Troca da correia dentada deve incluir rolamento?

Na hora de fazer a troca da correia dentada, nem sempre é necessário trocar o rolamento

Por BORIS FELDMAN13/03/18 às 16h40

Eu já comentei sobre a “picaretagem” das oficinas que fazem a troca da correia dentada e também substituem, junto, o rolamento do tensor. Descobriram esta nova artimanha que não existia no passado, pois a corrente não era de borracha. Os eixos de comando eram acionados por correntes metálicas, como as de bicicletas, que não exigiam substituição. Alguns motores as utilizam, mas quando a correia é de borracha, ela deve ser substituída em determinada quilometragem ou prazo.

troca da correia dentada deve incluir a troca do rolamento?

Por isso, as oficinas se aproveitam para sugerir a troca conjunta- e desnecessária – do rolamento do tensor que estica a correia. Esta é uma substituição que nenhuma fábrica de automóveis recomenda. Apesar disso, os mecânicos não gostam de ouvir esta verdade e insistem que, se é necessário fazer a troca da correia dentada, é porque o rolamento também já sofreu desgaste e é necessário instalar um novo. Entretanto, isso é “papo furado”.  A correia é de borracha, e o rolamento é de aço.

Mesmo assim, até mesmo algumas fábricas de autopeças estimulam esta “empurroterapia”, pois vendem um kit montado, que inclui a correia dentada e o rolamento. Já nas oficinas, os mecânicos mostram para o dono do carro: “Está vendo doutor? Aqui não tem picaretagem, é só reparar que ambos são embalados juntos exatamente para serem substituídos simultaneamente!”

Por outro lado, é possível que, em determinado momento, o rolamento esteja realmente apresentando sinais de fadiga. O que, neste caso, seria perceptível, pois se forma uma folga que faz surgir um ruído quando o rolamento gira. Técnicos competentes podem determinar, com exatidão, se há necessidade de substituição do rolamento ou não. Já para os mecânicos que me acusam de persegui-los, surgiu mais um argumento contra a troca do rolamento. A Ford acaba de lançar seus motores com uma correia dentada que dura 250 mil quilômetros, enquanto as outras chegam, no máximo, aos 100 mil. A marca explica que projetou um motor que tem a correia lubrificada em óleo, por isso sua durabilidade é muito superior.

Então, surge a pergunta: se a correia dura tanto, o que acontece com o rolamento do tensor? Como os mecânicos vão argumentar que existe a necessidade de trocar o rolamento aos 60 mil km? Se a correia da Ford chega aos 250 mil, o rolamento tem que ser capaz de suportar o trabalho. Aliás, outro argumento que derruba a teoria dos mecânicos é que um rolamento de roda, submetido a esforços muito maiores, dura muitos anos ou centenas de milhares de quilômetros.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

18 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Andre 6 de junho de 2018

    O correto é:
    Troca a correia dentada com o tensor. Ponto final. Você troca a correia agora e depois de uns 20mil km o tensor começa a dar problema! Você terá que pagar outra mão de obra para trocar o tensor.

  • Ronaldo Jordão 6 de junho de 2018

    Bom dia.Não é necessário que o rolamento esteja com ruído para causar um enorme estrago e prejuizo.
    Uma pequena folga ja desalinha a correia,jogando ela contra as polias e causando a quebra prematura.
    Então,por precaução deve-se trocar o tensor a cada duas trocas de correia.(uma sim,uma não)

  • Will 6 de junho de 2018

    Siga sempre o manual do proprietario.
    Um exemplo: onix chevrolet
    Trocar correia dentada e inspecionar tensor automático
    2mil km. 70mil km 130mil ……
    Ai te falo .vc confia em peças produzidas por homens.que podem mt bem ter falhas e defeitos que podem vir a yravar ou estourar em 80 ou 90 mil km ?
    Voce gasta um X e troca correia .o rolamento ja ta na cara do mecanico.e vc economiza seus 80 míseros reais pedindo a nao troca lo preventivamente e se com 10mil km a mais estourar ou der ruidos .vc vai perder a mao de obra gasta anteriormente . E o segundo gasto se torna maior que o primeiro. Revisoes preventivas sao mais para prevenir do que para remediar os problemas.

  • Victoe 5 de junho de 2018

    Por favor cara , estude mecânica.antes de falar toda essa merda ai. Trabalho com carro a 15 anos na Renault e se não trocar rolamento o mesmo pode trancar não adianta economizar 100 pila e gastar 4 mil num cabeçote. Tira isso do ar . Por favor

    • Isra 25 de junho de 2018

      Por favor acabei de trocar a correia dentada rolamentos ok mas o mecânico trocou a correia do alternador e mais uma falando que era normal trocar e ainda mexeu na bomba d’água falando que está com problema com ruído falei que não e peguei o caro agora está com um barulho estranho como vou saber se ele não estragou a bomba d’água? Só porque não quis trocar

  • Fernando Mendes 5 de junho de 2018

    Deixa eu entender: já que o rolamento do Ford dura 250mil km, os demais também duram. Ok, seguindo essa lógica, os rolamentos de cubos de rodas, alternador, motor de partida, ventilador etc tambem não precisam trocar antes dos 250mil km.
    Deixa eu te explicar: para cada projeto de carro/motor é definida a vida útil esperada e as peças a serem utilizadas são dimensionadas/escolhidas para terem a mesma duração, aproximadamente.
    Quanto a sua logica: não é porque o rolamento de determinado motor tem uma duração que os demais terão a mesma. Não faria sentido algum escolher o rolamento que suporta 60.000 km nos demais carros para o tensor de correia do Ford de 250.000km.
    A mesma lógica poderia ser utilizada e dizer que o rolamento dos demais carros só suportam 60.000km então tem que trocar o tensor de correia do Ford a cada 60.000km, mas não é necessário trocar a correia.
    Não estou questionando a necessidade ou não da troca, mas a lógica utilizada para justificar é completamente equivocada.

  • Vinícius 5 de junho de 2018

    Ah não precisa trocar o rolamento , então tu vai garantir meu serviço de troca de correias de hoje em diante.
    Picareta é você !

  • Leon Alves 1 de junho de 2018

    Esse senhor pelo jeito nunca vivenciou o dia a dia de uma oficina mecânica, se peças novas de qualidade podem dar defeito tanto é que tem garantia, agora o mecânico tem garantir seu serviço nesse caso com um rolamento com cinquenta mil quilometro .Me ajuda ai.

  • Leon Alvares 1 de junho de 2018

    Esse senhor pelo jeito nunca vivenciou o dia dia de oficina mecânica ,se peças novas de qualidade podem dar defeito tanto é que por isso tem garantia,agora o mecânico tem que garantir nesse caso um rolamento com cinquenta mil quilometro ou mais!
    Me ajuda aí né.

  • Rodrigo 25 de maio de 2018

    Pois é, é cada argumento furado de dar dó, a correia dura 250 mil km pq é banhada a óleo, por acaso os tensionadores tb não o são????Aí quer comparar com os que trabalham externamente e passar para o profissional qto tempo o tensor vai durar entre trocas, senilidade é um problema…

  • Thiago 17 de abril de 2018

    Em relação ao Siena . Deve-se trocar a correia dentada por idade prazo máximo 5 anos ou 50 mil o que acontecer primeiro, estando apenas com 21 mil sua troca não se faz nessesaria , muito pouco provável que nessesite de substituição, minha opinião a respeito da troca conjunta de rolamento e correia , isso garante o serviço ea tranquilidade do cliente pois caso aja algo após a troca somente da correia com dois ou 3 mil rodado o mecânico não se responsabiliza. Tem também a questão de compra de peças fora da oficinas isso também pode acarretar problemas . Você paga mais caro na oficina por peças porém tem a garantia das peças e da mão de obra ! Caso compre fora a peça quaisquer tipo de problema é responsabilidade do cliente pagar outra não de obra para efetuar a troca . Isso justifica as peças serem um pouco mais caras . Espero ter ajudado aqui .

  • Wellington Douglas 14 de março de 2018

    Oi boa tarde! Eu respeito muito a sua opnião, mas quando eu mando substitui a correia dentada substituo tambem o tensor. Abraço.

  • Marco Antonio 14 de março de 2018

    Me tira uma duvida por favor sempre que troco a correia troco o tensor pois rodo muito em estrada de terra esta correto.

  • Renato 13 de março de 2018

    Boa noite! Me tira uma duvida por favor.
    Tenho um Siena 12/13 1.0 tirado no final de 2012, ele esta hoje com 21 mil km. Pergunto o seguinte, a troca da correia e feita com 50 mil ou 5 anos, no meu caso já tenho que trocar ( pela idade ), consecionaria disse que sim e o mecanico onde levo o meu carro disse que não, ” e para esperar os 50 mil mesmo”, e ai o que faço?

  • Márcio Tostes 22 de agosto de 2017

    Bom dia Boris! Respeito muito sua coluna e admiro seu trabalho mas, tenho que discordar da sua opinião.
    Certa vez um amigo havia realizado a troca da correia dentada do motor da sua fiat Elba com motor 1.6 Argentino, na mesma semana ele começou a ouvir um barulho estranho e resolveu levar o carro de volta ao mecânico, saiu da garagem e não andou 500 metros, o motor parou. Conclusão, a correia estava intacta pois,era nova e o tal esticador,que não havia sido substituido, travou, o motor saiu do ponto as valvulas entortaram,etc e isso causou um prejuízo de quase cinco mil reais na época. Por isso acho muito melhor substituir o esticador, que é relativamente barato, do que ter a probabilidade de amargar um prejuízo muito maior se a peça já estiver com fatiga. Grande abraço!!!

    • Daniel Camargos 5 de setembro de 2017

      Oi, Márcio: se o rolamento estourou poucos quilômetros depois da troca da correia, a culpa é do mecânico que tem a obrigação de verificar seu estado. Se o rolamento está chiando ou tem folga, é claro que ele deve ser substituído!

Deixe um comentário