[Vídeo] Pé esquerdo no freio? Sim, não o deixe “descansando”

Tá achando que o pezinho vai ficar "numa boa" em carros automáticos ou automatizados? Nada disso!

Por Boris Feldman18/12/17 às 16h35

O conceito de pilotagem do carro equipado com transmissão automática (ou automatizada) está errado. Nosso motorista, acostumado durante dezenas de anos com o câmbio manual de três pedais, não percebeu que tem dois pés e o carro automático dois pedais, de modo que faz muito mais sentido usar o direito para o acelerador e o esquerdo no freio.

É claro que há controvérsias e alguns insistem que o correto é pisar nos pedais de acelerador e freio com o pé direito, deixando o esquerdo no descanso. Por quê? O Boris conta no vídeo:

[Transcrição]

Eu acho até engraçada a reação da imprensa dita “especializada” quando uma fábrica lança um modelo com câmbio automático. Porque todas as matérias têm a seguinte frase:

“Descanso do pé esquerdo.”

Ora, bolas! Se eu tenho dois pés e o carro tem dois pedais – um de acelerador e um de freio – por que “descanso do pé esquerdo”? Fica um [pé] para cada.

Se você parar para pensar, faz sentido. Se o condutor precisar frear de repente o pé esquerdo está disponível. Não precisa tirar o pé direito do acelerador e pisar no pedal do freio. É mais prático, é mais rápido. É mais coerente: um pé para cada pedal.

No entanto, é preciso acostumar o pé esquerdo, que operava a embreagem no câmbio manual, a operar o pedal do freio. Até porque, o esforço aplicado no pedal da embreagem é bem maior do que o aplicado no freio.

Resultado: você sempre dirigiu um carro manual. Seu pé esquerdo sempre acionou a embreagem. Se agora você for acionar o pedal do freio, nas primeiras vezes, é um “porrada” só. Todo mundo vai ser atirado para frente. Até que você, claro, regule a força aplicada.

Pé esquerdo deve ser utilizado em carros equipados com câmbio automático
Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
17 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Alessandro 19 de maio de 2019

    Meu caro, o fato de se usar o pé do acelerador para freiar é para parar de acelerar quando freiar é evitar de fazer besteira. Se você não eh piloto profissional, não faça isso.

  • Avatar
    Alexandre 14 de abril de 2019

    Rídiculo o uso do pé esquerdo para freio, eu mesmo acostumei a dirigir carro automática em apenas um dia que dirigi manual quando no dia a noite voltei pro automático já baguncei tudo e dei uma pisada no freio procurando a embreagem.. Melhor esquecer do pé esquerdo que fazer merda…

  • Avatar
    William Wagner Guarda 31 de janeiro de 2019

    Nos carros manuais sempre usei o freio motor. Nos automáticos resta apenas o freio pois, mesmo reduzindo manualmente a marcha só entra no giro certo. Assim sendo, o uso do pé esquerdo para as frenagens facilita uma condução mais segura nas curvas. E sim, seria muito mais fácil se o pedal de freio fosse mais largo como eram antigamente.
    Hoje noto que as pessoas dirigem com muito pouco eficiência. Utilizam-se de duas faixas para conduzirem seus veículos, o tempo de reação nos semáforos é absurdo, normalmente o carro larga quando já estamos preses a pegar a luz amarela, nas rotatórias a grande maioria ignora que a preferencia é de quem já adentrou na rotatória, nas estradas é comum motoristas extremamente lentos nas pistas mais à esquerda, ignorando que a pista da esquerda é pista de ultrapassagem. Nas cidades onde a velocidade é extremamente lenta ainda contamos com estes motoristas que aceleram de 0 a 40 em 2 ou três minutos e isto após largarem na virada para o amarelo.
    Então, não estamos tratando de pilotos de F1 mas sim de pessoas que deveriam ser impedidas de dirigirem devido a grande imperícia e falta de educação na ocupação do espaço público. E infelizmente hoje mesmo os motociclistas dirigem muito mau e ainda temos ciclistas insanos que não respeitam nada e bloqueiam as pistas transitando no meio das vias em velocidade muito inferior à velocidade mínima permitida que é a metade da velocidade máxima.
    Então, se andar a 40 já é uma grande tragédia imagine então circular abaixo disso devido a imperícia de motoristas que jamais deveriam ter recebido uma habilitação.?

  • Avatar
    Humberto Camurça Ribeiro 25 de novembro de 2018

    Tenho problema por conta de uma grande cirurgia que fiz na perna direita e fiquei com uma grande neuropatia que diminui minha sensibilade com o pé direito. Estou comprando um carro zero km que aínda não usei este processo,além de que estava prejudicando minha coluna. Poderia utilizar uma pequena adaptcao no carro novo, tentar colocar uma extensão como por exemplo colocando uma chapa de aço no pedal do freio fazendo com que não fosse necessário um movimento que prejudicasse minha coluna? Teria ideia de onde poderia fazer está adaptação.

  • Avatar
    Alexandre 26 de maio de 2018

    Tem mais um detalhe: quem alterna entre carros automaticos e manuais no dia-a-dia sempre vai prejudicar a dirigibilidade em um ou outro. Se treinarmos pra frear com o pe esquerdo, quando voltarmos pro manual teremos desaprendido a pressão correta do pedal da embreagem.

  • Avatar
    Edu Campos 25 de maio de 2018

    Moro no Japão e aqui, a maioria dos carros são automáticos, como eu dirigia diariamente no Brasil, acostumei a utilizar os dois pés e consegui adaptar aqui para os carros automáticos, já dirijo assim há dez anos e ao contrário do que dizem, meu carro não sofreu nenhum desgaste nem tem variação de consumo do combustível e nunca sofri nenhum acidente por conta desta forma de dirigir, em verdade, as autoescolas daqui ensinam a utilizar somente o pé direito, a prova para obter a carteira de motorista também é obrigatório usar somente o direito mas após isso, nunca mais precisei cansar meu pé direito desnecessáriamente!

  • Avatar
    Brito 25 de maio de 2018

    Essa prática, na minha opinião não serve. Os carros com câmbios automáticos, vem de fábrica com os pedais mais para a direita, e desta forma implicaria na posição do motorista causando um desconforto. Sem falar que em uma emergência, o condutor pode acelerar o carro junto com os freios.

  • Avatar
    Joni 3 de maio de 2018

    Usar o pé direito para ambos os pedais faz sentido se pensar no motorista do dia a dia. Pois evita-se numa emergência que se pressione os dois pedais simultenamente. Para pilotos numa pista o caso muda, aqueles milésimos de segundos perdidos para mover o pé de um pedal a outro contam muito!! Acho que o Rubinho era o único piloto de F1 a usar somente o pé direito pra duas funções.

    • Avatar
      Joel do Prado 2 de outubro de 2018

      com certeza, inclusive o Felipe Massa copiou do Barrichelo e tambem se deu mal,pior ainda. kkkk

  • Avatar
    clerio 23 de janeiro de 2018

    Eu discordo em partes, porque os pedais ficam praticamente juntos, e não tem espaço para você enfiar o pé esquerdo pra frear, se fosse para usar os dois as montadoras teriam desenhado os pedais mais ajustados para cada pé, então da forma que vem os modelos não tem como fazer isso não seu Boris.Principalmente para quem é mais grandinho.

  • Avatar
    Geraldo Telles 20 de janeiro de 2018

    Nenhum pé descansando em nenhum pedal, transmissão automática ou mecânica ! Isso causa desgaste prematuro ou no rolamento “de escora” da embreagem, ou no sistema frenante no caso de câmbio automático, além de consumir mais combustível, no último caso. E além do mais estamos falando de motoristas “amadores” e não de pilotos de F1.

  • Avatar
    Rodrigo 21 de dezembro de 2017

    Hoje eu tenho um manual e um automático em casa, no automático eu dirijo freando com o pé esquerdo mesmo (e às vezes faço isso no manual).
    Não confundo os pés nem carros, aprendi nos 2 primeiros anos após retirar a CNH e treinei num palio manual, em ruas desertas perto de casa. Hoje para mim é normal pegar um automático e sair dirigindo freando com o pé esquerdo…..ah, detalhe, fica bem mais fácil de manobrá-los em vagas íngrimes.

  • Avatar
    Lorena Mirela 20 de dezembro de 2017

    Boa matéria! Estou praticando essa mudança aos poucos. Pra quem já está acostumado a usar os dois pés em um automatizado é fácil, mas pra quem está começando agora é complicado por três motivos: o costume com o câmbio manual, o risco de pisar no freio com a mesma pressão que pisava na embreagem e o risco de esquecer de tirar o pé do acelerador.😁
    Mas nada que bons treinos ñ ajudem, de preferência em ruas tranquilas.😉

  • Avatar
    Queiroz 19 de dezembro de 2017

    Para quem é destro, o pé direito tem força (e velocidade de reação) absurdamente maior que o pé esquerdo. Logo, em uma freada de emergência (na qual você leva o carro à estaca zero) o pé esquerdo pode prejudicar a pisada em virtude das causas que falei.
    Além disso, pisar com o direito é uma garantia de ao mesmo tempo não estar pisando nos dois pedais. Eu só uso o esquerdo em ladeiras para poupar o câmbio ao permitir que o carro desça.

    • Avatar
      André Raposo 19 de dezembro de 2017

      Em relação a velocidade de reação é habilidade motora ok, mas para quem é destro o membro mais forte é o oposto, de onde vem o apoio para executar as tarefas com o direito, ao chutar ou saltar o destro usa sempre a perna esquerda de base, com isso o outro membro é mais forte!

  • Avatar
    Fernando Rettore Jr 19 de dezembro de 2017

    O problema é que a posição do pedal de freio (mais à direita) deixa muito desconfortável o uso do pé esquerdo para frear, se faz necessário uma boa torção na coluna.
    Facilitaria muito se o pedal de freio fosse largo o suficiente para ocupar também boa parte da posição do pedal de embreagem, como era nos veículos mais antigos (Opala, Galaxy, Dodge)

    • Avatar
      marcelo 19 de dezembro de 2017

      Bem observado.

      Por isso mesmo que os carros esportivos tem o pedal do freio mais afastado do pedal do acelerador pois, numa condução de pilotagem em pista por exemplo, a reação é muito mais rápida na maior parte das situações.

Avatar
Deixe um comentário