Fiat Chrysler inaugura ‘centro de crash test’ em Betim

Novas instalações irão agilizar processo de validação de futuros lançamentos da fabricante; antes, ensaios eram feitos apenas no exterior

Por Felipe Boutros 18/07/19 às 08h30

A Fiat Chrysler (FCA) inaugurou nesta quarta-feira, em Betim, o Safety Center, estrutura que permitirá ao fabricante realizar os crash tests (ou testes de colisão) aqui no Brasil. Antes, esses ensaios eram feitos no exterior, nas unidades de Detroit (EUA) e Turim (Itália).

Desta forma, a unidade brasileira da FCA conseguirá desenvolver um novo automóvel completamente no Brasil. O Safety Center conta com uma área de 7.600 m² e pista de 130 metros, com capacidade de realização de testes de impacto de até 4 toneladas a 100 km/h.

Com investimento de aproximadamente R$ 40 milhões (entre infraestrutura, equipamentos e treinamento), o Safety Center Betim foi gerado em menos de um ano para realizar testes de impacto frontal, posterior e lateral contra barreiras rígidas e postes, com provas de padrão internacional, abrangendo todas as homologações e testes de agências independentes não governamentais. Cerca de 50 profissionais trabalham no local.

Para demonstrar como o Safety Center funciona, a FCA realizou um crash test com uma picape Toro. De acordo com executivos da fabricante, cada teste tem custo que pode variar de R$ 300 mil a R$ 500 mil.

Veja o vídeo!

Validação de um carro novo

Para um novo carro ser validado antes de chegar às ruas, ele passa por cerca de 800 ensaios virtuais (apenas os de segurança) e três crash tests. A correlação entre os resultados virtuais e os reais varia entre 95 a 99%.

Além da estrutura do automóvel, todo os sistemas de segurança passiva também são avaliados tanto nos ensaios virtuais quanto nos testes de colisão.

Para Marcio Tonani, diretor de Desenvolvimento de Produto da FCA para América Latina, “o Safety Center é uma importante conquista, que confirma o protagonismo do grupo na região e contribui para a melhoria e maior agilidade no desenvolvimento, mantendo os níveis de segurança exigidos internacionalmente”. O novo espaço também coloca a empresa em posição privilegiada diante dos requisitos que virão dentro do programa Rota 2030.

Segundo Tonani, antes, era necessário um período de aproximadamente 2 meses para enviar um carro para os laboratórios deste tipo nas unidades da FCA no exterior.

Fotos Felipe Boutros | AutoPapo

Avalie o conteúdo:
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário