Mineiro cria dispositivo de comunicação offline entre motoristas

O dispositivo tem mensagens pré-definidas sobre algum defeito no carro de outro condutor; equipamento funciona em um raio específico de distância

Por Andre Willis 15/12/18 às 14h30
Estagiário sob supervisão de Alexandre Carneiro

Desde 2016, o uso do farol baixo nas rodovias é obrigatório. Motoristas que insistem em manter o caro apagado cometem infração, punida com multa de R$ 130,16 e a parda de quatro pontos na CNH. Os números mostram que em 2017, 905.609 veículos foram multados por não manterem a luz baixa acesa nas estradas do país. Todavia, nem todos infringem a legislação deliberadamente: a desatenção pode levar o motorista a esquecer de acionar as luzes do carro. Para solucionar esse problema, um morador de São Lourenço, no sul de Minas Gerais, criou um dispositivo de comunicação entre motoristas.

Paulo Gannam, inventor independente, explica como surgiu a ideia de criar o dispositivo de comunicação entre os motoristas. “Eu estava voltando de carro de uma cidade vizinha a minha, e um policial me parou e informou que um dos meus faróis baixos estava queimado. Eu realmente não tinha percebido, e ainda recebi uma advertência por escrito. Depois do fato, eu me comprometi a fazer o reparo. Mas, durante a volta a minha cidade, eu pensei numa forma de comunicação entre os motoristas para avisar sobre a lâmpada queimada sem a necessidade de fazer gestos, buzinar ou piscar o farol”, disse.

Dispositivo
O aparelho utiliza de atalhos simples e não precisa de internet para funcionar. Cada botão envia uma mensagem pré-definida

Funcionamento

O equipamento tem botões com mensagens pré-definidas, que são enviadas a outro motorista. Entre elas, porta entreaberta, farol apagado, farol queimado e outros possíveis defeitos no carro. A mensagem alcança um raio de até 60 metros em relação a outro carro que também tiver o dispositivo de comunicação entre motoristas instalado. Para transmitir a mensagem, é utilizado o mesmo hardware nos dispositivos instalados nos dois veículos.

Paulo também explica que o dispositivo pode funcionar com um software. Através de um aplicativo de celular, os condutores podem se comunicar por áudios e textos, de forma simples e objetiva. O botão do dispositivo seleciona uma mensagem e o aplicativo permite enviar o texto. Essa função evita a possibilidade do uso do telefone ao volante. Veja como o aplicativo funciona:

O programa, segundo o inventor, tem fácil manuseio, é seguro e traz um diferencial importante em relação aos aplicativos de transito já existentes. “Os aplicativos de transito atuais são abarrotados de funções, e muitas vezes o recurso de comunicação é só mais um entre vários. Ele acaba sendo colocado em segundo plano”, explica Gannam. Além de informar sobre falhas nos carros, o dispositivo de comunicação entre motoristas pode informar sobre qualquer acidente no trânsito ou outras ocorrências nas pistas.

Patenteado, aparelho está à espera de investidores

O projeto do dispositivo de comunicação entre os motoristas já tem patente registrada. De acordo com Paulo, o conceito de comunicação foi testado com 34 motoristas e motociclistas, validando a concepção do aparelho. ” Fiz a interpretação dos dados e um estudo de viabilidade econômico-financeira voltado especificamente para o setor automotivo”, explica Gannam.

Para o aparelho ser produzido em escala de vendas ao consumidor, é necessário o aporte financeiro de um investidor. “Estou em busca de um parceiro do setor automotivo, uma empresa investidora para implementar a ideia no mercado e viabilizá-la para comercialização”, afirma.

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário