[Impressões] T40 CVT mostra evolução, mas tem poréns

Modelo chinês agrega câmbio automático e motor 1.6, mas precisa ser lapidado em alguns detalhes

Por Felipe Boutros17/04/18 às 12h55

A evolução de alguns carros chineses é nítida, e os modelos da JAC estão entre eles. A confirmação veio com o lançamento do T40 CVT, tabelado em R$ 69.990. Mas não tire conclusões precipitadas: o hatch aventureiro ainda tem que melhorar em alguns pontos importantes.

O primeiro deles é o acerto da direção com assistência elétrica. O peso em manobras e baixas velocidades é correto, mas em velocidades mais altas, ela continua com muita assistência (fica leve) e imprecisa. A suspensão (McPherson na frente e barra de torção atrás) absorve bem as irregularidades, mas, com o carro cheio, ela chega ao fim do curso com facilidade, transferindo o impacto seco para o ocupantes do banco traseiro.

JAC T40 CVT mostra evolução da marca chinesa

Já o novo motor 1.6 tem bons números: são 138 cv e 17,14 kgfm de torque. O problema é que são obtidos a rotações muito altas,  6.000 rpm e 4.000 rpm, respectivamente. Isso, aliado ao câmbio automático continuamente variável (CVT), transforma retomadas em um suplício: o motor fica esgoelando e, mesmo assim, elas acontecem em um tempo maior que o desejável.

Outro inconveniente, é que o 1.6 é movido apenas a gasolina – o flex está em desenvolvimento segundo a marca. Mas ele agrega o sistema start/stop que, durante os trechos urbanos do test-drive entre São Paulo e Itú (SP) se mostrou menos ativo que o de outras marcas. Segundo informações da fabricante, ele é automaticamente desativado quando a temperatura externa está maior do que 35°C, para não causar desconforto pelo desligamento do ar-condicionado, mesmo que brevemente.

JAC T40 CVT mostra evolução da marca chinesa

Virtudes do T40 CVT

Mas, como dissemos, o T40 CVT mostra a evolução da marca em vários aspectos. O acabamento é um deles. O painel é feito em material emborrachado e com uma faixa revestida em couro, que também está presente no revestimento dos bancos e volante.

O quadro de instrumentos também mudou em relação à versão 1.5 com câmbio manual. Ele tem novo grafismo, com leitura mais fácil, assim como o computador de bordo. Lembra os utilizados nos modelos mais simples da Volkswagen (e isso é bom!).

Painel mudou no T40 CVT

O espaço interno é bom para quatro adultos. Todos se acomodam com conforto e espaço para as pernas e cabeças. Ele dispõe de cinto de segurança de três pontos e encosto de cabeça para o ocupante do meio do banco traseiro. O T40 CVT tem  4,13 metros de comprimento,  1,75 m de largura e 1,56 de altura. O entre-eixos é de 2,49 metros. O porta-malas tem capacidade para 450 litros.

Fotos JAC | Divulgação

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário