Dirigindo na chuva: 9 dicas para não ter prejuízos com as tempestades

Em primeiro lugar, nunca atravesse uma enchente com nível de água superior altura da metade das rodas do carro

Por AutoPapo14/01/19 às 16h02

Até março, quando o verão se despede das ruas e estradas brasileiras, os motoristas devem ficar mais atentos. É que a estação chuvosa pode afetar componentes mecânicos e elétricos dos carros, causando prejuízos e colocando em risco os ocupantes dos automóveis. Listamos algumas dicas que ajudam quando é imprescindível se manter dirigindo na chuva.

“É aconselhável que o condutor não se arrisque dirigindo na chuva intensa, mas, se precisar atravessar poças d’água, é importante identificar a altura da água em relação ao veículo. Não é recomendado tentar atravessar trechos em que o alagamento ultrapasse a altura da metade das rodas do carro“, explica o superintendente técnico do Centro de Experimentação e Segurança Viária (CESVI), Emerson Feliciano Feliciano.

Quando há enchentes, a primeira marcha deve ser mantida engatada, sem elevar demais a aceleração. O comportamento evita a admissão de água para o interior do motor durante a travessia.

“Dependendo do nível da água, a enchente pode atingir o motor do automóvel criando o calço hidráulico – a entrada da água impede o pistão de comprimir a mistura no seu interior, ocasionando um travamento abrupto e consequente empeno ou ruptura das bielas, e também a contaminação do óleo lubrificante que poderá criar danos severos ao motor. Para o sistema de transmissão, principalmente as automáticas, pode ocorrer a contaminação do óleo que causam danos e até pane na transmissão”, complementa o especialista.

Na parte elétrica, caixa de fusíveis, módulos, relês, conectores, faróis, conjuntos ópticos e lanternas também podem ser prejudicadas se atingidas pela água suja.

Outra questão que deve ser considerada quando o motorista estiver dirigindo na chuva é frenagem. Em razão da presença de água e terra, o atrito das pastilhas pode sofrer interferência e perder eficiência.

Dirigindo na chuva: como evitar prejuízos

  • Como manutenção preventiva relacionada ao período de chuvas, verifique o estado atual de itens como pneus e palhetas do para-brisa.
  • Confira também todas as luzes de iluminação do veículo, como setas, faróis e luzes de freio.
  • Mantenha a velocidade baixa em primeira marcha, já que essa ação diminui a variação do nível de água. Para quem tem carros automáticos, a dica é deixar o câmbio na posição “1” ou “L”, caso não haja opções de trocas manuais, pois assim a central vai manter a marcha constante.
  • Se o carro morrer em enchentes, não dê a partida novamente. A ação força o motor e pode piorar ainda mais o quadro mecânico e de pane elétrica.
Os riscos são maiores quando os motoristas estão dirigindo na chuva. Listamos algumas dicas para passar pelas tempestades - e enchentes - sem prejuízo.

O que checar no pós-enchente

  • Depois de passar por um trecho alagado, vá direto para sua oficina de confiança e faça um check-up geral da parte mecânica, elétrica, sistema de ventilação e até do estofamento que está sujeito à contaminação por fungos e bactérias em travessias de alagamentos.
  • Nos itens mecânicos, é necessário observar primeiro o óleo do motor.
  • Verifique se a água atingiu as áreas de admissão de ar, como o filtro de ar, dutos e coletor de admissão.
  • É importante identificar se o veículo teve algum dano em bielas e nos pistões no caso da admissão de água no interior do motor durante o funcionamento ou após uma partida.
  • Na caixa de transmissão, é importante verificar se não houve a contaminação do óleo. O alerta é ainda mais importante no caso de veículos com transmissão automática.
Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário