou seu prazo de validade. Na sequência, o estado dos pneus, principalmente o estepe, que fica esquecido no porta-malas. Afinal, os pneus devem ser substituídos no máximo a cada seis anos. lembre-se também das palhetas dos limpadores de para-brisas e das diversas correias. Inclusive da perigosa correia dentada do eixo comando de válvulas, que se arrebentar será um estrago,  no motor e no seu bolso.

comprou um carro usado
Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Sérgio 29 de agosto de 2018

    Importantíssimo conselho, porque diversamente do que já foi deixado a entender por aí, as peças e fluidos que necessitarem ser substituídos pelo desgaste normal do uso, independentemente de prazo, não caracterizam vício de qualidade e nem ensejam a responsabilidade do revendedor, a não ser que ele tenha se responsabilizado no contrato.

Avatar
Deixe um comentário