Câmbio automático: como usar, fazer manutenção e como funcionam

Automático é o mesmo que automatizado? Precisa trocar o óleo? O câmbio automático ainda gera muitas dúvidas para os motoristas

Por André Almeida 23/02/19 às 15h00
Com Alexandre Carneiro

O conforto de se dirigir um automóvel com câmbio automático tem conquistado muitos motoristas. O mercado já percebeu essa tendência e tem lançado cada vez mais carros com esse tipo de transmissão. Um estudo divulgado pela Bright Consulting prevê que, em 2019, pela primeira vez na história, o mercado brasileiro venderá mais carros zero-quilômetro equipados com esse tipo de transmissão que modelos com caixas manuais.

Porém, na mesma proporção em que vem aumentando a aquisição dos automóveis com o câmbio automático, as dúvidas sobre a maneira de usá-lo no dia-a-dia e os cuidados com a manutenção também cresceram. Por isso, reunimos aqui os principais questionamentos, dicas e curiosidades sobre esse assunto.

Afinal, é preciso trocar o óleo do câmbio automático? No trânsito pesado ou quando eu paro no sinal, coloco a alavanca no N (Neutro) ou deixo no D (Drive)? Como devo proceder na hora que eu terminar de estacionar um carro automático? São tantas perguntas que resolvemos fazer um guia para lhe orientar como proceder para que você prolongue a vida útil da transmissão e não tenha prejuízos. Além de não ser enganado na hora de comprar um automóvel com câmbio automatizado, acreditando ser um automático convencional.

Câmbio automático: dicas de como fazer manutenção
Foto Toyota | Divulgação

Automáticos

Já o câmbio automático não tem embreagem. É um componente chamado conversor de torque que faz a ligação entre a caixa de transmissão e o motor. As marchas são definidas por engrenagens epicicloidais, popularmente chamadas de planetárias (diferentes daquelas presentes nos sistemas manuais). É por isso e o câmbio automático também é chamado de epicíclico.

As trocas das marchas são realizadas automaticamente, por uma central eletrônica, de acordo com a rotação do motor e a velocidade do veículo. Porém, não são tão rápidas quanto a dos câmbios automatizados de dupla embreagem. Por outro lado, o funcionamento é extremamente suave.

Os sistemas mais modernos já dispõem de oito ou até 10 marchas. Mas praticamente todos os mecanismos atuais, independentemente do número de velocidades, permitem que o motorista assuma o controle e faça as trocas por contra própria, de modo sequencial, por meio de toques na alavanca ou de borboletas localizadas no volante (que têm o nome técnico de paddle-shifts). Os automatizados de dupla embreagem (chamados DSG ou DST) também oferecem a opção da troca de marchas em aletas sob o volante.

Câmbio automático do tipo CVT

E o CVT? O Continuosly Variable Transmission (Transmissão Continuamente Variável) é um tipo de câmbio automático, também acoplado ao motor por um conversor de torque. Todavia, seu princípio de funcionamento tem características muito específicas. Isso porque ele não conta com um número fixo de marchas: funciona como se tivesse uma infinidade delas.

É que em vez de trazer diversas engrenagens epicicloidais, que determinam as marchas, ele tem apenas duas polias de diâmetro variável, ligadas a uma polia ou a uma corrente. A relação entre elas vai mudando de modo contínuo e progressivo, sem marchas definidas, de acordo com a condução.

O resultado é que a rotação do motor se mantém mais constante em acelerações. Consequentemente, o câmbio automático do tipo CVT é o mais suave entre seus pares. Também permite maior economia de combustível, embora, nesse caso, exista uma série de fatores envolvidos (como o peso do veículo e as características do propulsor, entre outros).

O câmbio automático CVT também tem algumas limitações. Ele não suporta, por exemplo, volumes muito grandes de torque. Por isso, geralmente não são utilizados em modelos esportivos ou em veículos com grande capacidade de carga.

Outra questão é que, devido ao funcionamento contínuo, alguns motoristas acham monótono dirigir veículos com esse tipo de transmissão. Porém, alguns sistemas já trazem um recurso para driblar esse problema: marchas simuladas. Nesses casos, as polias se mantêm fixas em determinados pontos, formando as marchas. Isso permite até que o motorista as troque de modo sequencial, como nos similares do tipo epicíclico.

Assista ao vídeo abaixo e aprenda a fazer a troca sequencial usando os paddle-shifts:

Dicas para dirigir um automático

Agora que você sabe mais sobre esses tipos de câmbio sem pedal da embreagem, confira as dicas abaixo para você usar melhor essa transmissão:

Descer na ”banguela”

Você deve estar se perguntando: “banguela em um carro automático? Como assim?” O negócio é que têm alguns motoristas que acreditam que colocar a alavanca no N (Neutro) durante uma ladeira é uma ótima maneira de economizar combustível. Só que eles se esquecem que essa atitude causa um esforço maior no sistema de freios. Pois, assim como em carro manual desengrenado, o câmbio não irá auxiliar o trabalho da frenagem.

Além do mais, nos motores equipados com injeção eletrônica (item presente em todos os automóveis vendidos no Brasil há pelo menos 20 anos), a economia de combustível é maior se o motorista mantiver uma marcha engatada sem acelerar que se ele colocar a transmissão em ponto morto. E isso vale tanto para carros equipados com o câmbio automático quanto com o manual.

A prática de colocar a alavanca em N ainda pode trazer um problema adicional: desgaste acelerado. É que o mecanismo dos câmbios automáticos trabalham sob grande pressão de óleo. Na “banguela”, essa pressão é bem menor, o que pode prejudicar a lubrificação, principalmente se o veículo estiver em movimento. Por tudo isso, o ideal é você deixá-lo sempre na posição D (Drive) ou, se a sua caixa tiver a opção de trocas sequenciais, colocar uma marcha mais forte.

Ao estacionar em uma ladeira, primeiro puxo o freio de mão ou engato o P?

Vira e mexe leitores enviam e-mails para o AutoPapo relatando que a alavanca travou no P (Parking). A pergunta determinante é: na hora em que isso ocorreu, você imobilizou completamente o veículo antes de engatar o P? Em 90% dos casos, a ação do motorista foi contrária: após estacionar, o motorista posicionou a alavanca no P sem freá-lo, ou até mesmo quando ele ainda estava em movimento.

Se você é um motorista ansioso ou distraído, que fatalmente vai engatar o P sem imobilizar o veículo, é interessante criar um hábito. Ao estacionar, acione o freio de mão primeiro e só depois mova a alavanca para o P. Desse modo, a ação sempre será feita com o veículo completamente parado. Agora, na hora de sair com o automóvel, o procedimento é inverso: primeiro dê a partida e coloque o câmbio em D, para depois baixar o freio de mão.

Quando usar o “L” ou “1,2,3”

Em alguns automóveis com câmbio automático, além das letras P, N e D no câmbio, a também a letra L (Low). Esse função aciona uma marcha mais forte, como a primeira ou a segunda. Então, ao subir uma ladeira mais pesada, ao colocar a alavanca no L, isso irá impedir que a transmissão, em rotações mais elevadas, troque de marcha no meio do morro e o seu carro perca torque. Evitando, assim, que o sistema retorne para uma marcha abaixo logo em seguida.

1, 2, 3…

Em determinadas transmissões automáticas, em vez da letra L (ou adicionalmente à ela), há os números 1, 2 e 3. Eles equivalem à primeira, à segunda e à terceira marcha. Ao colocar a alavanca nas posições determinadas por esses algarismos, o motorista vai limitar o funcionamento do câmbio. Então, ele vai utilizar, no máximo, aquela marcha específica. No 2, por exemplo, o sistema vai manter sempre a segunda marcha, mesmo se o motor já tiver alcançado altas rotações. No 3, do mesmo modo, a quarta jamais será engatada.

Esse recurso serve para evitar mudanças para marchas seguinte em situações nas quais o carro não pode perder força. Por exemplo, ao subir uma ladeira íngreme em um veículo sem grande reserva de potência. Ou ao transitar em pisos de baixa aderência, como estradas enlameadas ou cobertas de neve. Mas sua maior utilidade é possibilitar que o motorista utilize freio-motor em descidas.

Para que serve o botão “S”

Câmbios automáticos podem também oferecer a opção “S” , de “sport”, na alavanca. Em quase todos, a ideia é tornar a condução mais esportiva,“esticando” mais a rotação de motor em cada marcha antes de cambiar para a seguinte.

Em alguns carros mais antigos, entretanto, o “S” significava “Snow”,de neve, em inglês. Neste caso, a caixa eliminava a primeira marcha e arrancava de segunda, para evitar que as rodas patinassem. Podia ser usado também para sair da imobilidade na lama. Atualmente, essa função é cumprida pelo Controle de Tração, um dispositivo eletrônico que evita o deslizamento das rodas.

Quando trocar o óleo?

A resposta para essa pergunta é: depende. Alguns veículos automáticos já dispensam a necessidade de se fazer a troca do óleo do câmbio, assim como no câmbio manual. Mas é bom  sempre lembrar de checar periodicamente no nível do fluido, já que é possível que surja um vazamento. O importante é sempre consultar o manual do proprietário para saber se o modelo em questão tem essa exigência e em qual quilometragem esse serviço deve ser feito.

Automatizados

Pedal de freio e acelerador em carro automático
Pedal de freio e acelerador em carro automático

Para início de conversa, é preciso deixar bem claro que câmbio automático não é a mesma coisa que automatizado. A única semelhança entre os dois é a ausência do pedal de embreagem e as letras P (Parking), N (Neutro), R (Reverse ou ré) e D (Drive). Entretanto, mecanicamente, eles são completamente diferentes.

O câmbio automatizado tem embreagem, como nas caixas manuais. Porém, ele é todo operado por computador e comandos elétricos ou hidráulicos atuam como se fossem um “pezinho” oculto para acionar a embreagem e uma “mãozinha” para passar as marchas. Resumindo, seu funcionamento é bastante parecido com o de um sistema manual, com a diferença de que ele é operado eletronicamente.

Existem diversas denominações comerciais para sistemas automatizados de uma embreagem. Entre os quais, Dualogic/ GSR na Fiat, i-Motion na Volkswagen, Easy’R na Renault e Easytronic na Chevrolet. Apesar dos nomes distintos, são sistemas semelhantes do ponto de vista técnico.

Automatizado de dupla embreagem

Existem ainda os câmbios automatizados de dupla embreagem, que são bem mais avançados. O funcionamento é parecido com os similares de apenas uma embreagem. Mas há uma diferença crucial: a presença de duas embreagens, uma para as marchas pares (e para a ré) e outra para as ímpares. Por causa disso, uma das marchas fora de uso está sempre pré-engatada. Quando está trafegando em segunda, por exemplo, o mecanismo mantém a terceira prestes a ser utilizada.

Isso traz vantagens em diferentes aspectos. Primeiramente, as trocas são muitíssimo rápidas: duram, em média, milissegundos. É por esse motivo que esse tipo de transmissão é muito usada em carros esportivos. Outra vantagem é que o funcionamento é bastante suave, tal como nas caixas automáticas. Muito diferente dos dispositivos de apenas uma embreagem (automatizados) que costumam “dar trancos” nas passagens de marchas e por isso já estão deixando de ser fabricados.

Pé esquerdo no freio? Sim, não o deixe “descansando”

Tá achando que o pezinho vai ficar “numa boa” em carros automáticos ou automatizados? Nada disso!

O que fazer se a alavanca estiver travada?

Agora no caso da alavanca do câmbio travar por causa de uma pane elétrica, já que você não vai conseguir ligar o carro, a solução é bem simples: tire uma tampinha (vide foto abaixo) que fica próximo ao câmbio e use a própria chave do carro para empurrar um botãozinho que fica embutido lá para desbloquear a alavanca e colocá-la na posição N. Assim, você poderá soltar o carro para colocá-lo em um reboque ou empurrá-lo para um outro local.

Carros automáticos para PcD

Em 2018, as vendas de carros com câmbio automático para PcD ultrapassaram as 180 mil unidades. Aliás, muitas montadoras já perceberam o crescimento desse mercado e estão se esforçando para atender a esses consumidores. Por outro lado, o governo já sinalizou que poderá endurecer as regras para conceder benefícios fiscais ao público PcD. Confira abaixo a galeria dos modelos mais baratos baratos com transmissão automática vendidos em 2018:

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (17 votos, média: 4,82 de 5)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
32 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    NILSON MATOS 6 de novembro de 2019

    BOM DIA.
    TENHO UMA PAJEiRO SPORT 2004
    QUE AO ENGATAR O DRIVER SAI NORMAL POREM a atingir 30 a 40 por hora fica como se a marcha não quer entrar e há aceleração no motor sem o carro desenvolver.porem não há nenhum estalo ou clic no motor.ai se agente pisar bem forte no acelerador ela consegue passar a marcha para adiante….é como se a terceira não quisesse entrar.

    O que pode ser?

    Obrig…..

  • Avatar
    Kate 21 de setembro de 2019

    Bom dia Para que serve aquele símbolo que fica no console do câmbio. ( lembra o símbolo do ar condicionado). Tenho umazafira. 2012 obrigada

    • Avatar
      Betina 22 de outubro de 2019

      Tenho uma safira 2008, tive problemas com o câmbio automático dela, de repente entrou em modo de emergência, então precisei passar as marchas manualmente, e tive q rodar com ele por 8 kilómetros até chegar em casa, então a pessoa q me vendeu o carro, disse q foi eu quem quebrou o câmbio pq andei com o carro em modo de emergência, e isso forçou o câmbio e acabou de estragar ainda mais. Isso é verdade? Por favor me ajudem respondendo minha dúvida, pois acho q estou sendo enganada! Grata!

  • Avatar
    José Malaquias dos santos filho 4 de agosto de 2019

    Bom dia tenho um Vectra elegacie 2009 automático quando eu piso ir seguro o rpm sobe o motor ronca ir ele não disevolve a velocidade vc tem alguma sugestão

  • Avatar
    Anderson 20 de julho de 2019

    Tenho um Peugeot 406 ano 2001 automático não sei oq está acontecendo ligo meu carro e coloco no D as vezes ele eu consigo andar alguns metros aí guando começa a andar fica fazendo um barulho de relé debaixo do porta luvas

  • Avatar
    jose aparecido godoy 2 de julho de 2019

    boa noite estou numa duvida , tenho um corolla 2,0 xei 2012, automatico quando para no transito em media uma parada de 2a 3 minutos eu deixo no D ou N,

  • Avatar
    Jeronimo 21 de junho de 2019

    Tenho um Honda Fit 2018 e ele não muda marchas com o motor em alta rotação. Caso persista acelerando o contagiro atingiria o vermelho. O que está acontecendo?

  • Avatar
    Lucas 31 de maio de 2019

    BOA TARDE, tenho um honda fit 2004/2005 automático e percebi que ao acelerar o carro, a troca de marcha tem sido feita em rotações muito alta, exemplo de 3500 a 4000 rpm! qual seria a solução? se possível gostaria de uma explicação

  • Avatar
    Lucas 31 de maio de 2019

    BOA TARDE, tenho um honda fit 2004/2005 automático e percebi que ao acelerar o carro, a troca de marcha tem sido feita em rotações muito alta, exemplo de 3500 a 4000 rpm! qual seria a solução?

  • Avatar
    Junior 22 de maio de 2019

    Estou com dúvidas no test-drive do Onix 2019 at, ao tirar o câmbio do P, o carro dava um tranco, a vendedora me informou que isso era normal. Procede essa informação.

  • Avatar
    Marcelo Araujo Oliveira 30 de abril de 2019

    Ao parar no farol vermelho posso puxar o freio de mão e tirar o pé do freio?

    • Avatar
      Ruandro 31 de outubro de 2019

      sim pode proceder desta forma, o problema é se o seu veiculo não for freio de mão eletrônico e você acelerar ao abrir semáforo vai forçar o cambio, ao contrario dos carros equipado com frio de mão eletrônico que ao acelerar ele destrava automaticamente.

  • Avatar
    Jose Grande aparecido 25 de março de 2019

    Estou com uma dúvida quanto a troca de óleo do câmbio automático da Hilux 2012. Me disseram que não precisa trocar, a minha está com 100 mil km e verdade isso?

  • Avatar
    Edson Luiz 3 de março de 2019

    Caro Felipe Boutros – interessante matéria, principalmente o trecho sobre o travamento da alavanca por pane elétrica. Procurei a tal tampinha no meu Jetta 1.4 TSI 17/18 e não a encontrei. Peço sua ajuda. Obrigado!

    • André Almeida
      André Almeida 12 de março de 2019

      Edson, embaixo do acabamento prateado do câmbio tem uma espécie de botão amarelo que você pode pressioná-lo e destravar a alavanca, para colocar no Neutro. Não me recordo se no Jetta 17/18 tem esse mecanismo. Mas, o caminho é esse. Agora, claro, muito cuidado para não danificar o acabamento.

      • Avatar
        Edson Luiz 13 de março de 2019

        Muito obrigado, André!

  • Avatar
    PAULO RENATO 1 de março de 2019

    PREZADO BORIS, EXCELENTE A MATÉRIA SOBRE CÂMBIO AUTOMÁTICO. ABRAÇÃO!

  • Avatar
    Walter Joao Chessa 27 de fevereiro de 2019

    Vai demorar um tempo para o brasileiro acostumar com câmbio automático.No Brasil TODOS NÓS aprendemos dirigir com Fusca ou Brasília.No nosso subconsciente ao dirigir “memorizamos” estes carros.É por isso o grande número de acidentes com câmbio automático.Já no estrangeiro a maioria é automático.O estrangeiro “já nasceu aprendendo” no câmbio automático. A COISA É CULTURAL E PSICOLÓGICA

  • Avatar
    alessandro 27 de fevereiro de 2019

    47 anos, e já possui variados modelos. Aqui vái: Cambio automático, hidramático, automatizado enfim…. Só PRESTA os japoneses (honda, toyota, suzuky e os Koreanos. TODOS OS OUTROS AQUI NO BRASIL DÃO DARÃO PROBLEMA. AGORA O SUPER HIPER MEGA BLASTER CAMPEÃO DE PREJUIZO É NA CITROEN!!

    • Avatar
      Augusto Oliveira 28 de fevereiro de 2019

      Sr. Alessandro, aproveitando o gancho do seu comentário, só confio tbm nos câmbios automáticos japoneses pelo fato da maioria utilizar o CVT, mas me tira uma dúvida: dirigi um Cobalt automático 2015 e gostei. Tem alguma referência desse câmbio automático GM???

      • Avatar
        Mauro 24 de abril de 2019

        As transmissões da GM são muito boas. Atendem bem as necessidades de força e velocidade do veículo em movimento. Afinal a GM, depois de comprar a patente do primeiro câmbio automático, é a mãe desse tipo de transmissão!! Ruim mesmo só o AUTOMATIZADO!!!

  • Avatar
    fabio fernandes 24 de fevereiro de 2019

    parabens pela materia. extremamente técnica e didática. Me ajudou muito inclusive com dúvidas que nem imagina ter heheheh. Como brecar o veiculo antes de park. Grato

  • Avatar
    Daniel 24 de fevereiro de 2019

    Bom dia, tenho uma crv 2009, minha duvida é. Antes de eu pegar uma subida com o carro parado eu coloco a alavanca na posição L, apos eu terminar a subida eu tenho que parar o carro e colocar no D ou posso com ele em movimento por no D. Pois estou perguntando porque uns falam que pode mudar com carro em movimento outros falam que nao pode.

    • Avatar
      Antonio Donizeti martins 24 de fevereiro de 2019

      Daniel, pode mudar com ele em movimento. É como se voce fosse mudar num cambio mecanico de 1 para 2 ou 2 para 3. O contrário é complicado, voce não deve mudar para reduzir marcha com o carro em velocidade não vompatível com a marcha que vai entrar. De D para L por exemplo: só se o carro estiver bem devagar.

      • Avatar
        Daniel 2 de março de 2019

        Ok, obrigado pela atenção.

    • Felipe Boutros
      Felipe Boutros 24 de fevereiro de 2019

      Olá, Daniel. Sim, neste caso pode mudar em movimento mesmo.

      Abraço

      • Avatar
        Daniel 2 de março de 2019

        Obrigado

  • Avatar
    Renato 24 de fevereiro de 2019

    Tinha um c3 automático ele não queria passa a marcha no trânsito não engatava. Tem uma solução para arrumar que não seja tam cara.

    • Avatar
      Dharllan 24 de fevereiro de 2019

      Venda para o ferro velho e bem melhor.kkkk

    • Avatar
      mauri 24 de fevereiro de 2019

      Se voce ler as falhas registradas na ecu, vera qual sensor deu problema. Em aguns casos, a limpeza do sitema, com troca de filtro e oleo , resolVe. O problema e que um litro desse oleo deve custar uns r$80,00 e poucos mecânicos se atrevem a abrir a caixa automatica

    • Avatar
      Luiz Alberto Aquino Sampaio 24 de fevereiro de 2019

      Sim, nunca mais compre um cittroen….todos os câmbio deles são problemáticos ….e incrível

    • Avatar
      Edvaldo 16 de março de 2019

      tenho uma hilux, quando vou entrar em mivimento com ela sempre, coloco o cambio na posição 04 e em seguida coloco o cambio na posição d, esta correto este procedimento, saindo neste modo, acho que ela fica mais forte

Avatar
Deixe um comentário