[0 km x usado] Virtus Highline 200 TSI 0km x A3 Sedan Attraction 1.4 2015

Os dois são do mesmo grupo, usam turbo e têm ótima dirigibilidade. Então, o que pesa mais: a garantia de um 0 km ou o requinte do seminovo?

Por Fernando Miragaya08/10/18 às 13h00
Especial para o AutoPapo

A Volkswagen compensou os anos de hibernação no segmento de sedãs com o Virtus. Bem construído e com dirigibilidade exemplar, o novo três-volumes da marca alemã ataca no segmento de compactos premium com motor turbo e boa relação de equipamentos. Pelo mesmo preço, tem-se também outro que é só elogios dentro da linha Audi. Para muitos, o A3 Sedan é um dos produtos com melhor relação custo/benefício do fabricante, que faz parte do Grupo VW. Usa a mesma plataforma MQB do Virtus, é a versão mais básica da gama, contudo, tem o refino de marca premium e comportamento empolgante.

Desempenho e prazer ao dirigir

Virtus A3 Sedan
3 ★★★☆☆ 5 ★★★★★

Antes de torcer o nariz para o 1.0 de três cilindros em um carro do tamanho do Virtus, calma. Esse TSI gera desempenho com sobras para o uso misto. Os 128/116 cv garantem arrancadas ágeis: você pisa no pedal do acelerador e o motor é quase que imediato na obediência, principalmente nas retomadas. Na estrada deslancha bem e a 100 km/h o conta-giros fica abaixo das 2.000 rpm. O que compromete é o acerto do câmbio automático de seis marchas, com imprecisões em rotações médias e alguns trancos desnecessários em giros baixos.

VW Virtus tem motor 1.0 turbo
VW Virtus

No A3 Sedan também não se deixe enganar pelos 122 cv do 1.4 TFSI a gasolina – o modelo só virou flex na linha 2016. A sensação é a de estar ao volante de um carro bem mais potente tamanha a virilidade nas saídas de semáforo. É aquele carro gostoso de dirigir, ainda mais para quem curte uma pegada mais esportiva, Na rodovia, o carro progride de forma ágil, auxiliado pela caixa S-Tronic automatizada de dupla embreagem e sete marchas, com passadas ligeiras. Nas ultrapassagens já se tem quase a força integral pouco abaixo das 1.500 rpm.

Audi A3 Sedan tem motor 1.4 turbo

Segurança

Virtus A3 Sedan
4 ★★★★☆ 4 ★★★★☆

A versão Highline é a topo de linha do VW e tem controles de estabilidade e de tração, assistente à partida em rampas, sensor de ré, Isofix e luzes de condução diurna. Todavia, só oferece airbags laterais a mais do que os obrigatórios frontais. Itens de segurança além, como sensor de estacionamento dianteiro, retrovisor eletrocrômico, monitoramento dos pneus, câmera de ré e detector de fadiga só no kit de opcionais Tech High, que inclui outros equipamentos de conforto e custa R$ 4.085. A estabilidade do carro é um destaque. A boa construção da plataforma MQB e o acerto da suspensão garantem um carro no chão e com rigidez torcional eficiente na maior parte do tempo. A direção com assistência elétrica também se mostra precisa em altas velocidades. Nos testes do Latin NCAP, o Virtus levou o máximo de cinco estrelas na proteção para adultos e na proteção infantil.

A versão Attraction do Audi em 2015 chegava da Hungria (a produção no Brasil começou só em setembro daquele ano, já linha 2016) com quase os mesmos itens do Virtus, porém com seis airbags e faróis de xenônio com ajuste de altura. Em contrapartida devia até sensor traseiro – opcional -, e a câmera de ré e o retrovisor eletrocrômico nem como itens extras eram oferecidos. O comportamento dinâmico é exemplar: o A3 Sedan parece grudado com as quatro rodas no chão, a direção é obediente e comunicativa e a carroceria oscila o mínimo nas curvas.

Espaço interno e conforto

Virtus A3 Sedan
3 ★★★☆☆ 4 ★★★★☆

O A3 leva a bordo a dose de sofisticação que se espera em um Audi. Apesar da ausência imperdoável do revestimento de couro, tem encaixes e fechamentos precisos a maior parte do tempo. O plástico do painel e das portas é agradável aos olhos e ao toque. A posição de dirigir mais baixinha e bem ergonômica é um ponto forte. O banco traseiro acomoda dois adultos e uma criança, e aqui o túnel da transmissão também atrapalha o quinto elemento. A calibragem da suspensão é um dos destaques, pois entrega firmeza em altas velocidades e consegue lidar com os buracos na cidade.

No VW Virtus, o motorista tem posição de dirigir ergonômica e funcional, com visibilidade eficiente, volante com boa pegada e comandos à mão. Pernas e joelhos dos passageiros da frente têm relativa folga. Atrás, dois adultos e uma criança não brigam por espaço, mas o banco poderia ser mais anatômico e o túnel da transmissão atrapalha quem vai no meio. O isolamento acústico funciona até os 100 km/h e a suspensão isola bem os buracos da pista. O acabamento traz design moderno e certa evolução em relação aos velhos sedãs da marca (Voyage, Bora e o Jetta da geração anterior), principalmente nos fechamentos, mas ainda está longe de agradar, com muito plástico rígido.

Equipamentos

Virtus A3 Sedan
4 ★★★★☆ 4 ★★★★☆

O Virtus Highline é o mais completo e caro da linha. É vendido com ar automático, direção elétrica, trio, volante com regulagens de altura e de profundidade, computador de bordo, controle de cruzeiro, chave presencial, aletas no volante para trocas de marcha sequenciais, banco do motorista com ajuste de altura, encosto traseiro rebatível e bipartido, rodas de liga leve aro 16”, faróis de neblina, entre outros. O sistema multimídia é o Composition Touch, com espelhamento de smartphones, Bluetooth, entradas USB e SD card e comandos no volante. O painel configurável Active Info Display, sensores de chuva e luminosidade e multimídia Discover Media com tela de 8″, GPS e sensor de aproximação só no naquele pacote de mais de R$ 4.000.

A Attraction era a versão inicial do sedã da Audi em 2015. Vinha basicamente com o mesmo recheio do Virtus Highline 0 km, só que com freio de estacionamento elétrico, sistema start/stop e recuperação cinética das frenagens. Como carro de marca de luxo que é, deve chave presencial e acionamento do motor por botão. Couro, sensores de luminosidade e chuva, teto-solar e até o controle de cruzeiro eram opcionais. Pelo menos, o sistema multimídia MMI com USB e entrada iPod/iPhone e Bluetooth presenteia os ocupantes com um som de ótima definição – mas o GPS também era opcional.

Desvalorização

Virtus A3 Sedan
3 ★★★☆☆ 2 ★★☆☆☆

Produto recente, o Virtus tem desvalorização acentuada de 10% após um ano, segundo a Fipe. O A3 Sedan sofre também de depreciação considerável, de 6%, por diversas razões: é a versão de entrada e menos equipada, a linha 2016 ganhou motor mais potente de 150 cv e flex – e ainda passou por face-lift.

Manutenção e pós-venda

Virtus A3 Sedan
5 ★★★★★ 3 ★★★☆☆

O Virtus Highline continua com a promoção de lançamento, com a três primeiras revisões, até os 30.000 km, grátis. As três seguintes até os 60.000 km totalizam R$ 1.722. Na cesta de peças, preços previsíveis: R$ 319 pelo kit com quatro pastilhas de freio dianteiras, R$ 100 pela correia dentada e R$ 700 pela bomba de combustível. Nos itens externos, R$ 381 pelo retrovisor, R$ 797 pelo farol e R$ 412 pela lanterna.

O A3 Sedan não tem revisão com preço fixo e as peças cobram a sofisticação da marca. As quatro pastilhas custam R$ 1.167, a corrente sai por R$ 186 e a bomba de combustível tem preço de R$ 2.992. Os valores de outros componentes também são salgados, como o farol (R$ 1.932), alanterna (R$ 1.266) e o retrovisor externo (R$ 908).Consumo

Consumo

Virtus A3 Sedan
4 ★★★★☆ 3 ★★★☆☆

Segundo o Inmetro, o Virtus anota médias com álcool de 7,8 km/l na cidade e de 10,2 km/l, na estrada. Com gasolina, são respectivos 11,2 e 14,6 km/l, notas C na categoria e B, no geral. O 1.4 do A3 2015 só bebia gasolina e obteve 10,0 e 11,5 km/l, notas C em ambas as comparações.

Porta-malas

Virtus A3 Sedan
5 ★★★★★ 4 ★★★★☆

É um dos destaques do Virtus, sedã da Volkswagen, com 521 litros de capacidade, ótimo vão de abertura, proteção para o pescoço de ganso e espaço para duas malas grandes. O do A3 é mais estreito, também tem acabamento que embute o pescoço de ganso, leva 425 litros e carrega uma mala grande e pequenos volumes.

Veredito

Virtus A3 Sedan
31 29

O Virtus vence justamente na racionalidade do consumo, do pós-venda e do porta-malas. Torna-se boa opção de carro para família para quem não abre mão de carro 0 km e que não quer ter surpresas na manutenção. Já o A3 Sedan é aquele para quem sonha em usufruir do requinte da marca das argolas e ter um carro que é diversão garantida ao volante.

4 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Carlos bacab 11 de outubro de 2018

    A3 1.4 é 150 cavalos e n 122…da pau em todos os nacionais…vc realmente ja entrou dentro de um a3? Entrou dentro de um virtus….acabamento sao toralmente diferente…vc quer comparar um carro q da pau no golf, no jetta e vc comprarando c virtus…apaga essa materia infeliz

    • Dirceu 22 de outubro de 2018

      150 cavalos? Pau no golf?
      Esse ta muito bem informado, hein!
      O carro informado aqui possui sim 122 cavalos. Você pensou no AUDI A3 2018. E mesmo assim LITERALMENTE PASSA VERGONHA se parar do lado de um golf highline (nem comparando com GTI pra não massacrar o coitado do A3)
      A lista de equipamentos do golf highline é quase O DOBRO dos A3 mais novos. Nem nos sonhos mais profundos e prazerosos de um fã de um audi vai existir essa de um audi ser melhor/dar pau que um Golf. Sabe o seguro de um golf? O tão temível seguro 10% da tabela FIPE? Ainda sim é mais barato que a de um A3 Sedan de 2015 auhsuhasuhasuh
      Em motor e câmbio, o golf highline 1.4 tsi com a capenga do maldito triptronic ainda é mais rápido que o do A3. Possívelmente por causa do peso, não sei. Mas se for comparado com o golf highline 1.4 tsi DSG, ai não precisa nem tentar pensar qual seria um jeito do A3 alcançar. A diferença é gritante. O golf leva todas. Lembrando, estou COMPARANDO COM O A3 2018 (mais potente do que o A3 citado)
      Golf highline 1.4 TSi só perde pra um outro carro brasileiro, que é o Golf GTI

  • paulo e.f. diehl 8 de outubro de 2018

    erga omnes, não tem comparação o A3 é top de linha, do mesmo fabricante , esse virtus [poder em latim ] é mais um produto comum. abrçs

  • milton 8 de outubro de 2018

    Qual o carro mais econômico.

Deixe um comentário