Projeto de Lei prevê que motos não paguem pedágio

Justificativa é de que motocicletas, motonetas, ciclomotores e triciclos não geram danos ao pavimento e à infraestrutura das rodovias

Por AutoPapo31/08/18 às 10h41

Está em tramitação, em caráter conclusivo na Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei (PL) 9644/18. A proposta idealizada pelo deputado Evandro Roman quer proibir a cobrança de pedágio para motocicletas, motonetas, ciclomotores e triciclos em rodovias federais sob concessão. A razão para que as motos não paguem pedágio, de acordo com o texto, é que os veículos são leves e não geram danos ao pavimento ou à infraestrutura das rodovias.

O texto altera a Lei 8.987/95, que trata da concessão e permissão da prestação de serviços públicos. Para entrar em vigor, a determinação para que as motos não paguem pedágio ainda precisa ser analisada pelas comissões de Viação e Transportes; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Projeto de Lei que tramita em caráter conclusivo na Câmara dos Deputados quer que as motos não paguem pedágio em rodovias federais concedidas.
Foto Shutterstock | Reprodução

Ao defender o projeto que quer que as motos não paguem pedágio, o parlamentar explica: “Importante considerar que esses veículos representam um volume de tráfego inexpressivo se comparado aos veículos leves que trafegam pelas rodovias. Conforme a Associação Brasileira de Concessionária de Rodovias, o volume de motocicletas que trafegaram em rodovias em janeiro de 2018 pelas estradas do Paraná, por exemplo, foi de pouco mais de 130 mil veículos, enquanto o volume de veículos leves ultrapassou sete milhões. Se compararmos apenas o volume de veículos leves, as motocicletas representam menos de 2% do volume de tráfego nas rodovias pedagiadas naquele Estado”.

Além do PL que quer motos não paguem pedágio

Desde abril deste ano, 2018, está em análise na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania o Projeto de Lei 7172/2017, que dispõe sobre a cobrança de tarifa reduzida para motos em estacionamentos privados de shoppings, centros comerciais ou estabelecimentos semelhantes.

16 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ilda De Barros 31 de agosto de 2018

    Palhaçada,estacionam na vaga de carros,não pagam zona azul ,cortam pela direita,quase não param na faixa para pedestre, Agora isso, tirem tudo..

    • Guilherme Luz 31 de agosto de 2018

      Além disso, imagine um motociclista na chuva, tenho que parar, tirar a capa, pegar a carteira e paga o pedágio? sem sentido…e Ilda de Barros, esse tipo de preconceito seu não leva a nada, fica a dica.

      • carlos 31 de agosto de 2018

        GUILHERME LUZ– pega leve ai meu velho, toda e qualquer pessoa tem direito de ter opinião própria, ou somente tu que pode se expressar? Como tu escreveu “fica a dica”.

    • carlos 31 de agosto de 2018

      Quando eles sofrem qualquer tipo de imprevisto, quem socorre eles? Tudo tem um custo.

      • Leandro Romão 1 de setembro de 2018

        O seguro obrigatório para motos já é 4x mais caro que o de carros. Criem uma lei que repasse parte desse valor (sem aumentar mais) para as concessionárias das estradas e problema resolvido.

  • James Silva 31 de agosto de 2018

    Quando for comentar lembrem-se que a cobrança do pedágio deve-se a manutenção e conservação da via. Como moto não causa dano, acho justo não cobrar.

  • Franklin 31 de agosto de 2018

    Motocicletas ja não pagavam pedágio a tempos atraz porque alem de não causar danos às rodovias , era um incentivo para que as pessoas optassem por esse veículo para desafogar o trânsito nas grandes Cidades mas …alguem desscobriu que pelo volume de motos que ttansitam por todo o Território Nacional , o que que fizeram ? Vamos arrecadar … e assim foi ” inventado ” o pedágio para motos.
    Sobre acidente lembramos que ja é recolhido seguro obrigatório bem mais caro do que carros !

  • Handson 31 de agosto de 2018

    Acho muito justo, motos não degradam vias, não tem porque cobrar tal valor de motociclistas.
    Do meu ponto de vista, se os motoristas que utilizam sozinho um carro diariamente passasse a utilizar uma moto, não teríamos tantos engarrafamentos.
    É muito desperdício de espaço numa via para um veiculo grande atendendo apenas uma pessoa. No entanto todos devem se respeitar. Motociclistas e motoristas.

  • Vinícius 1 de setembro de 2018

    Não causa dano?
    E quando se acidentam ?
    Quantas horas de vias fechadas?
    Isso é a linha amarela tentando evitar a suspensão de cobrança de impostos.

  • Matheus Koehler 1 de setembro de 2018

    Motos param o trânsito com acidentes ? Claro, como se o carro que sofre acidente tbm não monopolisasse a via ne, porque o carro que sofre acidente é inteligente e sai do meio da via para os demais passarem, tá certinho a ideia de vcs !!!

  • Adriano 1 de setembro de 2018

    Creio que ter um corredor exclusivo para motos já seria avanço. Deixar de cobrar acho difícil, o pedágio é uma máquina de dinheiro fácil!!!!!

    • Marcos Alberto 18 de dezembro de 2018

      Eu até concordo em pagar pelo uso da estrada. Mas o valor do pedágio, da moto a metade é uma piada. O carro popular mais leve pesa 1.150 quilos para uma moto que variam de 117 quilos a 200 quilos. Acho que se cobrassem 1 real de pedágio das motos nas estradas já estaria de um grande tamanho tanto para motociclistas como para os pedágios. Povo tem que começar dar em cima disso que políticos e empresários corruptos começam cobrando a metade do valor logo estará igual ao valor dos carros. Pensem nisso povão!!!

  • osmar 1 de setembro de 2018

    Que pagassem mais que fosse barato 1 Real tava bem pago por moto .entenderam ladrões

  • Eduardo 1 de setembro de 2018

    Motos além de não causar danos às rodovias, correm grande risco quando ficam paradas nas filas até chegar a cabine de pagamento do pedágio. Já vi acidentes em que carros e caminhões não frearam a tempo ou em casos que motoristas impacientes não esperam o motociclista guardar o troco e calçar as luvas para prosseguir viagem.
    Analisem este risco também para viabilizar a gratuidade para as motos nos pedágios.

    • Marcos Alberto 18 de dezembro de 2018

      Concordo!!! Baixem o valor do pedágio para 1 real e que a passagem das motos fique no lado direito das passarelas do pedágio onde outrora era grátis naquele lado que todos nós motociclistas passávamos. Não me recuso a pagar porque também uso a estrada mais o valor é exploração. Motos nas estradas variam de 117 quilos até 200 quilos de peso. E o carro popular mais leve é de 1.150 quilos. Que diferença hein!!! Para empresários e políticos exploradores querer cobrar a metade do valor dos carros….

  • Marcos Alberto de Souza Baptista 18 de dezembro de 2018

    As motos mais pesadas chegam a 398 quilos de peso. São tipo HARLEY-DAVIDSON quem tem no Brasil são uns gatos pingados que tem 70 ou 80 mil reais para ter uma moto dessa. A média de nossas motos nas estradas é de 150 a 200 quilos que não faze nem cosquinha no asfalto e motoqueiro tem que pagar pedágio a metade do valor de um carro mais leve da estrada de 1.150 quilos. Se povo aceita isso é porque ou é burro ou acomodado e trouxa. 50 centavos por moto já seria bem pago em pedágios e olhem lá dependendo da rodovia. Um carro paga 5 reais e a moto pagar 2.50 reais é bem coisa de políticos corruptos. Já está na hora de povo brasileiro dar um basta nesses vagabundos e exigir é estradas de primeiro mundo tipo tapete.

Deixe um comentário