Carros elétricos na Europa: pesquisa aponta desinteresse

Um estudo com mil motoristas descobriu que apenas uma minoria planeja adquirir um, citando custos e falta de infraestrutura de recarga

Por AutoPapo30/08/18 às 12h00

Uma pesquisa da Auto Trader apontou que há pouco interesse pela compra de carros elétricos na Europa. Segundo a avaliação, motoristas vão esperar cerca de nove anos para comprarem um veículo da categoria, devido à falta de pontos de recarga e desinformação.

Um estudo com mil motoristas descobriu que apenas minoria planeja adquirir carros elétricos na Europa, citando custos e falta de infraestrutura de recarga.

A pesquisa foi encomendada à agência Acacia Avenue, que entrevistou mais de mil motoristas europeus no mês de agosto. O estudo foi feito após a publicação das últimas metas governamentais para a região, Road to Zero.

De acordo com os números encontrados, apenas 26% dos entrevistados querem que seu próximo carro seja elétrico. Ao mesmo tempo, os participantes da pesquisa demonstraram falta de informação quanto ao assunto, segundo análise da publicação.

Entre eles, 38% não conhecia as políticas implementadas com relação aos carros elétricos na Europa. Muitos citaram a falta de infraestrutura de recarga e custos elevados como impedimentos à compra. Entretanto, pesquisas mostram que veículos elétricos têm custos menores depois de quatro anos.

Ainda assim, o público se mostrou consciente quanto aos problemas ambientais e de saúde consequentes de carros a diesel. 56% dos entrevistados afirmaram que se preocupam mais com os tipos de combustível agora do que um ano atrás. Notícias sobre os perigos do diesel afetaram a opinião de 52% dos participantes.

Carros elétricos na Europa são vistos como solução para o Diselgate

Na Europa, carros a diesel foram impulsionados em vários países e durante muitos anos, pois acreditava-se que poluíam menos do que aqueles a gasolina. Mais recentemente, entretanto, descobriu-se que fabricantes de carro estavam falsificando testes de emissão, e motores a diesel estavam poluindo até 40 vezes mais que o permitido. O escândalo, de alcance mundial, ficou conhecido como Dieselgate.

Por causa disso, governantes da região têm implementado políticas de restrição à circulação de carros a diesel e fomentado um aumento na frota de carros elétricos na Europa.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário