SuriCar: aplicativo para auxiliar deficientes auditivos

Software que interpreta sons do trânsito e emite sinais visuais de alerta foi criado por alunos da PUC Minas e será lançado em janeiro

Por Laurie Andrade 16/12/17 às 19h12

Menos de 1% dos dois milhões de brasileiros com deficiência auditiva possuem carteira de habilitação, de acordo o último censo feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010. O baixo número de adesão tem como uma das razões a insegurança. Pensando em resolver essa questão, cinco alunos dos cursos de Engenharia de Computação e Sistemas de Informação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MG) desenvolveram o SuriCar, aplicativo para deficientes auditivos que capta sons externos e emite imagens de alerta.

O software tem um tipo de inteligência artificial que codifica as ondas sonoras dos barulhos mais comuns do trânsito, bem como buzinas, ambulâncias, viaturas policiais e freadas; e alerta os motoristas que não escutam.

SuriCar: sinal de alerta de ambulância para surdos
Foto: Divulgação SuriCar

O projeto foi realizado por meio de parceria entre Centro de Inovação da PUC Minas e Microsoft. Em desenvolvimento há 10 meses, o aplicativo estará disponível nas plataformas iOS e Android a partir de janeiro de 2018. O SuriCar foi apresentado na Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia (FINIT) e na Imagine Cup 2018, competição de tecnologia da Microsoft América Latina.

Desenvolvedores destacam utilidade do aplicativo para deficientes auditivos

Raquel Almeida, estudante, é integrante do grupo de desenvolvedores do sistema e deficiente auditiva. O professor e coordenador do projeto, Sandro Jerônimo, ressalta sua importância, já que, além de auxiliar na parte técnica, Raquel foi essencial no processo de interação da comunidade surda com os alunos. Com o objetivo de atingir mais usuários, em 2018, o SuriCar entrará num processo de extensão e acionará as entidades que trabalham com este público.

Aluno do curso de Sistemas de Informação, Victor Lacerda contou que programar o aplicativo foi difícil, mas engrandecedor. “Descobrimos que é possível quebrar um som em números para que ele seja reconhecido em linguagem computacional”, ressalta o estudante.  Lacerda acrescenta que a criação do software é relevante.

“Na época de validação com a comunidade surda, quando realizamos entrevistas para comprovar que nosso projeto poderia ajudar, aconteceu um acidente de trânsito em Belo Horizonte porque um deficiente auditivo estava sem o aparelho”, explica.

Segundo reportagem do periódico local Estado de Minas, no dia 9 de julho, houve um acidente entre um carro de passeio e uma viatura da Polícia Militar (PM), em Belo Horizonte. A corporação informou que o motorista, com surdez, não ouviu a sirene e colidiu contra o carro da PM, que capotou. Felizmente ninguém ficou ferido. A solução proposta pelo aplicativo poderia evitar outros incidentes como esse.

Adaptabilidade

Novos sons podem ser incorporados ao sistema do SuriCar. Tal fato possibilita que a tecnologia seja implantada em locais diferentes, ainda que as frequências emitidas pelos veículos oficiais, por exemplo, não sejam as mesmas.

SuriCar, aplicativo para deficientes auditivos, no multimídia de um carro
Foto: divulgação SuriCar

Por que SuriCar? O nome do aplicativo para deficientes auditivos vem do animal Suricato, aquele bichinho dos filmes Madagascar e O Rei Leão. Segundo o professor Sandro, “ele [suricato] é um ser muito esperto e está sempre em alerta. Olha para os lados todo o tempo e, quando vê algo fora do comum, sinaliza para o seu grupo. Essa é a ideia do software”, conclui.

A equipe responsável pela inovação é composta pelos estudantes Emanuel Carvalho, Lucas Mari, Matheus Philippe, Raquel Almeida e Victor Lacerda.

Conheça os direitos

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, os deficientes auditivos não só podem ter acesso à Carteira Nacional de Habilitação (CNH), como devem receber apoio dos órgãos responsáveis durante todo o processo de habilitação.

Art. 147-A.  Ao candidato com deficiência auditiva é assegurada acessibilidade de comunicação, mediante emprego de tecnologias assistivas ou de ajudas técnicas em todas as etapas do processo de habilitação.   (Incluído pela Lei nº 13.146, de 2015)

§ 1o  O material didático audiovisual utilizado em aulas teóricas dos cursos que precedem os exames previstos no art. 147 desta Lei deve ser acessível, por meio de subtitulação com legenda oculta associada à tradução simultânea em Libras. (Incluído pela Lei nº 13.146, de 2015)

§ 2o  É assegurado também ao candidato com deficiência auditiva requerer, no ato de sua inscrição, os serviços de intérprete da Libras, para acompanhamento em aulas práticas e teóricas. (Incluído pela Lei nº 13.146, de 2015)

A reportagem procurou o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para saber quais são os deveres excepcionais dos condutores com surdez e quantos deficientes auditivos têm habilitação hoje, no país, mas ainda não obteve respostas.

A Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis) possui intérpretes que podem auxiliar as pessoas com deficiência no processo de solicitação de CNH. O acompanhamento durante os cursos e testes é de responsabilidade dos órgãos competentes.

tela do aplicativo SuriCar, que auxilia deficientes auditivos no trânsito
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Andréia 5 de dezembro de 2019

    Achei muito interessante!! Ótimo conteúdo. Parabéns!

Avatar
Deixe um comentário