FCA e Renault podem se unir criando a terceira maior fabricante do mundo

Proposta de fusão foi apresentada pela Fiat Chrysler Automóveis (FCA) nesta segunda-feira (27); aliança com as marcas Nissan-Mitsubishi também é estudada

Por AutoPapo27/05/19 às 10h27

A Fiat Chrysler Automóveis (FCA), dona das marcas Fiat, Jeep, Dodge, RAM, entre outras, apresentou, nesta segunda-feira (27), um projeto de fusão para a fabricante francesa Renault. A ideia, que já vinha sido discutida pelos profissionais das companhias FCA e Renault, seria responsável por criar o terceiro maior grupo do setor.

Os termos da aliança consideram que tanto FCA quanto Renault tenham 50% das ações da nova joint-venture. Em comunicado, a empresa francesa afirmou estar examinando com interesse o projeto de fusão.

Mesmo com a possível mudança, a parceria Renault-Nissan-Mitsubishi continuaria intacta. Segundo a FCA, um trabalho em conjunto, considerando todas as marcas envolvidas, poderia render uma economia de cinco bilhões de euros.

Ainda de acordo com a dona da Fiat, não haverá, com a aliança, cortes de empregos ou fechamento de fábricas.

Foi apresentada, nesta segunda-feira (27), a proposta de fusão entre as fabricantes FCA e Renault. Francesa afirmou examinar com interesse o documento.
Renault Kwid e Fiat Mobi podem virar irmãos

As fabricantes Nissan e Mitsubishi ainda não se pronunciaram oficialmente sobre o assunto.

Juntas, FCA e Renault venderam 8,7 milhões de automóveis em 2018. O número perde apenas para os da Volkswagen e da Toyota, que totalizaram, respectivamente, 10,6 e 10,59 milhões de veículos no ano passado.

Com a notícia, as cotações das empresas FCA e Renault nas bolsas de Nova York e Milão chegaram a subir até 18%.

Governo Francês e união FCA Renault

Desta vez o governo Francês, que possui 15% da Renault, é favorável à aliança. Por meio do porta-voz Sibeth Ndiaye, a atual gestão da França afirmou que “é necessário que as condições da fusão sejam favoráveis ao desenvolvimento econômico da Renault e evidentemente aos funcionários da fabricante”.

Quando a parceria começou a ser pensada, ainda com Carlos Ghosn liderando a Renault, o governo tinha afirmado que estava com foco exclusivo na parceria Renault-Nissan-Mitsubishi.

O que o motorista ganha com a fusão?

Fiat e Renault fabricam automóveis de diversos segmentos. Em muitos dos veículos, seria possível compartilhar avanços tecnológicos.

A Renault, por exemplo, poderia compartilhar com a FCA seus motores elétricos. FCA, por sua vez, poderia somar com toda tecnologia 4×4 empregada nos Jeep e picapes Fiat.

Por outro lado, perde-se em concorrência. O monopólio concentraria muito e poder e, consequentemente, controlaria com mais facilidade os preços de mercado.

Imagem Montagem | AutoPapo

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário