Mulher no volante: você acha que elas dirigem mal?

Fomos atrás de dados e estatísticas sobre o comportamento das mulheres na direção, e eles vão mudar tudo o que você pensa

Por Bárbara Angelo 08/03/18 às 13h30

Apesar de estarmos no século XXI, no ano de 2018, ainda há muitas pessoas que acreditam que mulher no volante é “um perigo constante”. Basta uma busca por “mulher ao volante” no YouTube para ver diversas motoristas incompetentes em ação, ao invés de boas motoristas.

LEIA MAIS:

É claro que uma coletânea desse tipo também poderia ser feita com homens que não sabem dirigir, mas não se faz isso porque não temos a cultura que propaga o ditado: “homem ao volante, perigo constante”.

O mito de que mulher no volante é perigo constante continua circulando no Brasil, mas estatísticas de trânsito apontam que isso não é verdade.

Não temos, mas talvez deveríamos ter, ou pelos menos é isso que apontam estas pesquisas:

1. 89% dos acidentes são causados por homens

No Brasil, 89% dos acidentes são causados por homens, em comparação a apenas 11% onde o erro foi das mulheres. Os dados são do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), apurados pelo site de pesquisas Compara Online.

Nas palavras do presidente do Observatório Nacional de Trânsito, José Aurelio Ramalho, “Enquanto as mulheres procuram por economia e segurança em um veículo, os homens procuram desempenho e design. A mulher se desloca em menor velocidade e se envolve menos em acidentes.”

Ou seja, mulher no volante é sinônimo de segurança no trânsito.

2. 70% das indenizações de seguro são pagas a homens

O dado acima pode explicar a desigualdade também na hora de correr atrás do prejuízo. Segundo o Compara Online, que é especializado em seguros, 70% das indenizações pagas a donos de automóveis segurados foi para homens, contra apenas 30% para mulher no volante. Os dados são de 2017.

3. 17% é o quanto essas indenizações são mais caras para os homens

Além de precisarem acionar o seguro do carro com frequência maior que as mulheres, os danos causados por homens também são mais graves. O valor das indenizações pagas pelas seguradoras a eles é 17% maior que para elas.

Quer dizer, será, realmente, que mulher no volante é um perigo? Parece que não. Os dados são do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV).

4. Por isso, o seguro de carro é até 15% mais barato para mulher no volante

O mito de que mulher no volante é perigo constante continua circulando no Brasil, mas estatísticas de trânsito apontam que isso não é verdade.

O site de pesquisas Compara Online fez um levantamento dos preços de seguro para automóveis em 2018, e concluiu que elas pagam até 15% a menos que os homens. O CEO da companhia, Paulo Marchetti, entende que a diferença no valor reflete o comportamento delas no trânsito.

“As mulheres são conhecidas, em sua maioria, por serem mais cautelosas na direção além de respeitarem mais as leis e, por isso, as seguradoras cobram um valor mais baixo”, comenta ele sobre mulher no volante.

5. 73% das mortes na estrada são de homens

Este dado é muito triste, mas também reflete a imprudência que pode levar os homens a se envolverem em acidentes mais graves que as mulheres. Segundo a Organização Mundial de Saúde, no mundo, 73% das mortes em acidentes na estrada são de homens jovens, com menos de 25 anos.

Isso representa um risco três vezes maior para eles quando estão em viagem, do que para mulher no volante quando está em viagem.

6. Mulheres representam 45% das compras e 58% das decisões de compra de carros

Segundo a última pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Serviços do Estado de São Paulo (Fecomércio SP) as mulheres representavam 45% dos compradores de automóveis e 58% das decisões sobre qual veículo adquirir.

Apesar disso, as propagandas do setor automotivo seguem apelando para o machismo, e mulheres em salões de automóveis aparecem, quase exclusivamente, apenas como modelos, e não como uma mulher no volante, que é o que se vê nas ruas e nas lojas.

7. Mulher no volante também faz história

shirley muldoney piloto top ful com troféu mulheres dirigem mal
Shirley Muldoney é tri-campeã no Top Fuel e faz parte do Hall da Fama Automotivo (Automotive Hall of Fame/Reprodução)

Agora você já sabe que a ideia de que as mulheres dirigem mal é um mito, e a realidade é muito diferente. Elas, de fato, dirigem tão bem quanto qualquer um, sendo homem ou mulher, além de se mostrarem mais ponderadas, colaborando com um trânsito mais seguro.

Além disso, mulher no volante também pode ser radical, como Shirley Muldowney, que venceu o Top Fuel de drag racing três vezes. Ou Bertha Benz, responsável pela primeira viagem de carro da história. Conheça 10 mulheres geniais que revolucionaram o setor automobilístico.

2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Leandro 11 de agosto de 2018

    Qual é a porcentagem de motoristas homens vs mulheres? Acredito q isso é relevante pra afirmar ou avalair se o homem realmente causa mais acidente. Por exemplo: joazinho produziu 1000 peças e Maria 2. Joao errou 10% e Maria 50%. Quem vc deixaria em sua produção?

  • Avatar
    Carros Motos RS 4 de maio de 2018

    Segunda, 7 de maio de 2018, depois do meio-dia essa matéria será publicada em nossa page onde 68% do público são homens https://www.facebook.com/carrosmotosrs/

Avatar
Deixe um comentário