Pneu de moto reformado resulta em multa grave

Além de existirem leis que proíbem sua utilização, o componente recauchutado compromete a dirigibilidade e a segurança das motocicletas

Por AutoPapo09/10/18 às 10h35

Certas economias custam caro. Utilizar um pneu de moto reformado, por exemplo, pode dar origem a uma multa grave e tirar a vida de um motociclista. Explicamos o porquê dessas afirmações estarem corretas.

Desde abril de 2004, o uso de pneus reformados é proibido em ciclomotores, motonetas, motocicletas e triciclos, bem como rodas que apresentem quebras, trincas e deformações. A Resolução nº 158, que define a regra, foi sancionada em abril de 2004 e dá origem a multa grave, perda de cinco pontos na carteira nacional de habilitação (CNH) e prejuízo de R$ 195,23.

Lê-se, em pneu reformado, pneu recauchutado, recapado ou remold. De acordo com o texto do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), os dispositivos reformados não oferecem condições mínimas de segurança para uso em veículos automotores de duas ou três rodas.

A Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip) explica que os pneus são fundamentais para a segurança do usuário, pois são os únicos pontos de contato dos automóveis com o solo. Em um veículo de duas rodas o risco é ainda maior: “uma falha pode causar perda total de controle e ocasionar um acidente com risco fatal”.

A reforma consiste em raspar a carcaça de um pneu usado e adicionar uma nova banda de rodagem de borracha. No entanto, o pneu de moto reformado não é capaz de produzir a curvatura e dimensões originais projetadas (ombro, flancos e banda de rodagem). O que pode causar menos estabilidade em curvas, maior distância de frenagem, formação de bolhas, rugas e deslocamento.

Resoluções do Contran e do Inmetro proíbem o uso de pneu de moto remoldado, recauchutado, recapado ou reformado. Prática coloca em risco os motociclistas.
Foto Shutterstock | Reprodução

Um estudo realizado pela Abraciclo constatou que 8% dos acidentes de moto são causados por falta de manutenção. Desses acidentes, um índice de 11% acontece por falta de cuidado com o pneu da moto.

Não é só a Resolução nº 158/2004 do Contran que legisla sobre o tema, a portaria 554/2014 do Inmetro proíbe o serviço de reforma de pneus.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário