Acabou o quebra-galho para carros mais velhinhos

É incrível como mecânicos criativos fazem o automóvel durar nos países de terceiro mundo, mas isso está para acabar

Por BORIS FELDMAN08/07/18 às 09h00

Milhões de carros mais velhinhos rodam hoje no Brasil, sabem os deuses como. Dá para comprar uma destas sucatas sobre rodas, uma “coisa que anda”, na faixa de R$ 1.000 a R$ 2.000. Que seria reprovada na primeira blitz, pois carroceria e suspensão estão fora do prumo, pneus são remoldados e carecas, a parte elétrica está em estado de coma há anos, muita fumaça (e nível proporcional de poluição) pelo escapamento, freios que não freiam, para-choques amarrados com arame, um completo caos mecânico e estético.

carro velho carros mais velhinhos conserto guebra-galho

Circulam pela inoperância das nossas autoridades de trânsito, incapazes de implantar a inspeção veicular, estabelecida pelo Código de Trânsito Brasileiro e atrasada há quase vinte anos. Pelo jeito, vai demorar a sair do papel, pois é briga de cachorro grande atrás deste gigantesco faturamento. Tanto que a inspeção chegou a existir na capital paulista, mas logo surgiram as inevitáveis suspeitas de maracutaia e ela foi suspensa. E novamente anunciada, para o próximo ano, a fiscalização das emissões dos veículos a diesel.

Os carros que continuam teimosamente nas ruas acabam motorizando gente humilde, que muitas vezes não tinha se aboletado sequer numa motocicleta. Uma transformação na vida do profissional de serviços domésticos: eletricista, pintor, empregada doméstica ou bombeiro que chegavam para trabalhar a pé, de ônibus, bicicleta ou moto, aparecem hoje dirigindo o seu automóvel.

Uma frota de Doginho Polara, Corcel, Brasilia ou Chevette, que sobrevive graças ao talento de mecânicos prontos para quebrar o galho. Se o carburador do Monza ameaça desintegrar-se, adapta-se o do Vectra. Queimou a bomba de gasolina da Brasília? Põe no lugar a da Variant. E assim, de remendo em remendo, arame e araldite em punho, os malabaristas da mecânica vão perpetuando a existência dessas sucatas. Se um carro nestas condições fosse submetido a uma inspeção, exigiria o dobro ou o triplo de seu valor para se enquadrar nas condições legais de circulação.

Enquanto estas velharias de 30 ou 40 anos rodam caindo aos pedaços, no primeiro mundo eles mal chegam a comemorar o décimo aniversário de fabricação. Primeiro, porque vários países estabelecem uma classificação tributária contrária à nossa: ao invés de reduzidos, os impostos aumentam com a idade.

No Japão, por exemplo, é quase impossível rodar com um carro acima de cinco anos de fabricação, pois a taxa anual de circulação torna-se pesadíssima. Outro fator que inibe os velhinhos é a inspeção veicular a que são obrigados a se submeter anualmente. Finalmente, o elevadíssimo custo da mão de obra, que torna inviável as constantes idas e vindas à oficina.

Entretanto, a eletrônica que tomou conta do automóvel está interferindo nesta perigosa e surpreendente longevidade dos automóveis em países de terceiro mundo. Como?

Modelos mais recentes, mesmo básicos e baratos, já aposentaram carburador, distribuidor e contam com injeção eletrônica de combustível. Quanto mais sofisticada a versão, mais a eletrônica marca presença. Esta nova tecnologia aumenta a confiabilidade, a segurança e o desempenho dos carros, reduzindo consumo e poluição. Mas, por outro lado, traz um obstáculo em termos de manutenção: impede que os mecânicos, por mais talentosos que sejam, consigam “quebrar o galho” de uma injeção eletrônica pifada. Ou de um câmbio automático travado por um chip queimado. Seu reparo exige equipamentos tão sofisticados quanto eles próprios.

Oficina sem computador e o software específico do modelo dificilmente terá condições de corrigir um problema relacionado com a eletrônica, presente hoje em todos os sistemas mecânicos do automóvel. Então, com ou sem inspeção veicular, será quase impossível, dentro de alguns anos, rodar com um carro controlado pela eletrônica: o custo para mantê-lo funcionando será superior ao de seu valor comercial. Qualquer pane mais complexa significa seu fim de linha.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

172 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Evandro 2 de dezembro de 2018

    Nunca vi tanta merda escrita junta em um único testo, escreveu tanta bobeira que senti vergonha alheia de ler até o fim.

    • luiz 12 de dezembro de 2018

      tenho um gol chaleira a 19 anos so foi duas vezes numa oficina para revizar nunca incomoda rodo pelas rodovias vendo carroes do ano fervendo o motor ou com sensores queimados ,passo numa oficina so vejo carroes modernos pendurados nos elevadores e os donos gastando o olho da cara ;ta certo sucata e sucata mas um antigo bem conservado da um banho de durabilidade ;otimo custo beneficio e vai onde um novo 0km vai ;e bom besteira neste artigo

  • Robson Alves da Silva 8 de setembro de 2018

    Kkkk já vi muito carro novo que pelo estado de conservação se tornam mais velhos que o meu não existe carro velho,existe proprietário relaxado !!!

  • Fael 11 de julho de 2018

    O cara q publicou essa matéria e inteligente conseguiu seu objetivo, a repercussão do assunto nos comentários. Só pode ser isso q ele queria kkkkkkkk

  • Sérgio 9 de julho de 2018

    Tenho um fusca 1976. Impecável… Todo arrumado, este escritor deve ser da banda dis cobradores de impostos, se quiserem vender estas sucatas zero km que o Brasil fábrica COM IMPOSTO REDUSiDO até que poderia atender a população. Mas o escritor previsa ir à trás e de concertar as estradas, Solicitar a baixa de ipi, ipva etc. Menos dar pitacos onde não sabe….

  • Sérgio 9 de julho de 2018

    Tenho um fusca 1976. Impecável… Todo arrumado, este escritor deve ser da banda dis cobradores de impostos, se quiserem vender estas sucatas zero km que o Brasil fábrica COM IMPOSTO REDUSUDO até que poderia atender a população. Mas o escritor previsa ir à trás e de concertar as estradas, Solicitar a baixa de ipi, ipva etc. Menos dar pitacos onde não sabe….

  • Siliomar 9 de julho de 2018

    Que matéria de merda onde este débil acha que ele mora?

  • Deni 9 de julho de 2018

    O cara que não tem a capacidade de fazer uma matéria seria e vem escrever um bando de merda como essa não é mais de surpreender. Esse b…@ que escreveu isso deve ser mais um alienado criado pela vovó com leitinho na cama e torradinha com Nutella. Vai caçar o que fazer, e o pior é o bosta que autoriza uma reportagem de merda como essa. Esse é o futuro do país, lixo escrevendo lixo. Ah, e o carburador do Vectra só se for do pai dele, aquele sem noção que não ensinou merda nenhuma a esse alienado.

  • Tiago 9 de julho de 2018

    Este jornalista e um imbecil

  • Pinotti 9 de julho de 2018

    Vende-se garrafa latas velhas kkkkk amo os carros antigos.

  • ALEX MEDEIROS 9 de julho de 2018

    Isenção de IPVA é o jeitinho político de resolver as coisas, assim como tirar verba das estradas para reduzir o preço do combustível. Tem que rir pra não chorar

  • Rafael 9 de julho de 2018

    Esse cara só escreve merda não entende nada de carro ele acha que é todos que suportam essa carga tributária que temos e ainda comprar um carro zero comédia mesmo

  • Severino José oliveira silva 9 de julho de 2018

    Bom dia !
    Boris tenho dois carros que pra muita gente , com condições financeira bem melhor que a minha , assm como vc , tenho certeza , que vai desejar entrar e dar uma voltinha , nem todo mundo ,tem as mesma condições que vc , acho que vc ,desculpas o Sr. Não sabe a diferença entre carro antigo ,é um carro velho , como o senhor ver todos foram contra o Sr. Matéria ridícula , tem que prestar mais atenção ao escrever laateria dessas , nem todo todo mundo tem condições de comprar um carro zero km , o Sr . Fez uma coisa horrível ,não racista ,pq existe uma distância muito grande entre racismo e preconceito , o Sr. Deveria se envergonhar disso , e pedir desculpas aos seus leitores . Vc
    Há meus dois carros velhos como falou aqui nessa matéria ,onde matou muita gente que tem carro velhos como eu ! São dois dois Civic ! Um lx 1994 , é um 2011 , quero convidar o Sr para dá uma voltinha no meu Civic 1994 ,tenho certeza que Sr. Vai sentir muito prazer em dirigir um modelo velho como o meu . Sinceramente ! Tem muita gente nesse país com todas essas mazelas que temos , que acorda cedo e vai trabalhar com seu carrinho velho ,e que não tem esse preconceito … Como dizer … Social , que vergonha !!!!! Tenha um bom começo de semana ! Convite feito , é marcar onde quiser testar meu modelo ,tbm conheço pessoas com modelos como falou antes , assim com Doginhos , fusquinha . A poderosa Brasília , ,tem até DKW acredita nisso todos rodando muito bem ! Hummmm ,toma jeito rapaz !!!

  • Patrick Ribeiro 9 de julho de 2018

    Um monte de gente defendendo suas nostalgias, gente um carro novo dificilmente será pior que um velho, em todos aspectos …

    Comunista???
    Kkkkkk

    Agora todo mundo que não concorda comigo é comunista? Bela definição

    • André 3 de dezembro de 2018

      O problema no Brasil é que o carro novo é vendido superfaturado ao contrário do Japão onde se compra por um preço bem menor.
      Eu tenho carro velho, eu queria muito ter um novo e trocar com no máximo 5 anos de uso. Mas com baixo salário no Brasil e carro superfaturado, que mágica se faz para se comprar um 0 km?

  • Jaques Vieira 9 de julho de 2018

    Que matéria heim…😑
    Carburador de Vectra? Deu pra ver que sabe tudo de carro. 😂😂😂

    • Fernando Silva 9 de julho de 2018

      Percebi esse erro grotesco. Pelo visto o antigo que precisa ir para o ferro velho é o jornalista autor do texto. O cérebro desse jornalista deve ser uma dessas sucatas enferrujadas, alimentado por carburador, platinado, condensador e dínamo, que ja deveria ter sido desmontado

  • Vilson 9 de julho de 2018

    Até concordo com as adequações as condições de outros países no que diz respeito ao assunto, mas, também teríamos que ter igualdades com esses países no tocante a condições de compra de um veículo zero , sem contar com o restante ,estradas, valor de manutenção etc, então pra se estinguir os veículos antigos pra se igualar aos países desenvolvidos teríamos que nos igualar em muitas outras coisas

    • Lazaro 9 de julho de 2018

      Concordo nos outros pais informado é melhor compra novi que manter usado pelo custo

  • Renan da silva 9 de julho de 2018

    Você não pode estar acusando os mecanicos e os donos de carros antigos ou usados ou sucatas como você falou. Estamos em guerra seu infeliz. Como comprar só carros zeros km em um país que só tem políticos ladrões,porque você não pesquisa sobre carros elétricos auto recarregável. Eles não arrebatam a natureza,

  • Marcio 9 de julho de 2018

    Matéria ridícula

  • ROSANE 9 de julho de 2018

    Meu carro é de 1989, está muito bem conservado foi pago a vista sem sacrificar o orçamento, jamais trocaria por um carro básico zero que não dura 5 anos mas teria que pagar a perder de vista, tem muito carro velho que vale mais que novo, os mecânicos aqui são bons em jeitinho sim e aprenderam muito bem a deixar carro velho como novo

  • Wagner 9 de julho de 2018

    Achei fracos os argumentos, se a injeção eletrônica apresentar defeito é só arrancar ela fora e adaptar um carburador, já vi Civic e Alpha Romeo de feirante com carburador, em um país onde tudo é caro e proibitivo ninguém vai se dar ao luxo de jogar um carro fora sem antes amarrar um monte de arame nele. Os carros destruídos estão aí e vão ficar para sempre

  • Rafael 9 de julho de 2018

    Não se compara Japão com brasil, lá o salário é melhor que aqui o preço de um carro é cabível ao bolso dos japoneses aqui pra comprar um carro uma pessoas de classe baixa ou até classe média tem que ficar 5 anos ou mais se matando para pagar prestações e ainda compra uma bosta de um carro básico kkkkkk então não diga mais essas besteira eu até concordo com os carros que estão só o cacareco mais muitos carros com 10 anos ou mais que estão conservados esse não podemos jogar fora.

  • Francisco P T Matos 9 de julho de 2018

    A maioria dos acidentes graves acontecem com veículos novos ou seminovos, em linha reta. Aqueles veículos cujos condutores acendem os faróis para os velhinhos saírem para o acostamento.

  • Jessica 9 de julho de 2018

    Você tem que se informar primeiro,nao entende nada de carros e e ainda tenta fazer uma materia ruim dessas.se compra um monza 86 ai voce vai ver o que é carro de verdade e quem sabe nao aprende um pouco de mecanica tambem.

  • Renato 9 de julho de 2018

    Nem todo carro velho e sucata , agora quero que voce fale em uma proxima materia se o governo tem algum plano para facilitar ou baixar os precos dos veiculos para que um assalariado possa ter um carro novo o que vc nao dissee que nestes paises o governo apoia o povo ao contrario do nosso pais pois com um salario vergonhoso o trabalhador nos dias de hoje tem que andar e de carro velho mesmo e mesmo assim este trabalhador nao tem direito a um carro velho que para ele e um artigo de luxo e comodidade para ele e sua familia

  • Fernando 9 de julho de 2018

    Boa a matéria Boris! Mas é bom saber que tudo evolui. Os velhinhos ainda sair fonte de renda de muitas famílias. Mas isso também vai evoluir com o tempo, com carros mais novos para eles também. Assim caminha a humanidade automotiva! Parabéns pelo portal. Depois de uma passada no nosso (maosaoauto.com.br). Abraços.

  • Anderson freitas 9 de julho de 2018

    Quem é o redator desta página ?
    Qual o problema dos trabalhadores terém seus carros ? Caso eles aparecessem com carro zero, logo seus patrões os mandariam embora,pois os mesmo não têm o direito de ao menos uma vez sentir o conforto,ainda que em carro velho de chegar ao seu trabalho ?

  • Paulo 9 de julho de 2018

    Boris. No Japão o imposto anual do veículo fica cerca de 20% mais caro depois do 15° ano de uso, e não do 5° ano como você descreve na sua matéria classísta e rassísta. E outra. Nos países de primeiro mundo um trabalhador comum compra um carro 0Km com 6 meses de salário, e aquí no Brasil? Isto é possível? Então antes de escrever besteiras vais estudar e se interar dos fatos! Vectra não tem carburador, e a bomba de combustível da brasília não queima, pois não é elétrica. Idióta!!!

  • Nestor Tadeu toninato 9 de julho de 2018

    ATE MEUS NETOS DE 12 anos sabem mais que o boris imbecil

  • Luimport 8 de julho de 2018

    Kkkkkk pior que carburador no Vectra, e a queima da bomba de combustível da Brasília…. Kkkkkkk essa Geração Nutella tá cada dia mais cômica kkkkkkkk

    • Marcos 9 de julho de 2018

      👍

    • J. Vieira 9 de julho de 2018

      😂😂😂😂

  • Moreira 8 de julho de 2018

    É tão simples carro com injeção deu pau instala um injeção programável acabou volta melhor que a injeção original ou seja vai ter carro velho na rua sim e se reclamar vamos usar nos carburador tudo chevette fusca corcel tudo injetado kkkkk nao sabe nada de carro vleho

  • Não interessa 8 de julho de 2018

    Idiota e só bloquearem o que este sem noção escreve,cara desenformado

  • Alan 8 de julho de 2018

    Como pode uma pessoa que nao entende de carros fazer uma matéria ruim dessa?
    Falou que vectra tem carburador!!!
    Faça me um favor!!
    Vai falar de outra coisa, porque de carros você não manja nada seu repórter de meia tigela.

  • Edson Alves neves 8 de julho de 2018

    Boa noite tenho um gm omega ano 92/93 que faz de 11 a 13 km por litro de combustível, todo original motor todo revisado e sem nenhum vazamento de óleo e tem uma eu não troco ele em nenhum veículo popular 0 km.

  • Jackson 8 de julho de 2018

    Penso que o ser abominável que escreveu isso não tem nenhuma nocão do que esta falando….kkkkkk
    Queimou a bomba da Brasília…kkkkk..
    Bicho burro…. Bomba de Brasília não queima, quebra…. Vai aprender algo sobre carro antigo antes de publicar um lixo desse, o burro….,

    • Edinho 8 de julho de 2018

      Kkkk o cara e bem burro mesmo bomba de Variant e Brasília e a mesmo bomba bicho burro

  • Eletiano Gonçalves 8 de julho de 2018

    Meu Deus, quanta ignorância!!!
    Um monte de proprietário de carro velho com quatro pedras à punho em defesa de suas sucatas!!!
    A matéria é interessante, lê e concorda quem que.
    O fato é que no Brasil a maioria da população não pode trocar o carro antes de cinco anos, haja vista que este é o tempo que leva para paga-lo. Pois além do veículo precisa pagar uma das maiores cargas tributárias do mundo.
    Vcs deveriam brigar contra isso ao invés de querer convencer que carro velho é bom!!!!
    Carro velho é bom pra quem nao pode comprar um novo!!!

  • Misael 8 de julho de 2018

    Não é esse cara,que faz consultoria sobre mecanica, naquele programa da rede bobo de televisão, que passa domingo pela manhã??? Acho que é autoesporte???Aquele mesmo programa elitista capacho das montadoras(É,porque é uma grande propagandista disfarçada de programa automotivo ou automobilístico das vorazes,inescrupulosas e oportunistas montadoras de veículos brasileiras).Ah, então está explicado!!!

  • Odair 8 de julho de 2018

    Infelizmente a matéria é iffjfdyddudc sem comentários
    Tenho um Opala uma Variant 72 Fusca 65 corcel 78 belina 73 Fusca 78 Omega todos velhos não troco nenhum por carro novo

    • Eletiano Gonçalves 8 de julho de 2018

      Claro!!! Ninguém quer!!!

      • Gustavo 9 de julho de 2018

        Sai daê, babão. Tem Opala mais caro que muito plastimóvel 1.0 novo por aí. Se você é igual o Bóris, e não entende nada de carro, fica caladinho e para de passar vergonha.

  • Misael 8 de julho de 2018

    Cara,não vou nem perder meu tempo:primeiro lendo as asneiras que esse cara escreveu,e segundo:esse asno não entende nada de carros,nem de política,nem de economia,nem de carros antigos que por sinal valorizou pra caramba(alguns até valem mais que uma casa)ou seja ele não sabe de nada

  • Renato 8 de julho de 2018

    Que matéria lixo, provavelmente a pessoa que o escreveu acabou de adquirir um carrinho agora é acredita que a solução do Brasil é fazer com que todos troquem de veículo também.
    Viagem total

  • Frederico 8 de julho de 2018

    É verdade que os carros modernos, verdadeiros computadores ambulantes em forma de automóveis, estão “caminhando” para a extinção do mecânico artesanal e do próprio motorista.

    Inegável, porém, que o poder econômico proporcionará a privilegiados continuarem com seus automóveis clássicos, restaurando-os e os conservando quase que “ad eternum”; é minha opinião.

  • Wellington 8 de julho de 2018

    Queimou a bomba de gasolina da Brasília? O desde quando é elétrica? Putz matéria horrível.

  • RoniSBB 8 de julho de 2018

    Matéria no mínimo idiota!!! Muito mal embasada!!! Pois os carros antigos são na grande maioria é bem mais econômico q os carros novos!!! Sabemos q tecnologia pra fabricarem motores mais econômicos tem! Porém a máfia por trás do petróleo é maior!!! Sem contar os modelos atuais SUV e os carros de luxo que na grande maioria se fizer mais que 6km/por Litro é muito!!!

    Amigo editor, refaça sua matéria, pois foi muito infeliz!!! Errar é humano, só refazer a matéria e desculpar pela péssima informação q repassou!!!

  • Marcos Vinicius Huff 8 de julho de 2018

    Tenho uma caravan 1980 e não faz nenhuma fumaça, tem muita peça de reposição ainda, é simples criticar as pessoas, difícil é se colocar no lugar delas, deixem quem gosta de carro antigo em paz…

  • Josimar 8 de julho de 2018

    Esse cara só falou merda em sua matéria , e ainda comparar a frota do Brasil com a Europa aqui pagamos dois veículos em um .fora tantos impostos.

  • JULIMAR ZANINI 8 de julho de 2018

    Cara você não entende nada de carro. Tenho uma C10 ano 1979 é uma S10 2018. A S10 não faz a metade do serviço que faço na fazenda com a C10. Portanto o carro pode ser velho, mas a resistência é muito mais que o dobro dos carros novos. Respeito tem que ser dado, e não críticas sem fundamento.

    • Roque silva 8 de julho de 2018

      Concordo amigo, tenho uma s dez 96, e ela gasta menos de que um palio ano 2000, que tive. Ela ė 2.2 e carrego 900 kg e nao da diderenca ao acelerar, ja uma nova duvido que aguente isso.

      • Wesley Alves 9 de julho de 2018

        Como tu é mentiroso. Falar que uma S-10 2.2 carregada com 900kg não sente diferença na aceleração. Aquilo é tão ruim que mesmo vazia, mal sai do lugar. Não ofenda a inteligência de pessoas que como vc já podem ter possuído o veículo.

  • Alex 8 de julho de 2018

    Matéria bosta

  • Jorge Diehl 8 de julho de 2018

    Quem é este idiota retardado?!?

  • Jairo moura 8 de julho de 2018

    Felizmente esses carros velhos e que levam a empregada o pintor o pedreiro pq anos atrás so andavam de ônibus como vc disse sr.boris.
    Agora seu comentarista seu comentário quem le e so essa gente que trabalhae sofre. Vc poderia ter guardado para seus amigos poderosos. Eles iam gostar e dar risadas desse povo..
    Fds pra vc.

  • Armstrong 8 de julho de 2018

    Aí que buurrrroo …

  • Fernando 8 de julho de 2018

    Antes de comparar os países de primeiro mundo com o Brasil, é preciso falar também dos preços dos carros lá e os preços abusivos aqui.

    • Arquimedes 8 de julho de 2018

      Exatamente isso amigo

  • ELI s. Fernandes 8 de julho de 2018

    será que a mídia NUNCA reconhece o poder de barganha incrustado nos meios dominantes tupiniquins? Pois nunca ou quase nunca falam dos incentivos dados as montadoras nos últimos governos federais alegando melhorias e passaram FAZER carros descartáveis que o mundo não quer nem de graça e vendidos aqui por preços altos, tenho um fusca ano 80 e não o acho Velho,me serve e o mantenho dentro dos padrões originais, falar de manutenção veicular no Brasil ou o cara sabe nada ou faz parte daqueles que são pagos p/ vender ideias pouco úteis a realidade da maioria , dona de pouco senso crítico, infelizmente.

  • Lilo 8 de julho de 2018

    Eu parei a leitura quando o autor falou em colocar o carburador do Vectra no Monza? Vectra nunca teve carburador! Lamentável…

  • Gil 8 de julho de 2018

    Esse kra não entende nada de carro
    E a inspeção não é na Brasília e sim. Brasília a onde a corrupção corre solta
    E nesses políticos safados e antigos
    Zé da perua
    João da van etc…

    • Diorge Tonato 8 de julho de 2018

      Verdade.

  • Junior 8 de julho de 2018

    Impressionante como a pessoa me refiro ao Boris fala tanta asneira só por uma matéria. Falar de carros velhos e sem entende Lós falar de adaptar carburador de Vectra num Monza Vectra nem tem carburador adaptar bomba de combustível da Variant na Brasília o motor e o mesmos estude um pouco sobre carros velhos antes de sair falando merda aposto q já andou um monte com esses tipos de carros por q pela idade dele deve ter comentado sobre o Ford modelo t otario

  • Ademilson 8 de julho de 2018

    Não fale mal dos velinhos pois tenho muita consideração por eles sejam automóveis ou pessoas eles nós dão muita experiência já me fizeram feliz e ainda me fazem felizes tem muito para nós ensinar ainda um dia eles foram a sensação da época respeite eles

  • Roberto Tessicini 8 de julho de 2018

    Texto mal elaborado ,se o autor soubesse o impacto ambiental para tirar materiais primas da natureza para fabricação de automóveis ele incentivaria a restauração de autos antigos , é mais ecológico restaurar que comprar um zero km , além de preconceituoso o texto é maldoso ,que realidade que vive o autor ?

  • Ademilson 8 de julho de 2018

    Kkkkkkk brasilia com bomba elétrica nunca vi furar o diafragma bomba elétrica só se for ap 4 bico

  • Daniel 8 de julho de 2018

    Texto elitista. Coisa de quem não sabe cuidar de carro e tem raiva de pobre só pela existência destes.

  • Rogerio 8 de julho de 2018

    Quem ouve as dicas do Boris e e do ramo vê a quantidade de asneiras ditas por ele, quase todos os dias chega um cliente querendo trocar a correia dentada sem trocar o tensor da correia que na grande maioria das vezes está em péssimo estado, todos sabemos do risco desta prática. Clientes discutem comigo tudo por causa de uma “dica ” errada dada pelo Boris na rádio. Todo cliente que insiste em não trocar o tensor da correia eu falo assim: se a correia arrebentar coloca o prejuízo na conta do Boris!!!!

  • Giovani 8 de julho de 2018

    Carburador de Vectra ? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk nunca vi Vectra ter carburador , vcs entende de carro mesmo ? Vi que não tem seriedade nenhuma

  • Welitonm 8 de julho de 2018

    Quem escreveu deve ter comprado seu primeir

  • REGINO 8 de julho de 2018

    Realmente esse colunista tá mais para comunista do q para entender de carro ,,esse cara é louco,,pois não sabe ele q vive no Brasil e aqui as coisas tem que ser feito do jeito que está sendo feito,,,pois é um país que os políticos metem a mão no bolso dos brasileiros com tanto impostos e fora os roubos aí esse cara vem falar de carros vai procurar uma lavagem de roupas rapaz ,,nosso país para sair da condição de pais de 3 mundo não depende de carros não ,, depende de mudanças de pessoas como vc .

    • Maiquel Borges 8 de julho de 2018

      Pois olha, se ele fosse comunista, o texto seria o completo oposto, completo mesmo, o total oposto do que foi.
      Teria sido bem escrito, favorecido pessoas de classes mais baixas, falado com mais entendimento porque certamente seria algum mecânico a falar, e ainda de quebra, incentivaria k uso de automóveis clássicos e antigos contra as barbáries praticadas pelas montadoras hoje em dia com os carros de brinquedo que custam uma fortuna.

  • Guilherme Campos 8 de julho de 2018

    Eu morei na Alemanha e tinha uma bmw 1980, pagava um imposto altissimo, era o preco do carro todo ano. Ai quando foi na inspeção não teve jeito tive que entregar para o ferro velho de graça, só pra nao ter que pagar mais ainda pelo descarte

  • Flaudimir Blom Oliveira 8 de julho de 2018

    Concordo em parte com o que expôs, porém tenho um fusca 82, que está liberado para ser realizada qualquer inspeção veicular. Falo que o mesmo está mais novo que vários veículos que estão aí. Sei que existem várias sucatas rodando, inclusive com menos de 5 anos de uso é só olhar. Então o problema não está na idade e sim na conservação do dono. Só para informar tenho um civic, mais sou mais o fusca pela simplicidade do arranjo.

  • Ronaldo Brisolla 8 de julho de 2018

    Triste um “especialista” dizer que uma bomba de combustível de uma Brasilia queima.. na verdade ela quebra, pois é mecânica e não eletrica… um dodge polara que ande , hoje é vendido como reliquia. É facil falar do controle veicular em paises de 1o mundo, onde o custo de um veiculo novo é muito menor do valor cobrado aqui.

  • Adailson Araújo 8 de julho de 2018

    escrevem tanta besteira em uma materia so

  • Dito 8 de julho de 2018

    Resumindo. Se quer perder cinquenta mil reais rapidinho, compre um carro zero

    • Jorge Tex de Abreu 8 de julho de 2018

      É um absurdo querer comprar a situação da frota no Brasil com países da Europa e Estados unidos, começa com o interesse do governo usar o detran como fonte de arrecadação de tax mlas, depois vem o preço absurdo de um carro popular e terceira quando um carro antigo mal conservado está na rua rodando ao invés de ser recolhido, as autoridades responsáveis pela apreensão preferem aceitar uma proposta a ter que devolver . Veículo antigo tem que funcionar como novo , e quem tem antigo , sabe o valor que ele tem. Tenho uma Palio 99 é um C 3 2010 na garagem junto com uma fazer 2014, uma Royal Enfield classic 500 2017 é uma CB 450 85, todos em perfeitas condições de uso e conservação que passam muito bem nas vistorias e detalhe, a manutenção de todos feito por mim exceto em casos especiais. Portanto, não escrevam besteira.

  • Paul Muadib 8 de julho de 2018

    Mais umas para a lista de besteiras propagadas por esse cara…

  • Pi 8 de julho de 2018

    Infeliz sua matéria vc não entende. De carro e nem de pais pois está em um de 3 mundo quer comparar com Japão por favor…

  • Clever 8 de julho de 2018

    Cara fico preocupado com a geração de repórteres .
    Eles ao menos deviam buscam a ter conhecimento antes de falar esse tipo de besteira. Imaginem oquanto deve ser boa e mal interpretada são as notícias postadas por esse tipo de profissional.
    Por isso não assisto nenhuma notícia jornais da grande mídia etc…
    Morei nos Estados unidos e o que mais se via era carro antigo, porém passam por inspeções anuais para poder transitar,que absurdo.

  • Reginaldo Costa Pereira 8 de julho de 2018

    Ih, Rodolfo parece que não leu a reportagem!

    • AutoPapo
      boris 8 de julho de 2018

      Oi Reginaldo,
      Há quem perceba o sentido do texto, como você. Agradeço seu apoio, de quem provavelmente sabe das coisas, tem um nivel cultural melhor e talvez até a bagagem do autor….

      • Rodolfo 9 de julho de 2018

        Muito obrigado pelo apoio, Boris Feldman!
        …. Reginaldo me julgou analfabeto funcional (aquele que sabe ler, mas não sabe interpretar o que lê), mas mal sabe ele que sou Engenheiro Mecânico formado há 11 anos, e sou fanático por assunto de carros.
        …. Eu sei ler o que tem por trás das entrelinhas de um belo texto de Boris Feldman, e sei ler nas entrelinhas de um comentário maliciosos como o seu que só tem ódio, ofensa gratuita, lixo tóxico. Mas maldade fica pra quem faz!
        …. E ainda, sou considerado no Clube do Gol Quadrado por quem goste de mim como o “Homem Enciclopédia”, lá sou conhecido como Rodox.
        …. Reginaldo, lembre-se de uma coisa… quando agente julga os outros com um dedo apontado pra ele se tem três dedos apontados para nós! seja humilde, pois quem é humilde e feliz não humilha os outros.
        …. Por fim, desde que o mundo é mundo é impossível agradar a gregos e troianos, então fatalmente o Boris Feldman pode fazer o texto mais perfeito do mundo que sempre terá alguém pra procurar pelo em ovo!
        Grato,
        Rodolfo
        Engenheiro Mecânico

  • Clever 8 de julho de 2018

    Cara fico preocupado com a geração de repórteres .
    Elas ao menos não buscam a ter conhecimento antes de falar esse tipo de besteira. Imaginem oquanto deve ser boa

  • Fernan 8 de julho de 2018

    Matéria tendenciosa, as montadoras estão desesperadas com tanto carros novos nos estoques, inspeção veicular vai deixar muito pai de família desempregado “prestadores de serviços” que tem seu carrinho antigo como forma de renda, vai quebrar a indústria de auto peças que só sobrevive graças aos antigos. Enqunto tiver-mos juros abusivos ficará difícil comprar carro novo, governo quer so arrecadar com vistorias e outros impostos, combustível caro e de ma qualidade, estradas deploráveis. Vamos votar NULO nessas eleições 2018 quem sabe alguma coisa mude.

