De olho (bem) aberto até na compra do carro novo

A compra do carro usado exige muita atenção, mas adquirir um zero km também demanda cuidados; separei os principais que você deve ter

Por Boris Feldman27/07/19 às 09h00

Comprar um carro seminovo ou um 0 km? Cada um tem seus problemas, pois a manutenção do carro usado pode ter sido negligenciada. Em compensação, o zero km expõe o freguês a várias maracutaias. Separei algumas delas.

Pintura

Veio com riscos, amassados, raspões? Nada de levar o carro para reparar: nem a melhor oficina de Rolls-Royce do mundo tem condições de repintá-lo com a mesma qualidade da fábrica. Pode ficar perfeito na hora da entrega, mas alguns meses depois, as diferenças começam a se destacar.

Pneus

Comece reparando na marca. Pode ser de ótima qualidade, mas tem que estar disponível no mercado de reposição. Caso contrário, peça para trocar as rodas. Ou todo o carro. Atenção também para o estepe, porque às vezes o estoque de pneus está baixo e a fábrica não o coloca numa série de carros. Recebe depois um lote de outra marca e o coloca naquela série. Resultado:  sobressalente com marca diferente dos outros quatro. Cuidado com os run flat, que continuam rodando mesmo murchos: se rasgam numa “cratera”, não rodam mais e você – sem estepe – fica na estrada.

O que é um pneu run flat? Entenda no vídeo!

Proteção

Muitos vendedores empurram (de olho na comissão) o serviço de “proteção” da pintura num carro novo. Os nomes variam: espelhamento, polimento, vitrificação, polimerização e outros. Não aceite: é importante depois que o carro já rodou dois a três anos e a pintura começa a perder o brilho. Mas a fábrica aplica na linha de montagem um verniz de proteção e a primeira operação no tal do “espelhamento” é exatamente passar uma lixa e mandar o verniz para o espaço…

Acessório

Vendedor tenta empurrar acessórios no carro zero para faturar “o seu”. Cuidado: se não for homologado pela fábrica, o carro perde a garantia. Mesmo que ele jure de pés juntos que a concessionária se responsabiliza, há um risco: se o carro for levado a uma outra concessionária para reparo, ela nega a garantia motivada pelo acessório não homologado.

Equipamentos

Para evitar problemas mais tarde, confira rigorosamente todos os itens que acompanham um carro zero km: chave reserva, triângulo, manual, macaco, estepe, chave de roda, etc.

Fim de linha

Pode ser vantajosa a compra de um carro que será substituído daí a algumas semanas por uma nova geração ou um simples face-lift (plástica). Mas o cliente tem que estar ciente do fato e usá-lo na argumentação junto ao vendedor para reduzir seu preço: exigir descontos, acessórios em cortesia, supervalorização do usado, etc. Ou alegar que prefere esperar o novo modelo… Só para pressionar o vendedor.

“Upgrade”

O cliente quer um modelo na versão top de acabamento. O vendedor diz não tê-lo em estoque, mas que equipa uma versão inferior com todos os acessórios da top.  O problema é que, no momento de vendê-lo anos depois, o mercado não vai avaliá-lo como top, mas pela versão original. Que vale bem menos, não importa quanto o dono tenha gasto para equipá-la.

“Duas cabeças”

No final de um ano e no início do seguinte, vem o problema do carro de “duas cabeças”. Ano de fabricação é um, “ano-modelo” é outro: 2018/2019, por exemplo. O vendedor jura que ele sempre será cotado pelo “ano-modelo”, mas nem sempre…

Saiba mais sobre esse problema!

Test-drive

Cuidado no test-drive. É quando o cliente tem condições de conhecer de fato o carro e verificar se atende às suas exigências. Mas tem concessionária “esperta” que imagina um roteiro para disfarçar “probleminhas” do automóvel. Evita trecho com subidas fortes se falta motor. Ou não inclui asfalto ondulado ou com desníveis se a suspensão for “dura”.

Juro zero

Não existe almoço de graça, dizem os economistas. Muito menos financiamento sem cobrança de juros, pois dinheiro tem custo elevado, principalmente no Brasil. “Juro zero” não existe, pois está escondido em algum lugar: ou num custo maior que o carro pago à vista, ou nas várias taxas cobradas pelo banco ou numa desvalorização do usado dado como entrada.

compra de carro novo exige cuidados
Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (14 votos, média: 4,57 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
SOBRE
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Andre 27 de julho de 2019

    Não aconselho ir com familiares na hora de fechar a compra, sempre tem alguém que diz amei… E qualquer possibilidade de desconto vai embora.

    Sempre visite pelo menos 4 concessionárias de outras marcas, leve os folders das outras marcas. E visite 3 concessionárias da marca escolhida. Depois, faça oferta agressiva e espere ligarem.

    Evite lançamentos e evite carros que estão saindo de linha.
    Carros com 3 anos no mercado são boa opção, pois ainda tem longa vida útil e os defeitos básicos já foram corrigidos.

    Carros importados só compre se estiver vendendo muito, isto garante peças reposição.

    Garantia ideal de 5 anos. Qdo produto é realmente bom, tem boa engenharia e é feito com materiais de primeira, dura muito!

    Cuidado com opiniões de alguns especialistas.
    Eu estou com Tiida sedan com 8 anos, 120mil kms e nunca deu nada. Importado do México. Super confortável, muito espaço, ótimo acabamento e muito potente. Faz 12km/l. Na época foi criticado por alguns pseudos especialistas.

  • Avatar
    JOSE EGIDIO NOVAIS SIMÕES 27 de julho de 2019

    Boas dicas de um Profissional Competente & Experiente!!! EXCELENTE!

Avatar
Deixe um comentário