Gás Natural: seu preço em elevação preocupa os taxistas

Entre os combustíveis líquidos, o GNV foi o que teve a maior elevação nos últimos 12 meses em seu valor por metro cúbico

Por BORIS FELDMAN14/11/18 às 23h30

O Gás Natural é o combustível alternativo (e mais barato) para quem roda muito com o carro. Mas ultimamente, com seu preço em elevação, ele ainda continua valendo à pena?

[TRANSCRIÇÃO]

O Gás Natural Veicular (GNV) tem vantagens e desvantagens em relação aos combustíveis líquidos. A principal delas é o custo do quilômetro rodado, bem inferior ao álcool ou a gasolina. E o retorno do investimento feito no seu equipamento, de 5 a 6 mil reais, só é rápido no caso dos taxistas, que rodam de 5 a 6 mil quilômetros/mês. Mas para a maioria dos motoristas que só roda 1.000 a 1.200 quilômetros/mês, as contas só vão fechar em quase dois anos.

Mas agora, principalmente o taxista que depende do custo do GNV está preocupado. Pois o GNV foi o combustível que teve a maior elevação de preço nos últimos 12 meses. E é uma preocupação que faz sentido, pois os critérios da Petrobras para estabelecer preços de combustíveis, é meio nebuloso, e ela detém o monopólio do gasoduto que traz o gás da Bolívia. Não é uma ameaça para o GNV?

Gás Natural

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

2 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Aurélio 15 de novembro de 2018

    Em relação ao óleo do motor, o que acontece qdo fica por algum tempo sem acionar o motor, ex: na oficina fazendo algum reparo (Chapeação/funilaria)?

    • Alexandre Gonçalves de Souza 15 de novembro de 2018

      Respondendo a sua pergunta acima, carro muito tempo parado pode danificar sim do diversas peças, tais como borrachas, vedadores, bateria. No caso do óleo, passou de 6 meses, ele perde a validade. Se o óleo ficar muito tempo parado, ele impregna e acaba virando uma espécie de cola. Ao dar partida num motor muito tempo parado, por estar encrustado ou impregnad, pode avabar forçando os anéis do pistão vindo a quebra -los. Por tal motivo, o motor deve ser funcionado uma vez por semana e o óleo troca no mínimo a cada seis meses caso o veículo esteja parado. Caso contrário, o mecânico deve usar procedimentos técnicos para dar partida em motores muito tempo parado, sob pena de danificar lo.

Deixe um comentário