  • Fernan 8 de julho de 2018

    Matéria tendenciosa, a inspeção veicular vai deixar muita gente desempregada, prestadores de serviços que não pode comprar um veículo novo. Juros

  • Joao Marcos 8 de julho de 2018

    O nos somos tratados como lixo essa é a verdade. Raciocinem comigo recebemos salários em real $ compramos carros no valor do dólar ou euro ou sei lá raio que o parta e em troca usamos carros cheios de peças chinesas q não duram nem 50 mil km engraçado!

  • AGUINALDO ERNANDES 8 de julho de 2018

    Esse cara não sabe nada de carro sé perguntar pra ele não sabe nada meu cala sua boca pra falar de carro antigo São os melhores fabricados até hoje

    • Everson 8 de julho de 2018

      Mitou

    • AutoPapo
      boris 8 de julho de 2018

      “Esse cara” não sabe mesmo nada de carro antigo. Nem de carburador e de injeção. Nem teve Monza nem Vectra (dois deles). Pena querer escrever de maneira gaiata e sutil pois é necessário mesmo mais sensibilidade para perceber onde o texto quer chegar. Lamento… mas continuarei escrevendo para quem (ainda bem que é a maioria) sabe separar o joio do trigo.

  • Antonio lorenzo 8 de julho de 2018

    Cara , vc não entendeu nada!!!!! Mas Ja que é professor , já vou te dar uma aula:
    Enquanto vc faz um discurso classista subliminar , entenda que não é capaz de troca nem UMA lâmpada. Logo precisa do eletricista ……… E todos esses caras que te revolta ver andando de carro VÉIO, certo?
    A matemática é a seguinte: Compra um carro novo a prestação , que com isso vc paga imposto pro governo fazer rua pra gente andar de carro VEIO.
    Vota no estatuto do desarmamento e enriqueça as seguradoras ,troxa!!!!Aprenda viver no Brasil.Teu carro novo , vai gerar trabalho pro teu filho advogado.Vai ter que defender o ladrão que te roubou. Porque roubou ? Pra vender as peças pros VÉIO. Mas e a Policia??? TAmbem leva o dela! Fora tudo isso , vamos enfim a matemática , vai.
    Tenho 3 carros VÉIO de $3000,00 cada no máximo
    Trabalho o dia inteiro com eles ninguém rouba. A Seguradora ….pulou comigo.
    Quando o guarda para , o dinheiro do IPVA , licença …… Eu divido com o guarda , logo vc e os individados do carro novo ……, pularam.
    Quando quero ir pra praia, hammmm, não tenho carro novo ……vou de avião kkkkk chego la , vou de uber de outro troxa. E como não tenho divida , acho o governo maravilhoso , aprendi como é que se vive. Faço gato na energia, na agua , invadi um terreno a anos , …….Isso é liberdade , vivo em paz e sem dividas , e o dia que vazar o corinho da tua torneira , eu vou no teu condomínio todo cercado , com o meu carro VEIO , escapamento vazando , te tiroo couro , viro psicólogo da tua mulher por uns minutos, e volto de boa com o dinheiro de um incapaz no bolso kkkkkk. Ah sim, Sempre tenho dinheiro no bolso, não é credito, é dinheiro. Assim quando preciso ir no médico, vou na upa, uso o Sus. Sempre vai ter um administrador da unidade que tem um carro novo com um monte de dívida, vai de corromper com meu dinheiro, que tirei do courinho da tua torneira e vai me colocar num quarto bom, bem assistido com o dinheiro do inss que vc pagou e não pode disfrutar, porque não sabe mexer, então vc paga Unimed e continua na fila. Quanto a credito de banco, não preciso, na dei o chapéu em todos, não tenho mais nome. Sou o todo errado na sua forma de ver, mas com dinheiro no bolso de boa.

    • Roque silva 8 de julho de 2018

      Ba entao ja disse tudo cara d pau tu ė ladrao e vago senvergonha, cara de pau e trouxa, teu comentario vai chehar ate a policia.

  • Marcos Elias 8 de julho de 2018

    Boa tarde a todos. Concordo que tem pessoas que trafegam com seus veículos em situações precárias, colocando em risco a segurança deles, da família e de terceiros, mas cada um tem suas limitações financeiras. Agora dizer que o os automóveis que teimosamente continuam a rodar nas ruas estão relacionados a certos grupos de profissionais, pegou pesado, relacionando automóvel velho com profissionais. Um Bombeiro ou qualquer outro profissional citado na reportagem tem condições de adquirir um veículo seminovo. Se a reportagem era pra falar da evolução da eletrônica no automóvel, então não se deve comparar com grupos
    de profissionais. Desculpa alguma coisa.

  • Luiz eduardo 8 de julho de 2018

    Boas esse cara repórter conhece de carro em kkkk
    Para começar o Brasil não tem piso que presta para
    Esses carros de geração nova. Tudo descartavel fabricação cada vez pior o carro só de ver um buraco já está quebrando.tem que ser carro velho mesmo que aguenta o pega kkkk

  • Leonardo 8 de julho de 2018

    Talvez se tivéssemos uma política justa para todos. Impostos menores. Menos corrupção. Pessoas como as que diz andar com suas velharias poderiam sim trabalhar de metrô onibus descente e preço justo ou seu próprio carro novo.

  • Wanderson 8 de julho de 2018

    Carburador de vectra????? Ta ai uma coisa q eu nunca vi kkkkkkkk

  • Antonio 8 de julho de 2018

    Cara , vc não entendeu nada!!!!! Mas Jaque é professor , já vou te dar uma aula:
    Enquanto vc faz um discurso classista subliminar , entenda que não é capaz de troca e UMA lâmpada.Logo precisado eletricista ……… Etodos esses caras que te revolta ver andando de carro VÉIO.Certo?
    A matemática é a seguinte:Compra um carro novo a prestação , que com isso vc paga imposto pro governo fazer rua pra gente andar de carro VEIO.
    Vota no estatuto do desarmamento e enriqueça as seguradoras ,troxa!!!!Aprenda viver no Brasil.Teu carro novo , vai gerar trabalho pro teu filho advogado.Vai ter que defender o ladrão que te roubou .porque roubou ? Pra vender as peças pros VÉIO.Mas e a Policia??? Ambem leva o dela! Fora tudo isso , vamos enfim a matemática , vai.
    Tenho 3 carros VÉIO. De $3000,00 cada no máximo
    Trabalho o dia inteiro com eles.Ninguém rouba .Aseguradora ….pulou comigo.
    Quando o guarda para , o dinheiro do IPVA , licença …… Eu divido com o guarda , logo vc e os individados do carro novo ……, pularam.
    Quando quero ir pra praia hammmm não tenho carro novo ……vou de avião kkkkk chego la , vou de uber de outro troxa.E como não tenho divida , acho o governo maravilhoso , aprendi como é que se vive. Façogato na energia, na agua , invadi um terreno a anos , …….Isso é liberdade , vivo em paz e sem dividas , e o dia que vazar o corinho da tua torneira , eu vou no teu condomínio todo cercado , com p meu carro VEIO , escapamento vazando , te tiroo couro , viro psicólogo da tua mulher por uns minutos, e volto de boa com o dinheiro de um incapaz no bolso kkkkkk

  • Sergio 8 de julho de 2018

    Cara, é impressionante como você tem capacidade de escrever coisas inúteis.

