Direção elétrica: você pode esterçar o volante sem problemas

Esterçar o volante e segurá-lo por alguns segundos em um carro com direção elétrica é menos danoso, em relação aos equipados com sistema hidráulico

Por Boris Feldman25/05/19 às 14h30

Nós já comentamos aqui,  a respeito do problema do motorista ao volante de um carro com direção assistida virar completamente o jogo para um lado ou para o outro indo ao batente, como se diz. O problema é que mantendo o volante por alguns segundos no máximo de um lado para o outro, vai haver um excesso de pressão hidráulica no sistema. O que poderá danificar alguns de seus componentes.

Mas agora, como a direção com assistência hidráulica está sendo substituída pela elétrica, não haverá mais esse problema. Afinal, na direção elétrica, que é mais barata e tem várias vantagens, não tem problema o motorista virar o volante até um extremo.

Afinal, não há risco de sob pressão hidráulica. E mais, alguns sistemas de direção elétrica, quando o o volante é girado até o extremo, o dispositivo é automaticamente desligado. O que evita qualquer tipo de sobrecarga mecânica ou elétrica do sistema.

direção elétrica
Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Lourival Pereira da Silva 26 de maio de 2019

    Já passou da hora de os engenheiros mecanicos, além da direção elétrica automática, projetarem um mecânismo automático para desligar,ou melhor: desacoplar o ar condicionado quando o veículo estiver subindo uma rampa. O tempo que o compressor do ar ficar desligado durante a subida, se não for demasiadamente longa não vai contribuir para esquentar muito o interior do veículo, além de que se o ventilador continuar girando teremos aí mais de três minutos de ar frio ainda, já que a serpentina do congelador continua gelada após o desligamento do compressor. Esse mecânismo irá contribuir enormemente na economia de combustível, além de diminuir a carga do motor, já que o compressor consome mais ou menos 25 por cento da força do motor o que vai ajudar e muito , nas ultrapassagens. Se o motorista prefere deixar o ar ligado é só desabilitar eletronicamente com um interruptor mesmo no volante o novo sistema. Eu sempre desligo manualmente o ar nas grandes rampas e nas ultrapassagens. Acho que, utilizando um laser como interruptor, com seu funcionamento sendo comandado por desnível do veículo funcionaria bem, ou comandado eletronicamente por wireless utilizando uma placa para tal fim.

Avatar
Deixe um comentário