Três dicas que devem ser consideradas na compra de um carro zero

Capacidade, cor, desempenho... É preciso analisar com cuidado!

Por BORIS FELDMAN30/04/18 às 16h32

A compra de um carro zero km exige muito mais atenção e cuidado que um pobre mortal pode imaginar. São tantas as variáveis que dificilmente se lembra de verificar todos os itens que serão importantes no seu dia a dia.

Porta-malas, por exemplo, pode iludir o comprador. Se ele faz questão de ter um carro do tipo sedã e com boa capacidade de carga, muitas vezes perde horas defronte ao computador para comparar o volume (expresso em litros) de diversos modelos. Quando chega pessoalmente no show-room pode se decepcionar pois o volume era apenas na ficha técnica: algumas fábricas desprezam (convenientemente) o padrão internacional de encher o porta-malas com tijolinhos de isopor e usam até bola de gude, que cabe em qualquer canto… para não mencionar outras que (é verdade!) aferem o volume com saquinhos plásticos de água.

Boris comenta três características que você deve analisar com cuidado na hora da compra de um carro zero: capacidade, cor e desempenho.

Outra propriedade do automóvel que pode confundir o motorista é a cor da carroceria. Ele pode se esquecer da fundamental diferença entre as cores claras e escuras. Um carro branco e outro preto, ambos expostos aos mesmos raios solares, o preto vai se esquentar muito mais que o branco. Pois as cores claras refletem os raios solares. As escuras os absorvem, se aquecem muito mais e irradiam o calor para o interior do carro. Indiretamente, ainda aumentam o consumo de combustível, pois exigem mais do ar-condicionado. Especial atenção pois está voltando a moda da “saia e blusa”, do carro pintado de uma cor no teto e outra na carroceria. Ficam charmosos, mas prefira sempre a mais clara no teto.

Outra “fria” em que o freguês pode entrar na compra de um carro zero é ao realizar o test-drive. Ele sai da concessionária com o vendedor no banco do passageiro e dirige o possante num determinado trajeto. Gosta do carro e fecha o negócio. Para descobrir, na primeira vez que sai para viajar com a família, que o possante era mais para raquítico: com cinco ocupantes e o porta-malas carregado com a tralha de férias, não conseguia sequer vencer a rampa para deixar o estacionamento do prédio…

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário