Capacidade do tanque: litros a mais são picaretagem?

Sim, o abastecimento pode extrapolar um pouco o volume máximo do reservatório; porém, essa prática não é recomendável

Por Alexandre Carneiro27/08/18 às 17h30

A situação é relativamente comum: o motorista chega ao posto com seu veículo praticamente sem combustível. O frentista completa o nível “até a boca”, acionando seguidamente o gatilho após vários desarmes da bomba. Na hora de pagar a conta, o condutor, então, percebe que a quantidade de gasolina ou etanol excedeu a capacidade do tanque em alguns litros. Será que trata-se de um estabelecimento picareta, que frauda a contabilização do combustível vendido aos clientes?

Capacidade do tanque de combustível: é possível excedê-la?

Não necessariamente: é possível, sim, exceder a capacidade do tanque em alguns litros. “O volume informado pelo fabricante é só o do reservatório. Mas há também a tubulação e um sistema de filtragem de evaporação de combustível, que, se preenchidos, fazem a quantidade máxima aumentar”, explica Ricardo Dilser, assessor técnico do grupo Fiat-Chrysler Automibiles (FCA).

Todavia, essa prática, apesar de possível, não é recomendada pelos fabricantes de automóveis. Isso porque tais espaços não se destinam a armazenar gasolina ou etanol; essa função cabe apenas ao reservatório. “O filtro de evaporação de combustível, chamado de cânister, foi feito para trabalhar com vapores, não com líquido. Ele é feito de carvão ativado e pode ficar comprometido se entrar em contato com combustíveis”, explica Dilser.

Exceder a capacidade do tanque pode gerar prejuízo

Por isso, o ideal é não extrapolar a máxima capacidade do tanque. “É daí que vem a recomendação de parar o abastecimento no primeiro clique da bomba,” destaca o assessor técnico da FCA, que desaprova o hábito de alguns frentistas em forçar a colocação de combustível após o desarme do equipamento.

Vale lembrar que algumas cidades, como Belo Horizonte, têm leis municipais que proíbem essa prática. Porém, independentemente de existir ou não legislação sobre o assunto, o motorista deve ficar atento ao desarme da bomba durante o abastecimento. “Colocar dois ou três litros a mais que a capacidade do tanque praticamente não faz diferença para a autonomia do carro, mas já pode comprometer o cânister”, sintetiza Dilser.

Foto Shutterstock 

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário