7 nomes de tecnologias nos carros que complicam a vida do motorista

Campanha aponta a complicação desnecessária que as fabricantes inventam na hora de nomear os recursos eletrônicos que equipam seus carros

Por AutoPapo10/09/18 às 19h15

Você sabe se o seu carro tem MirrorLink? E que tal um ADAS? Pois saiba que estes são apenas nomes complicados para tecnologias nos carros, e muitas vezes para recursos simples e já conhecidos. Com o avanço da eletrônica, o motorista tem que ser cada vez mais versado em siglas e até na língua inglesa para entender como seu automóvel funciona.

Campanha aponta a complicação desnecessária que as marcas inventam na hora de nomear as tecnologias nos carros que fabricam.
DSC é um nome que a BMW deu para o controle de estabilidade, geralmente conhecido pela sigla ESC.

Como apuramos em uma matéria que explica o que cada uma dessas siglas faz, um mesmo recurso pode ter até cinco nomes diferentes. Um exemplo é o Controle de Tração. Geralmente conhecido por este termo padrão, ou pela sigla do inglês, ASR, o recurso também já foi chamado de TCS, MSR, TRC, 4-ETS e DTC.

Cada uma dessas siglas provém do inglês, mas todas, no final das contas, se referem à mesma função, com pequenos ajustes na forma como cada marca a desenvolveu. Com esta mesma ideia em mente, a organização inglesa MotorEasy separou sete nomes que, ao invés de esclarecer, só complicam o entendimento destas tecnologias nos carros.

A empresa está fazendo uma campanha para simplificar a comunicação entre marcas, oficinas e motoristas. A ação já pediu aos mecânicos para abandonarem as gírias na hora de conversar com donos de carros, e concluiu que muitos se sentiam enganados na hora de pagar a conta só por causa das palavras complicadas.

Agora, a campanha aborda as montadoras e os termos aleatórios que dão a tecnologias nos carros que fabricam. Muitos deles aparecem por aqui também, dificultando ainda mais a vida dos motoristas brasileiros, por serem em inglês. Confira as sete escolhidas pela organização para denunciar o problema:

1. OnStar da Chevrolet

Este é o serviço de concierge da Chevrolet. O recurso é um canal de comunicação, disponível no retrovisor do carro, que entra em contato com uma rede de atendimento da marca. Os atendentes podem oferecer informações de trajeto (como o Waze ou uma pesquisa no Google). O mais interessante é que ele avisa a central, automaticamente, se houver um acidente.

2. TPMS

É o monitoramento eletrônico da pressão dos pneus, também conhecido como TPM.

3. MirrorLink

É a função de espelhamento disponível em algumas centrais multimídias. Ele permite que o motorista controle seu celular através da tela da central, que “espelha” a do smartphone.

4. Mechatronics da Audi

A “unidade de Mechatronics”, segundo decifrou o MotorEasy, é o jeito da Audi chamar o módulo de controle da transmissão automatizada de dupla embreagem (chamada de DSG, na Volkswagen). A própria transmissão tem um nome diferente em cada marca, como Powershift (Ford) ou PDK (Porsche). Claro que sua estrutura também muda de acordo com a fabricante, mas o tipo de transmissão é o mesmo: automatizada de dupla embreagem.

5. Distronic Plus da Mercedes-Benz

Este é o nome que a Mercedes-Benz inventou para um conjunto de tecnologias de assistência à direção. Elas podem controlar, automaticamente, a  velocidade do carro, sua distância do veículo à frente, e mantê-lo na mesma faixa. Essas funções são as mesmas que as do Piloto Automático Adaptativo (ACC) em conjunto com o A-LKA, recursos que aparecem em muitos outros carros, de várias marcas.

6. ADAS

O ADAS é outro jeito de renomear as tecnologias nos carros pensadas para automatizar a direção. Ela é ainda mais complicada, entretanto, porque não determina os recursos que aparecem ou não, sendo como um guarda-chuva para muitas coisas diferentes. Isso pode incluir o ACC, ou um assistente de partida em rampa, ou talvez a frenagem automática, entre muitos outros.

7. Climate Windscreen da Volkswagen

Este é o desembaçador da Volkswagen, com a única diferença de que dispensa os fiozinhos que atravessam o vidro traseiro. Mesmo assim, a função é a mesma.

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Paulo Bonard 12 de setembro de 2018

    Por coincidência,eu já estava para escrever para uma determinada revista especializada em reportagens sobre automóveis,para que ao testar um carro e descrever as tecnologias embarcadas, que traduzisse para o português,pois deixa muita gente sem saber o que significa, devido vir tudo em inglês. Essa matéria do Auto Papo, é muito interessante, estava faltando alguém se atentar para esse fato.

Deixe um comentário