[Vídeo] Testamos o Pinox: economizador não passa de picaretagem

Produto promete reduzir em até 20% o consumo de combustível do carro, mas não causou nenhuma diferença significativa durante nossas aferições

Por Boris Feldman 10/01/19 às 10h28

Em uma rápida busca na internet, é possível encontrar uma série de produtos que prometem reduzir o consumo do carro. Esse tipo de dispositivo, geralmente chamado de economizador de gasolina ou etanol, é anunciado em sites de vendas e tem instalação fácil. O AutoPapo, literalmente, pagou para ver e adquiriu um desses artigos: o Pinox. Desembolsamos R$ 540 por uma unidade destinada a automóveis 1.0 até 1.6.

Assista ao vídeo:

O Pinox intitula-se como “otimizador automotivo” e promete melhorar o consumo do veículo em até 20%. Além disso, segundo os anunciantes, aumenta em até 20% a potência e o torque do motor e reduz em até 99% os gases poluentes. De quebra, a fuligem emitida pelo escapamento cairia em até 85%.

O produto constitui-se de um cilindro de metal com cerca de 4 cm de comprimento e 0,8 cm de diâmetro, que deve ser instalado a mangueiras finas, de metal ou plástico, condutoras do combustível até o sistema de injeção, ou alojado diretamente no fundo do tanque.

De acordo com o manual do proprietário do Pinox, trata-se de “um dispositivo que possui uma frequência bioenergética, que altera fisicamente a estrutura molecular do combustível, proporcionando condições ideais para uma queima mais completa da gasolina e do diesel”. Ainda segundo a folha de instruções, o economizador “não é magnético nem radioativo”. No ato da compra, o vendedor informou, por telefone, que o produto é importado da Áustria.

Tira-teima com o Pinox

Com o Pinox em mãos, providenciamos um veículo compatível: um Argo Drive 2017/2018 com motor 1.0, com cerca de 17.500 km, cedido pela Fiat. O responsável pela instalação do produto e pelos testes foi o engenheiro mecânico e perito judicial Sérgio Melo, que seguiu rigorosamente as instruções do manual. O veículo foi abastecido com gasolina, novamente de acordo com as recomendações do fabricante do economizador.

Pinox promete reduzir em até 20% o consumo de combustível do carro, mas não causou nenhuma diferença significativa durante nossas aferições

O teste consistiu em quatro passagens por um trajeto de 58 km pela rodovia BR-040, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Em duas delas, utilizamos o Pinox afixado a uma mangueira plástica do sistema de alimentação do veículo. Nas outras duas, o itinerário foi percorrido sem o equipamento. O engenheiro Melo realizou as aferições fora dos horários de pico, quando havia boas condições de tráfego, e manteve sempre a velocidade constante de 100 km/h, em quinta marcha.

O resultado não poderia ter sido mais esclarecedor: com o Pinox, o veículo fez 17,90 km/l. Sem ele, o veículo foi até ligeiramente mais econômico, embora a diferença tenha sido mínima: 17,97 km/l. Em outras palavras, o produto não causou qualquer alteração significativa no consumo de combustível.

Apesar de prometer ótimos resultados, o Pinox é apenas mais uma pi-ca-re-ta-gem. Após o teste, a única conclusão à qual pudemos chegar é a de que esse dito economizador não passa de um simples pino de metal, que em nada influencia o consumo de combustível. Em resumo, não cumpre o que promete.

Foto AutoPapo

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (1 votos, média: 5,00 de 5)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
13 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    jose savio 16 de janeiro de 2019

    Sempre que precisei de orientação técnica o Boris me ajudou com muita cordialidade e boa vontade Obrigado Boris

  • Avatar
    Diego Esteves verly 12 de janeiro de 2019

    BOA NOITE.
    EM RELAÇÃO A ESSES APARELHOS OU ESSAS PEÇAS NÃO SEI.PORÉM VOCÊS PODERIAM FALAR UM POUCO SOBRE VAPOR DE GASOLINA.
    VOCÊS ESTÃO DE PARABÉNS.

  • Avatar
    Fernandordm 10 de janeiro de 2019

    Esse Blog esta perdendo a credibilidade. Onde já se viu testar um produto que ate meu cachorro sabe que é fajuto?

    • Avatar
      Luis Santos 11 de janeiro de 2019

      Isso se chama idoneidade jornalística. Sim, sabemos que é fajuto. Mas há de haver um teste idôneo e periciado para atestar isso.

      • Avatar
        Fernando 11 de janeiro de 2019

        Foi uma ironia. Eu estava zuando só o produto. Heheheh. Abraço

  • Avatar
    Nelsom lima 10 de janeiro de 2019

    Não existe equipamento fora de uma fábrica de carro de faça tal façanha. A propria indústria ja teria feito. O que também deixa impressionado é o resultado do consumo do carro testado.

  • Avatar
    Chico Francisco 10 de janeiro de 2019

    Como a reportagem está muito recente, vamos ver se o revendedor se manisfesta…
    Holve reabastecimento? Isto pode interferir no teste.

  • Avatar
    Claude Fondeville 10 de janeiro de 2019

    O único meio de economizar é manter o veículo regulado conforme indicação do fabricante, pneus calibrados e dirigir de maneira calma e técnica.

  • Avatar
    Roberto Coimbra 10 de janeiro de 2019

    Roberto, mesmo que tivesse sido mostrado e o resultado contestado pelo fabricante, as instruções no manual foram seguidas. Imagine só se todo produto vendido e que não entrega o que promete tivesse que ser submetido a uma consulta ao fabricante. Não faz sentido. Ainda mais se pensarmos que aqui existe uma equipe por trás e que entende muito mais do que o simples consumidor final. PI-CA-RE-TA-GEM

  • Avatar
    Kozi Aihara 10 de janeiro de 2019

    O governo deveria manter um orgão que fiscalizasse esta picaretagem e outras diversas que tem no mercado e os que entra no Brasil, enganando o consumidor, e aplicasse uma multa pesada, afim de eles pararem de nos enganar.

    Parabéns ao programa Auto Papo, e um grande abraço ao Boris!!!

    • Avatar
      marcelo 11 de janeiro de 2019

      parabéns, resposta mais realista com a matéria. Precisamos mesmo destes testes para que as pessoas parem de gastar dinheiro com estes PICARETAS.

  • Avatar
    ROBERTO COIMBRA 10 de janeiro de 2019

    Foi mostrado ao fabricante? Ele contestou o resultado? Ele mostrou os testes dele para avalizar o 20%?

    • Avatar
      marcus 10 de janeiro de 2019

      Foi mostrado sim. O fabricante alegou que o teste que ele fez, utilizou o mesmo trajeto que o Boris utilizou. Ele rodou 58 quilometros com 1 litro de gasolina.
      O Argos estava em cima do caminhão cegonha. kkkkkkk

Avatar
Deixe um comentário