  • Sandro 8 de julho de 2018

    Nunca li tanta merda.

    • AutoPapo
      boris 8 de julho de 2018

      Fico realmente encantado com o nível de conhecimento e elegância dos comentários…

      • Gunther klopsch 8 de julho de 2018

        Entre uma parte e outra não entendi seu pensamento deve ganhar bem e outra inspeção veicular vai ser mais um ponto de pegar dinheiro do se pobre tem que fiscalizar sem cobrar tachas absurdas nessa situação e dificel

      • Diorge Tonato 8 de julho de 2018

        Quem escreve sobre um assunto , normalmente irá perceber que quem está lendo possue conhecimento e se expressa sobre ele. Hoje em dia é tanta besteira e falta de conhecimento de quem escreve, que quem lê não tem outra atitude a não ser se revoltar.

      • João Carlos Ros Martinez 8 de julho de 2018

        O governo brasileiro acorda e dorme com a ganância de radar ,multar , imposto ,pelo simples motivo nós brasileiros aceitar tudo oque a tv e seus funcionários bem pagos pelo governo colocam em nossas casas e bem fácil acabar com essa farra do governo se não tiver votos pra esses corruptos que a mídia fala tanto VOTO NULO

  • Evandro 8 de julho de 2018

    Fico sabe magoado com tanta falta de conhecimento simples de qualquer um saiba hj pois hj temos a maior variedade de vídeos no YouTube ensinando muita coisa sobre mecânica , cara vc me ofende falando de carro antigo sendo tratado como carro velho ..tenho apenas um semi novo na garagem e 5 carros clássicos na família …uma variar 74 , Parati 92 , Monza 95 ( semi injetado ) vc sabe o que é isso né ??? Não é carburado chevette Marajo 82 , chevette 88 ( motor de Vectra injetado ) e por final meu Fiat Linea tjet ….será ainda vc entendeu o meu gosto por carros antigos….comentário e texto patético

  • fabianorodrigues1975@gmail.com 8 de julho de 2018

    Sr notes não sou seu leitor sequer permiti esse tipo de matéria ser vinculada em meu telefone.
    É uma pena ler algo tão mal escrito com ter de conhecimento tão baixo a cerca de tal assunto
    Falar ou vitae determinadas classes deixou isso não só de mal gosto mas tbm discriminatória . O veículo antigo o seja qual for ou seja lá por que m o possou é do inteiro interece e direito do indivíduo
    A conversação dele parte do princípio do que é prioridade o não. E de direito de seja quem for comprar seja por que valor seu veículo e faser uso dele . Assim como prega vc o não uso de beijos mais antigo deveria sim é saber de seus motivos o por que não há política de incentivo direcionados a este público.gostaria tbm não ter teco ruim assim como o seu vinculado a minha leitura diária. Obg tenha uma boa final de vida

  • Diego 8 de julho de 2018

    Que matéria de bosta é essa, não é atoa que as notícias de hoje está cada vez mais horrível. Não se esqueça que esses carros da de 10 a 0 nos atuais que vive fazendo recal.

    • AutoPapo
      boris 8 de julho de 2018

      Está bem, Diego, eu vou procurar aprender mais sobre automóvel. Estou só iniciando e confio no meu futuro. Mas não custava nada você aprender a falar e escrevere sua lingua-pátria…

  • Alexandre Weber 8 de julho de 2018

    Que burro em professor, dá zero pra ele.
    Bomba de gasolina e da variante e a mesma com motor 1.600 cilindradas, a pior foi o carburador de vectra está matou a pau, não sabe de nada inocente, que é o Brasil para proibir este tipo de carros. Nos EUA onde a lei é muito mais rígida, reforma-se carros com 50 anos, 60 anos, 70 anos, e por aí vai, o certo é que para andar nas estradas brasileiras teríamos que ter só mesmo é fusca, Brasília, lombo, DKW, chevete, opala, Gordini, e claro um jeep willys aqueles da 2° guerra mundial. Tem cada repórter que escreve notícias, sem o mínimo conhecimento do que está falando, vai se informar primeiro e depois vem defecar pela boca.

    • Zyj 8 de julho de 2018

      Isso mesmo. Nos EUA a indústria de peças de carros antigos movimenta bilhões de dolares. Basta vet a originals parts.

  • William 8 de julho de 2018

    Que reportagem horrível, sem nenhum critérios, baseado em dados e informações errôneas. Vai estudar pseudo jornalista.

  • Antonio 8 de julho de 2018

    Boris? , quem é Boris? Mas se ele quiser entrego meu Corcel 75 para ele por 4.000 dólares. .Aí com pro um seminário novo. Mas não tão novo assim…kkkk

  • Leonardo 8 de julho de 2018

    Meu carro tem 24 anos de fabricação e roda muito melhor que muitos novos por ai, além disso faço sempre a manutenção periódica nele, carro de quem cuida não gera perigo algum.

  • Rafael Pereira saraçol 8 de julho de 2018

    Pior matéria q vi nos últimos anos

  • Maximiliano 8 de julho de 2018

    Comentário no mínimo ridículo, só uma pessoa sem noção para fazer esse tipo de matéria.

  • Roberto 8 de julho de 2018

    Boris não sabe o que fala , Vectra não tem carburador e bomba de gasolina de Brasília e Variant é a mesma merda e são mecânicas não elétrica É além de falta de conhecimento técnico ,como já citaram em outros comentários falta conhecimento da realidade do Pais

  • Everton 8 de julho de 2018

    Esse cara é tão inteligente q nem de carro intende.
    Trocar o carburador do monza pelo do vectra. Kkkk
    Desde quando Vectra tem carburador?
    Vai estudar mais um pouquinho e quem sabe vc possa fazer um texto melhor.

  • João 8 de julho de 2018

    Não são tantos carros velhinhos assim rodando, além disso, não me lembro a última que vi um carro velho envolvido em acidente, só vejo carros seminovos.

  • Marco 8 de julho de 2018

    Carro velho você conserta alguma coisa nele e estraga outra no fim das contas dá para comprar um bem mais novo..

  • Rodrigo 8 de julho de 2018

    Reportagem bem na nova tendência brasileira, cheia de preconceito ao menos favorecidos, fala de Japão de Europa mas pelo jeito não conhece a realidade do povo brasileiro!

  • Pinheiro 8 de julho de 2018

    O Boris vive no primeiro mundo. Esquece que o Brasil é país de terceiro mundo, onde automóvel novo ainda é luxo.

  • Gustavo cwb 8 de julho de 2018

    Lamentável o texto fora de realidade do Brasil e como leitor falou sem nenhum conhecimento técnico. Boris se informe antes de escrever.

  • Carlos H Corne 8 de julho de 2018

    Se o chamado carro popular tivesse realmente um preço “popular”mais acessível as pessoas de menor poder aquisitivo teriam condições de comprar, ninguém anda numa sucata porque gosta.

  • Carlos 8 de julho de 2018

    Na Europa tem sim países onde a tributação pra carros mais velhos são na maioria maiores ,porém vale lembrar que geralmente a incentivos para troca de um velho carro por um mais novo onde governo e montadoras se juntam afim de manter um frota nova em condições de oferecer segurança bem como diminuição da poluição gerada …carro velho nem sempre é sinônimo de carro mal cuidado e todo detonado …infelizmente no Brasil a dinâmica é outra onde carros dito básico completo são exageradamente muito caros, tributação para carros 1.0 são absurdas …onde nada funciona …

  • Bebeto 8 de julho de 2018

    Engraçado como idiotas associam humildade com pobreza, um rico pode ser uma pessoa humilde, assim como um pobre também pode ser, apesar de que todos pobres que conheço são, e alguns que tem algo a mais não são!!!!

    • AutoPapo
      boris 8 de julho de 2018

      Engraçado como idiotas desassociam seu interesse do foco real de um comentário. A rigor, o texto critica a eletrônica no automóvel que está prejudicando quem tem carros velhos (ou antigos): pobres, ricos, humildes, colecionadores…

      • Marcos 8 de julho de 2018

        Então o texto foi muito mal escrito

      • DANIEL LINS 8 de julho de 2018

        Eu não vi isso, vi foi mais uma falta de respeito a quem tem carros antigos, e os profissionais, que sempre de alguma forma tentam ajudar aqueles que tem carros antigos, sem contar a falta de delicadeza com os profissionais que são domésticas, jardineiros e etc, que no seu entendimento não podem ter carros, mesmo que velhos, mas que são na verdade fruto de suor e muito trabalho dos mesmos…

      • Marcos Elias 8 de julho de 2018

        Mas então amigo, não se deve comparar a eletrônica dos carros a um Bombeiro, pois temos condições de adquirir coisas boas, e não sermos comparados como proprietários de veículos tipo “sucatas”.

  • Maicon 8 de julho de 2018

    Matéria tendenciosa provavelmente o autor está recebendo dinheiro da indústria automobilística que está com seus carros encalhados nos pátios devido a crise, ele nem sabe distinguir carro antigo de carro mal conservado,tenho um carro novo e um Versailles 93 tem pessoas que gostam de carros antigos como eu e muito outras pessoas .

    • Claudio de Macedo 8 de julho de 2018

      Verdade. Tenho um santana 96 que onde passa o pessoal adimira a conservação.

      • Márcio tavares 8 de julho de 2018

        A reportagem não fala de carros conservados e sim de sucatas , sem nenhum tipo de conservação, gerando perigo. O fato de ser pobre ou humilde, não o credencia a andar com um carro , a noite sem nenhuma iluminação….

    • AutoPapo
      boris 8 de julho de 2018

      Fácil entender seu comentário, Maicon! Você está tão acostumado a só ler elogios na imprensa para tudo e para todos que estranha o jornalista que resolve criticar alguma coisa. Mesmo que esteja defendendo o consumidor. E ainda faz uma acusação leviana dessas. Se critico um carro da Fiat, é porque recebo cheque da VW. Se não gosto de um carro da GM, é porque tenho uma verba mensal da Ford!
      E acho que sei distinguir, sim, carro velho de antigo. Tenho alguns muito mais idosos que seu Versailles 93. Entre eles, um Voyage 85 de parar o trânsito…

    • AutoPapo
      boris 8 de julho de 2018

      Fácil entender seu comentário, Maicon! Você está tão acostumado a só ler elogios na imprensa que estranha o jornalista que resolve criticar alguma coisa. Mesmo que esteja defendendo o consumidor. E ainda faz uma acusação leviana dessas. Se critico um carro da Fiat, é porque recebo cheque da VW. Se não gosto de um carro da GM, é porque tenho uma verba mensal da Ford!
      E acho que sei distinguir, sim, carro velho de antigo. Tenho alguns muito mais idosos que seu Versailles 93. Entre eles, um Voyage 85 de parar o trânsito…

  • Thiago 8 de julho de 2018

    Você clicou e leu a matéria, o trabalho do cara está feito.
    Reportagem feita para clickbait.

    • AutoPapo
      boris feldman 8 de julho de 2018

      O Auto Papo agradece seu clique, Thiago!

    • AutoPapo
      boris 8 de julho de 2018

      O Auto Papo agradece seu clique, Thiago!

  • Ennio H. M. Barbosa 8 de julho de 2018

    Texto muito desinformado e tendencioso. Muitas gafes: carburador de Vectra? Queimar bomba de Brasília??
    Com todo o respeito, sugiro escrever sobre assuntos de que se tem conhecimento a fim de evitar a desinformação dos leitores também.

  • Claudio de Macedo 8 de julho de 2018

    Conhece tanta sucata rodando que teve que pegar uma foto de outro país pra ilustrar.

  • Werington Thomaz Fernandes 8 de julho de 2018

    Boa as respostas….e digo mais…morei no Japão por 16 anos e nunca…nunca ouvi tal lorota…antes de postar tal reportagem ou outra procure mesmo informações verdadeiras….claro o tal carburador e a tal bombda de combustivel , sao apenas alusões da verdade de que nao entende de patavina nunhuma.

  • Joao Marcos 8 de julho de 2018

    Esse cara fica falando besteira tds os dias. Fica falando dentro com um ar condicionado e fácil. Pelo o jeito ele nunca pegou em uma chave de fenda. Da opinião sem viver o dia a dia fácil. “Vectra com carburador essa e boa haha “em outras matérias ele compara rolamento tensionador com rolamento de roda, se ele já tivesse desmontado alguma correia dentada na vida ele não falava essas besteira, mal sabe ele que tudo que vem pro brasil parece q fazem meia boca . Tenho mecânica e faço troca de correia dentada tds os dias ainda não vi nenhum rolamento tensionador com exceção honda com 80mil km não estarem baleados. Acho pra da opinião ele teria q desmonta alguns carros.

    • AutoPapo
      boris 8 de julho de 2018

      Vai então mais um texto para ser criticado à vontade: esse que “nunca pegou numa chave de fenda” é engenheiro, teve oficina mecânica e preparava carros para competição. E vai continuar defendendo a segurança o resto da vida. E também que tensionador não tem que ser substituído automaticamente com a correia. Quem fala isso é mecânico querendo trapacear o freguês. O bom mecânico sabe distinguir um rolamento bom de um em fim de linha. Alguém da imprensa tem que defender o consumidor! Mesmo recebendo críticas completamente fora de propósito…

  • Claudio de Macedo 8 de julho de 2018

    Carburador de Vectra, e bomba eletrica da Brasilia…
    Não pesquisou o mínimo… Que vergonha…
    Vamos lá, você é novo e aprende. Ah, tem diferença de carro velho e antigo.

  • Julio Cesar 8 de julho de 2018

    Em um país sério qualquer guarda iria impedir a circulação usando simplesmente o dever de fazer cumprir a lei vigente. E o motorista levaria tantas multas que de imediato teria a carteira apreendida. Mas aqui, no país do futebol, a lei parece que é diferente. O guarda não multa o pobre. Ou ele tem dó ou então não quer perder tempo com pobre que não rende propina nenhuma.

    • Cassio 8 de julho de 2018

      Em um país sério o preço de um carro popular peladão não custa o olho da cara, aí eu chego a conclusão de que este país é um país não de pobres, mais de ricos, porque o tanto de carros zero que é vendido aqui no Brasil pelo preço absurdo, só pode ser um país de ricos. É sério?
      Antes de acabar com os carros “velhos”(antigos), teriam que acabar com os preços abusivos que é cometido aqui, e depois os carros velhos sairiam de circulação naturalmente como ocorre em outros países “sérios”

      • Marcus 8 de julho de 2018

        Parabéns, pelo seu comentário, com esse texto idiota, provavelmente patrocinado pela indústria automotiva, estão querendo mudar toda uma cultura, além de vender mais carros.a preços extorsivos.

    • Rodolfo 8 de julho de 2018

      Júlio,
      Você tirou palavras da minha boca! Parabéns pelo seu belo comentário!

  • Edson 8 de julho de 2018

    Faça reportagem que seja interessante não reportagem idiota , carro antigo e carro velho tem diferença
    Velho vem do acabado , e tem muito carro ai antigo e muito mais conservado do que muito carro novo
    Então não fale merda o carro tanto antigo quanto o novo se o dono não cuidar vai dar problema
    Eu tenho um Chevette 93 e já puxei muito carro mais novo que o meu

    • Elaine 8 de julho de 2018

      Eu tbm tenho um Kadett nunca foi batido tudo ok! Não gasto muito só coloco óleo e combustível e viajo muito tenho ele a 5anos e não troco por nenhum carro e eu mesmo troco as peças dele se precisar sem ajuda nenhuma de Mecanico. Cara imbecil sabe de nada inocente!

  • MARCUS VINICIUS PEREIRA 8 de julho de 2018

    Tem gente que tem carro antigo e cuida muito bem, como é o meu caso e gente que tem carro novo e distroi. Tem que saber separar as coisas.
    Não dá pra comparar também os carros mais modernos com os mais antigos, feitos pra durar. Os modernos desmancham se encostar nele, mas se encostarem na minha veraneio 1970, só quem amassa é quem encostou. Mas tá valendo conhecer a visão de quem escreveu o artigo, embora discorde.

    • boris 8 de julho de 2018

      Agradeço o elogio Marcus Vinicius: tenho carro antigo e o trato a pão de ló…
      Mas, apesar de os antigos serem mais resistentes (nisso você tem razão), eles não protegem os ocupantes como os mais novos, devido às tecnologias mais modernas aplicadas.

  • Gustavo 8 de julho de 2018

    Além da comédia do carburador de Vectra… Também fala-se sobre bomba de combustível de Brasília/Vatiant “queimada”? Ora, a bomba de combustível destes carros era acionada mecanicamente, não era elétrica. Escrever sobre o que não se conhece dá nisto.

    • Joao Marcos 8 de julho de 2018

      Kkk sem conta amigo que Brasília e variante e mesmo o carro e usa o msm motor

  • Van Braun 8 de julho de 2018

    Interessante essa matéria . Faça uma reportagem sobre os idiotas que compram carro zero com o preço 5 x mais caro com o praticado no Mundo e pagam IPVA, SEGURO e MANUTENÇÕES nas concessionárias caríssimas . Esse mercado automobilístico brasileiro é PATETICO e encaixou como uma luva em uma população que põe valor SURREAL em algo tão superfulo.

    • AutoPapo
      boris 8 de julho de 2018

      Van Braun, vou responder pois você dá mostras de ser mais inteligente e elegante. Preço do carro no Brasil tem dois problemas, o primeiro é o maior índice de impostos do mundo. Em segundo lugar, só se compara nosso carro com o de outro país pela mesma moeda. Então, um carro de R$ 50 mil pode valer U$ 25 mil se um dólar valer dois reais. Este mesmo carro pode valer apenas U$ 12.500 se o dólar estiver (como está…) a quatro reais. As vezes, o nosso está mais caro, às vezes vale o mesmo que um correspondente lá fora….
      Um abração

  • Thiago 8 de julho de 2018

    É cada merda que escrevem sem ter a menor noção, bomba de Brasília queimar?
    Ele esqueceu de mencionar que os carros mais caros do mundo são os brasileiros e não necessariamente os melhores, itens de segurança como ABS só passaram a ser obrigatório em 2014 e ainda quer culpar o pobre por ter carro velho. Ipocritas.

  • Canedo 8 de julho de 2018

    Queimar bomba de combustível da Brasília,,alguém diz ai ao repórter metido a mecânico que a bomba de combustível da Brasília não é elétrica, é mecânica!!!

  • Joselito 8 de julho de 2018

    Veja a asneira que falam ,o Brasil é um país subdesenvolvido ,cobra os impostos mais caro do mundo ,IPVA etc … Não tem como reciclar esses carros ,pois não existe industrias pra esse seguimento , não ajuda na compra de veículos novos para população de baixa renda .e fazem uma matéria dessa .

  • Denison Mendes Ribeiro 8 de julho de 2018

    Concordo com o parceiro acima, estamos em um país de ladrão, roubam tudo,o que resta a nós povo e tentar sobreviver com nosso carro usados,gente boa vai falar merda pra seus parentes,devem ser políticos,que andam com carros zero com nosso dinheiro.

  • Elson da Silva 8 de julho de 2018

    Este jornalista que fez esta reportagem sobre ao milagres dos mecânicos referentes a carros velhos deveria se informar melhor, pois está muito desinformado ou é pau mandado. Nos países de primeiro mundo o valor dos automóveis são bem menores e não tem uma roubalheira de impostos e nem estradas e ruas esburacadas como a que temos.

  • Dácio 8 de julho de 2018

    Brasília com bomba de combustível elétrica? De onde tiraram isso?

  • Alberto 8 de julho de 2018

    Se o governo não cobrasse tantos impostos e o país estivesse numa melhor administração, os brasileiros trocaram de carros com maior frequência.

  • Rodolfo 8 de julho de 2018

    Caro Boris, muito bom dia!
    …. Eu já vi carro que era injetado ser convertido para carburado… retrocesso, mas o motivo era simples… o preço para arrumar aquele carrão importado era uma dinheirama e de difícil diagnóstico.
    …. Minha irmã teve um Gol de apenas 1 ano de uso comprado em uma Concessionária de outra marca de renome e logo em seguida passou a não querer acelerar… a concessionária não resolveu o problema pra variar… e nem mecânico particular conseguiu resolver. Então ela acabou vendendo o carro assim mesmo para um amigo dela que era mecânico.
    …. Assim a eletrônica deixou o motorista na mão… que adianta ser eficiente se é uma verdadeira caixa preta pra solução de problemas… teria que ter bola de cristal agora a nova era de mecânicos?
    …. A eletrônica é muito boa quando o carro é 0 km ou semi-novo, porém quando chega a casa dos 10 anos ou menos vira um verdadeiro tiro no escuro as falhas na eletrônica desde a injeção eletrônica, sistema elétrico, câmbio robotizado, ABS, etc.
    …. Hoje é em vão levar uma caixa de ferramentas em um carro 0 km ou semi-novo, pois não é qualquer um que pode resolver o problemas, nem muito menos qualquer mecânico… e até os mecânicos de Concessionárias não sabem resolver alguns problemas devido ao grau de complexidade do sistema eletrônico e alguns deles fingem que não sabem porque não foram com a cara do freguês, salvo melhor juízo.
    …. Assim a eletrônica foi boa para a redução de poluição e de consumo de combustível, porém nem tudo são flores… os caros agora viraram descartáveis, pois ou ninguém sabe concertar ou é tão caro concertar que é melhor comprar outro carro 0 km ou semi-novo.
    …. Por fim, a legislação brasileira é muito branda no que tanje a circulação de veículos em más condições de conservação e alto risco ao seu motorista e a terceiros que não tem nada haver com ele não ter dinheiro pra manter o carro na mais perfeita ordem.
    …. Eu tenho um Gol 1.8AP ano 1990 a gasolina, e atualmente rodo com ele 5000 km por ano… o meu segredo: manutenção preventiva, pois prevenir é melhor que remediar. Pois antes gastar dinheiro com a peça antes de quebrar do que ter que arcar com guincho e tal…
    …. A propósito, vejam o vídeo abaixo que eu fiz sobre a minha análise de óleo dos 5.600 km e 11 meses de uso, ela é um tipo de manutenção preventiva de óleo, onde ele é trocado na hora certa, economizando-se assim dinheiro postergando com total segurança a troca de óleo especificada no manual do proprietário.
    https://www.youtube.com/watch?v=uDkRuhE7lds
    …. Minha meta é atingir a marca dos 7000 km de uso do óleo Valvoline Max Life 20W-50 – API SN (semi-sintético).
    Um forte abraço,
    Rodolfo

    • jose 9 de julho de 2018

      Ha muito reparo isso. Hj se uma bateria falha, acabou, vc tá a pé; nem tranco pode dar. E esse negócio de ser descartável….somos um bando de hipócritras, pois nos dizemos preocupados com o ambiente mas preferimos suvs e trocamos de carro a cada dois cinco anos e dane-se o que será daqiela sucata. Minha filha pequena me perguntou pra onde vai tanto carro!!!! E o pior é q temos que trocar mrsmo, pois passou de cinco anos….nem quem fabricou conserta. Onde vamos parar com nossa vaidade!!!???

      • Rodolfo 10 de julho de 2018

        Pois é… de que adianta “não poluir” pelo escapamento se o carro é descartável, sendo que vai poluir mais ainda pra produzir outro pra entrar no seu lugar?

  • Marcos 8 de julho de 2018

    Esse auto papo fala besteira sobre carros todos os dias.

  • humberto 8 de julho de 2018

    Onde se viu vectra com carburador ? A pessoa para fazer uma matéria deveria perlo menos saber do que fala. Comunistas e suas asneiras.

Deixe um comentário