Quando o motorista deve desligar o airbag do passageiro?

Sim! Em alguns casos, o airbag do passageiro deve ser desligado; listamos as situações nas quais isso deve ser feito e onde fazer isso

Por Laurie Andrade 12/03/19 às 12h32

Desde 2014, os automóveis brasileiros precisam ser equipados com airbags. Os dispositivos de segurança amortecem o impacto dos acidentes de trânsito e aumentam as chances dos ocupantes saírem ilesos de um choque. O que muitos condutores ainda não sabem é que, em algumas situações específicas, é preciso desligar o airbag do passageiro.

Na maioria dos carros, a chavinha para desligar o airbag fica do lado direito do painel, no exterior do porta-luvas, ou no menu do computador de bordo. E essa trava não é disponibilizada à toa. Apesar de salvar vidas, a bolsa de ar pode machucar uma criança que está sentada no banco da frente, por exemplo.

Isso acontece porque a bolsa de ar inflada projeta a cadeirinha ou o bebê conforto para cima do banco com bastante intensidade, podendo esmagar ou ferir a criança.

Se estranhou a situação, saiba que a Resolução número 391 do Conselho Nacional de Trânsito prevê três exceções em que são aceitáveis instalar uma criança no banco da frente. São elas:

  1. Quando o veículo for dotado exclusivamente deste banco;
  2. Quando a quantidade de crianças com esta idade exceder a lotação do banco traseiro;
  3. Quando o veículo for fabricado originalmente com cintos de segurança subabdominais (dois pontos) nos bancos traseiros (impedindo a fixação correta do bebê-conforto).

Alessandro Rúbio, coordenador técnico do Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi) explica que a questão deve ser encarada com seriedade:

Não desligar o airbag, nesses casos, expõe a criança a ferimentos graves e até mesmo ao risco de morte. O airbag deflagra numa velocidade muito rápida, de aproximadamente 300 km/h, e os bebês não têm estrutura física para aguentar o impacto da bolsa. A questão é tão importante, que existem determinações para que a a luz do airbag do passageiro seja visível a todos os passageiros. Assim, os responsáveis conseguem, com facilidade, certificar se o dispositivo não está ativo ou não.

No teste de impacto do Volkswagen Fox, o Latin Ncap afirmou ter abaixado a nota de segurança do modelo por ele não oferecer a possibilidade de desligamento do airbag do passageiro.

Desligar o airbag é necessário quando o motorista transporta uma criança no banco da frente. Alguns recalls também aptam pela desativação do equipamento.

Airbag desligado pela fábrica

Uma segunda condição atípica faz com que os motoristas precisem desligar o airbag: o recall dos dispositivos Takata. O maior chamamento da história automobilística, responsável por algumas mortes e muitos feridos, fez com que fabricantes chamassem seus clientes para desativar o equipamento enquanto outro, de marca diferente, fosse disponibilizado para instalação.

Um exemplo é a Ford, que recomendou, em comunicado oficial, que os motoristas não dirigissem as picapes Ranger até que os airbags frontais fossem DESATIVADOS e ou substituídos.

  • Para entender melhor o caso dos “airbags mortais”, clique aqui.

E nas trilhas? É preciso desligar o airbag?

O assessor técnico da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Ricardo Dilser, explica que os carros off-road, como o Jeep Wrangler, têm tecnologias capazes de fazer leituras de velocidade das rodas, do escorregamento e da inclinação da carroceria. Esse dados são interpretados pelo carro, que entende que o modelo está em um terreno acidentado.

De acordo com o especialista, os airbags são premissas de segurança. “Os Jeeps não terão os dispositivos acionados desnecessariamente nem mesmo durante uma trilha. Agora, se for preciso, mesmo no percurso off-road, o equipamento vai deflagrar, como tem que ser. A FCA não indica que os motoristas desliguem o dispositivo fora de estrada” argumenta Ricardo Dilser.

O coordenador técnico do Cesvi complementa: “as fabricantes avaliam os carros em situações extremas, como uma trilha, e os programam devidamente para que os airbags se deflagrem apenas em situações necessárias”.

O Instituto de Seguros para a Segurança na Estrada (IIHS), nos Estados Unidos, mostrou o resultado de um teste de impacto em que o motorista deveria ter desligado o airbag do passageiro para transportar uma criança e não o fez. Confira o que houve o com o dummie:

Foto | Shutterstock

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (6 votos, média: 5,00 de 5)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário