Etanol hidratado e etanol anidro: qual a diferença?

Um deles é utilizado "puro" para abastecer os carros; o outro é aquele que faz parte da composição da nossa gasolina

Por BORIS FELDMAN05/04/18 às 16h04

Entenda a diferença entre o etanol hidratado e etanol anidro: o anidro (cujo nome significa “sem água”) é que você compra, queira ou não, ao abastecer com gasolina. Ele já vem misturado no percentual decidido pelo governo. Oficialmente, a gasolina deveria conter 22% do etanol anidro, tanto que ela é oficialmente chamada de E22. Mas a pressão dos usineiros sobre o governo fez subir o percentual para 27,5%. E não se assuste se, um dia, crescer mais um pouco e chegar a 30%: a Petrobrás não confessa mas eu garanto que já fez testes com esta mistura.

O etanol hidratado é o que você compra “puro” na bomba. O puro foi entre aspas exatamente por ter um percentual de água, que vai de 6% a 7%. Isto nos postos honestos, pois vira e mexe descobre-se um excesso de hidratação e seu tanque acaba recebendo álcool com mais de 10% de água. E o que é pior: pesquisa do etanol hidratado feita em laboratório revelou que um posto chegou a misturar água do mar, o que provocou uma super-oxidação no sistema de combustível do automóvel.

Boris explica a diferença entre etanol hidratado e etanol anidro. Além da adição ou não de água, os dois combustíveis alimentam os automóveis de forma distinta.

Outras aberrações de combustíveis no Brasil prejudicam o carro e o seu bolso. Em primeiro lugar, o motorista é enganado pelo próprio governo à medida que aumenta o percentual de etanol na gasolina: seu poder energético é menor e, portanto, paga-se por um combustível, recebe-se outro de menor valor e que faz crescer o consumo.

Outro problema é o próprio posto aumentar o percentual de etanol na gasolina além dos 27,5%, o que aumenta seu lucro desonestamente pois o álcool custa menos. Neste caso, não há problemas técnicos no carro flex, pois ele foi projetado para receber gasolina ou etanol em qualquer proporção. O motorista só vai perceber um consumo maior. Porém, é problema sério no carro a gasolina, pois ele não foi projetado para receber a água contida no etanol hidratado (que o posto desonestamente misturou à gasolina).

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Calos 5 de maio de 2018

    O povo brasileiro dificilmente vai sair desta situação, paga tantos inpostos e é enganado, pelo próprio governo

Deixe um comentário