Preço do GNV está alto? De quem é a culpa?

Por ser responsável por quase 100% da importação do gás natural veicular, Petrobras é quem tem controle sobre o preço do combustível

Por Laurie Andrade20/10/18 às 16h02

Por longos anos, o Gás Natural Veicular (GNV) foi uma opção para motoristas que rodavam muito e precisavam economizar. Mas, com a falta de concorrência real, fica difícil assegurar que o combustível é uma boa opção. É que a Petrobras pode continuar aumentando o preço do GNV quanto quiser.

O vice-presidente do Sindicato Intermunicipal dos Condutores Autônomos de Minas Gerais (Sincavir), João Paulo Dias, afirma que a alta do último ano, de 21,8%, teve impacto no cotidiano dos taxistas. “O acréscimo do preço refletiu não só na utilização do combustível, mas na diminuição da instalação do kit gás. Isso porque a transformação é cara e, sem o baixo valor do GNV pra compensar, os profissionais acabam desistindo de usá-lo”.

Ainda de acordo com o vice-presidente, atualmente o combustível mais adotado pelos profissionais é o etanol. “O gás ainda é utilizado, mas o aumento no preço do GNV fez com que os profissionais optassem mais pelo derivado da cana”.

Formação de preço do GNV

A formação do preço do GNV é complexa. Além de estar indexada ao valor do dólar, como a da gasolina e diesel, ela não passa pelo controle do Ministério de Minas Energia (MME) ou da ANP. Isso sem falar que, ao contrário dos demais combustíveis, o GNV não é importado por várias empresas. A Petrobras é responsável por quase todo o transporte e venda do gás aos Estados e, por consequência, não precisa se preocupar com a competitividade do preço do GNV.

O mercado funciona de acordo com os termos do § 2 do art. 25 da Constituição Federal, que afirma que cabe aos Estados explorar diretamente, ou mediante concessão, os serviços locais de gás canalizado (distribuição).

O preço do GNV não é controlado pela ANP ou pelo Ministério de Minas e Energia. Quem manda no valor é a Petrobras, responsável por quase 100% da importação.

O AutoPapo questionou, ao MME, se há perspectivas de que o número de empresas responsáveis por importar e vender o GNV aumente, na esperança de dar uma boa notícia aos leitores. A resposta foi a seguinte:

A Petrobras é responsável por quase a totalidade da importação de gás boliviano. Em função da competência Estadual quanto à exploração dos serviços de gás canalizado, são as distribuidoras estaduais que planejam o atendimento dos mercados e consumidores finais. Ou seja, são os Estados os entes responsáveis pelo planejamento e estabelecimento de políticas de estimulo ao consumo de GNV.

A Petrobras é, segundo o MME, a única empresa a importar gás natural pelo GASBOL (gasoduto com entrada no Brasil pelo Mato Grosso do Sul). Isso porque a capacidade do gasoduto está completamente contratada pela estatal, o que impossibilita a utilização por outras empresas.

Duas outras instituições possuem autorização para importação de gás boliviano por meio do Gasoduto Lateral-Cuiabá, mas o volume de GNV trazido por elas é irrisório. Não existem empresas autorizadas a importar gás natural por meio do modal rodoviário.

Resumo da ópera: não há nenhuma perspectiva para controle do preço do GNV ou aumento da concorrência, medidas que poderiam assegurar, aos consumidores, que os valores não vão variar de acordo com a (má) vontade de Petrobras.

Independente da alta ou da queda do preço do GNV boliviano, a estatal brasileira pode estipular o valor que bem entender.

Variação do preço do GNV nos últimos meses

Combustível Valor médio na última semana Valor médio em agosto Aumento
GNV  R$/m3 2,88  2,79 3%

Aumento do combustível no último ano

Combustível Média Nacional outubro de 2018 Outubro de 2017 Diferença
GNV R$/m3 2,90 2,38 21,85%

Vale a pena instalar o ‘kit gás’?

O preço do GNV (em metro cúbico) é mais barato do que o litro dos demais combustíveis. Mas o motorista deve considerar outros gastos quando resolve instalar o “kit gás”.

Colocar o sistema GNV tem um custo médio de R$ 5 mil para os kits de 5ª geração, com injeção eletrônica de gás natural (para veículos fabricados depois de 2007).

Além da instalação do kit gás, é preciso pagar as revisões do cilindro, a mão de obra e o registro no departamento estadual de trânsito.

O GNV rende, de acordo com a Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), até 60% a mais do que a gasolina, se considerarmos o sistema mais moderno, de quinta geração.

A média mensal de quilômetros rodados em um carro particular é de cerca de mil km. Se o veículo fizer uma média de 8 km/l com gasolina, a economia total com o preço do GNV vai girar em torno de R$ 3.520. Nesse caso, serão necessários pelo menos 18 meses para se ter o retorno do investimento com o Kit.

4 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • NEEMIAS SOUZA 8 de novembro de 2018

    depois dizem que o PT que rouba!!! ou que roubou!! quando tinhamos o governo do PT , o GNV custava irrisório R$ 1,60!! engraçado né !! Agora ninguem rouba e custa R$2,79!! 75% de aumento!! vai entender !! a Petrobras é a unica empresa que só da prejuizo e nunca vai a falencia !! porque sera ???

  • Fagner 24 de outubro de 2018

    Além de estar muito caro, eu queria saber porque parou de transportar GNV em caminhões tanques, na Minha cidade o tinha um posto de GNV, que era abastecido por caminhões tanques e parece que não pode mais, sendo que a gasolina é o álcool são mais inflamáveis que o GNV. Ou monopólio por dutos de transporte ficou só ficou só com a Petrobras?

  • Alexandre 24 de outubro de 2018

    Saudações! Ainda estamos pagando pela greve
    dos caminhoneiros.
    A gasolina aditivada custava 3,70/l em média,
    aqui em São Paulo/Capital, na 1ª quinzena de Maio/2018. Em postos decentes, né?!
    25 dias depois não se encontrava por menos de
    R$4,40… proporcionalmente, o Etanol foi junto, assim como o GNV. E tb o GLP, né?!
    Estranhos cálculos para muletar os R$0,40 de
    “subsídio” no Diesel.
    Estamos pagando a conta, confere Mr. Bóris?!
    Calados, como sempre. E só prá variar.

  • Jackson do Porcelanato 22 de outubro de 2018

    Sei la, to cabrero com esses aumentos, desanimador, daí todo anos tem 320 pau de vistoria do gás, dai sempre inventam alguma coisa pra reprovar na vistoria e vc tem mais gastos pra regularizar tal coisa, ano passado invocaram que a chapa que protege o cilindros estava com pontos de ferrugem, isso tem que trocar então todo ano porque sempre vai enferrujar e rápido, pois pega água direto,mas ontem fui de Joinville para Curitiba e andei um monte por lá, rodei 295Km só com uma carga de gás, 22m2, deu 57 pila, esse é o atrativo, mas é por pouco tempo, logo eles aumentam demais isso e chega ao mesmo valor que a gasolina, revoltante.
    Obs. Meu carro é uma blazer 2.4 advantage

Deixe um comentário